19/10/2020 às 13h30min - Atualizada em 19/10/2020 às 13h11min

O PODER DAS MINORIAS: A IMPORTÂNCIA AO VOTO

Em uma eleição mais que acirrada, Joe Biden e Donald Trump competem para ganhar em estados considerados decisivos. Entenda a importância e o peso das minorias nessa eleição

Juliana Oliveira - Editado por Ana Paula Cardoso
Debate presidencial americano na CNN Brasil (Reprodução)
 
O candidato democrata, Joe Biden continua liderando as pesquisas como preferência dos americanos para presidente. Em uma dessas pesquisas levantada pelo jornal Washington Post e divulgada no dia 11 de outubro de 2020 pela rede de notícias, ABC, o mostrava com 54% de intenção de votos americanos, enquanto o candidato à republicano, Donald Trump tinha 42% dos votos. Isso dava à Biden, 12 pontos de vantagem sobre o atual presidente.


As pesquisas ainda demonstravam que à liderança dele se dava ao alto índice de rejeição de Trump entre as minorias norte-americanas nos estados considerados decisivos para a eleição. Com a rejeição do atual presidente, o candidato democrata subiu sua pontuação nas pesquisas nos mesmos estados em que a rejeição de Donald Trump, também crescia. Estados esses como Michigan, Nevada e Iowa.


A rejeição de Trump pode ser explicada pelo descontentamento das minorias com a sua gestão durante os quatros de mandato. Essas, são as mesmas minorias que votaram nele no ano de 2016. O índice de rejeição ao candidato subiu em sua maior parte entre as mulheres norte-americanas. Em uma entrevista, a eleitora Karen Shepherd diz que geralmente vota em republicanos, mas não desta vez. “O presidente é um homem sem integridade”, afirmou. Essa aversão fez o cenário das eleições mudarem, unindo cada vez mais as minorias, que de certo modo, já se sentiram incomodados ou desrespeitados por Trump.
 

Os discursos anti-imigração e os descuidos diante à pandemia, levou as minorias compostas principalmente por latinos, jovens e eleitores que migraram da Califórnia, tornar o Arizona um dos estados mais indecisos, à virar alvo dos democratas. A união entre as minorias, fez com que o estado de Phoenix, conhecido por ser o mais conservador os Estados Unidos da América, muda-se de perfil.


Ao relembrarmos que lá o voto não é obrigatório, o posicionamento das minorias tem um peso enorme na decisões eleitorais. Na última pesquisa realizada no dia 15 de outubro de 2020, Biden apresentou sete pontos de vantagem sobre Donald Trump. A contabilização mostrou que dentre os entrevistados, os afro-americanos, que representam 13% do eleitorado, são o segmento com o maior percentual de preferência pelo Partido Democrata. Mesmo com o índice de pontuação do candidato republicano tendo uma pequena queda, ao que tudo indica à união das minorias ou a interseção minórica, de mulheres, afro-americanos e de imigrantes naturalizados ou não, está prestes à mudar à realidade presidencial que ocorreu no ano de 2016.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »