16/10/2020 às 12h02min - Atualizada em 16/10/2020 às 11h14min

Mais do que humano: 70 anos das tirinhas do Snoopy, o cãozinho mais famoso do mundo

Fernanda Lima - Editado por Bruna Araújo
Peanuts Worldwide LLC / Divulgação
Em 4 de outubro de 1950, Snoopy apareceu pela primeira vez no quadrinho Peanuts, do autor Charles Schulz. Um sucesso absoluto até os dias atuais, seja pelo site peanuts.com, na TV ou até mesmo nos cinemas e palcos, o cachorrinho da raça beagle e sua turma atrai fãs de diversas idades e nacionalidades.

O nome “Peanuts” foi escolhido muito a contragosto do autor, como uma condição para firmar parceria com a United Feature Syndicate, empresa que distribuía o conteúdo para jornais americanos. O autor teve que alterar de Lil Folks (Gente Pequena) para o nome que conhecemos hoje. O cartunista Charles nunca gostou do nome, em uma entrevista declarou que não faz sentido e a série de quadrinhos poderia se chamar Good Old Charlie Brown (“Bom e Velho Charlie Brown”).

Embora Snoopy seja considerado o protagonista da tirinha Peanuts, ele entrou apenas dois dias após o início das publicações. Considerado inicialmente só como o cachorrinho adotado por Charlie Brown, Snoopy, que em um primeiro momento seria “Sniffy”, nem mesmo tinha falas e ainda andava por quatro patas como qualquer cão. Uma curiosidade para os fãs desse quadrinho é que o nome “Snoopy” surgiu através do desejo da mãe do cartunista de ter um cachorro com este nome.

Após dois anos tendo essas características comuns, o cachorrinho falou pela primeira vez e aos poucos começou a andar somente com as duas patas, a partir daí, começaram as aventuras e os alter egos tão conhecidos do personagem. Além dessas singularidades, uma de suas características mais notáveis, é que o personagem só dorme no telhado de sua casinha, e não dentro dela.  

Os alter egos de Snoopy vão de um piloto da Primeira Guerra Mundial, ao escritor sempre de óculos escuros Joe Cool, a um jogador de hóquei e até o primeiro homem a pisar na Lua, entre outros mais.

O beagle é tudo, menos comum. Ele escreve, pratica todos os esportes, pilota avião, criou a própria dança, a Snoopy Dance e, principalmente, ensina lições valiosas de amizade e criatividade para quem o acompanha.  O dono de Snoopy, Charlie, é tímido, leal, determinado e um pouco atrapalhado. Porém, nada impede dessa amizade e das aventuras e desventuras ocorrerem nos quadrinhos.

Snoopy é praticamente humano, ele odeia qualquer coisa com coco e biscoitos, tem claustrofobia e tem um medo enorme dos pedaços de gelo que balançam em cima da sua casa durante o inverno. Vale ressaltar que casa dele conta com uma piscina e obras de arte, que o assemelha ainda mais com o ser humano.

Snoopy ainda compreende um pouco de francês, e isso é confirmado no nome da ração que ele come: "para cães que voaram na primeira guerra mundial e compreendem um pouco de francês".

O mundo em que só aparece personagens infantis e animais é recheado de humor e filosofia da vida real. Mesmo com a temática infantil, Schulz foi capaz de transmitir valores, questões e debates de “gente grande” em suas tirinhas.

Em 1969, os quadrinhos foram tão importantes que ultrapassaram o planeta Terra por meio da Apollo 10, o qual teve seu módulo de comando batizado de Charlie Brown, enquanto o módulo lunar foi chamado de Snoopy.

Embora os quadrinhos tenham deixado de ser publicados nos anos 2000, os Peanuts já estavam consagrados na TV desde a década de 80. Não foi diferente nos palcos, a peça da Broadway, “Good Man, Charlie Brown”, foi vencedora de dois prêmios Tony.

A turma de Snoopy ou a Turma de Charlie Brown pode ser facilmente considerada um dos símbolos da Cultura Pop. Os personagens viraram estampas de diversos produtos, sendo eles infantis ou não. É comum encontrar os rostos de Charlie Brown ou de Snoopy em almofadas, camisas, garrafas térmicas, relógios, artigos de papelaria e até mesmo utensílios de cozinha.  

Além dos dois personagens principais já citados, o autor criou Lucy, Linus, Sally, Schroeder, Pigpen, Franklin, Peppermint Patty e o passarinho/melhor amigo de Snoopy, Woodstock. Cada personagem foi muito bem pensado e elaborado pelo cartunista, todos eles têm suas próprias características e singularidades, sendo possível ler sobre cada um no site peanuts.com.
 
Os Peanuts são sem dúvida atemporais e transmitem lições de amizade, combate ao bullying, incitam a criatividade e provam pelas aventuras descritas que os sonhos e a imaginação são essenciais na vida de qualquer indivíduo.

O quadrinho mostra há 70 anos como os amigos e a capacidade de sonhar são os pilares na vida de um ser humano. Quem cresceu lendo ou assistindo a essa turminha, pode ser considerado sortudo e comemorar ao estilo Snoopy Dance o aniversário desse sucesso absoluto da literatura infantil.
 
Referências

SANTANA, Ana Lucia, Snoopy. Infoescola, [s.d]. Disponível em < https://www.infoescola.com/desenho/snoopy/ >. Acesso em: 14 de out de 2020.

Peanuts Worldwide LLC. Peanuts, [s.d]. Página inicial. Disponível em <https://www.peanuts.com>.  Acesso em: 14 de out de 2020.

Do batizado à Calçada da Fama: as curiosidades sobre Charlie Brown e Snoopy. GZH Livros, 2020.

Disponível em <https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2020/10/do-batizado-a-calcada-da-fama-as-curiosidades-sobre-charlie-brown-e-snoopy-ckfr3mes3000c016vzb9mjmbd.html>. Acesso em 14 de out de 2020.
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »