10/11/2020 às 14h30min - Atualizada em 10/11/2020 às 12h23min

Temporada 2020-2021 do NBB começa com times com pé na frente para disputa do título

A temporada inicia-se com o confronto entre Campo Mourão e Fortaleza Basquete Cearense

Daniel Pires - editado por Wesley Bião
Campeonato começa nesta terça com pelo menos quatro grandes postulantes ao título (Foto: André Durão/Globoesporte.com)

Nesta terça-feira (10) inicia-se a principal competição de basquete profissional no Brasil: o Novo Basquete Brasil, conhecido popularmente como NBB. Chegando a sua 13ª temporada, o campeonato já tem algumas equipes com um pé na frente para a disputa do título.

 


FLAMENGO


Equipe do Flamengo para a temporada 2020/2021 - Reprodução/NBB

 

A equipe carioca é a maior campeã do NBB, com seis títulos. Como a última temporada acabou cancelada devido a pandemia de Covid-19, o Flamengo, graças ao título na temporada 2018-2019 chega como atual campeão e como o principal favorito, como todos os anos em que participa. Isso porque a equipe rubro-negra investiu pesado no seu elenco e fez contratações de peso, como o pivô Rafael Hettsheimeir e o armador promissor Yago Mateus, de 21 anos. Ambos atletas também fazem parte da seleção brasileira de basquete. Além deles, o armador argentino Luciano Chuzito González, que já atuou com a seleção argentina, também fechou com a equipe do Rio. 


Porém, apesar de ter feito boas contratações, o treinador Gustavinho de Conti tem alguns detalhes para corrigir se quiser alcançar o heptacampeonato do NBB. O início da temporada para o Flamengo não foi muito animador, afinal já amargou um vice internacional, ao perder para o Quimsa - ARG, na final da Champions League das Américas. E não é só essa derrota que preocupa, já que os rubro-negros também perderam, em janeiro desse ano, a Copa Super 8, após sofrer um apagão no último quarto e tomar a virada para a equipe do Franca.


A equipe carioca sofre com eliminações e vices para times teoricamente mais fracos desde que conquistou o campeonato mundial em 2014. Os principais pontos de críticas da torcida são o garrafão fraco, com pouco rebotes e o psicológico do time abalado em jogos importantes.


Apesar desses problemas, o Flamengo conta com o melhor elenco do Brasil, com nomes como Marquinhos, Olivinha, Franco Balbi e Léo Demétrio, além das contratações citadas acima e por isso apresenta-se para o início do NBB como o principal favorito ao título.

 


SESI/FRANCA

Equipe do SESI/Franca para a temporada 2020/2021 - Reprodução/Marcos Limonti/Sesi Franca Basquete


A cidade de Franca, em São Paulo é conhecida como a capital do basquete no Brasil. Inclusive, em sua bandeira, bola de basquete está presente como um símbolo do local. E é de lá que vem um dos favoritos para a temporada, o SESI/Franca, maior campeão nacional com 11 títulos - apesar de ainda não ter conquistado o NBB. 


A equipe francana aposta na base para ajudar o time a conquistar o primeiro título do Novo Basquete Brasil, já que perdeu quatro dos cinco titulares da última temporada, sendo eles Parodi, David Jackson, Jimmy e Hettsheimeir. Mas isso não impediu o treinador Helinho de montar uma equipe muito competitiva, que disputa nesta terça-feira (10) a final do campeonato paulista de basquete, contra o Paulistano.  Os experientes jogadores que permaneceram na equipe, como Lucas Dias, Elinho e Guilherme Hubner terão a companhia de André Goés, candidato a melhor jogador da última temporada, Jamaal e Danilo Fuzaro para auxiliar na tarefa de guiar os jovens atletas ao título. 


Alguns fatores aparecem como pedras no caminho do Franca, como a falta de entrosamento do elenco, a juventude e, principalmente, a ausência da sua apaixonada torcida. Afinal, eles são da capital do basquete e estão acostumados a atuarem diante do Pedrocão, seu ginásio, lotado. Com a dose certa de equilíbrio entre juventude e experiência, a equipe francana tem grandes chances de ir longe na temporada.

 


BAURU BASKET


Alex, do Bauru, enfrentando o Pinheiros pelo Paulista - Foto: Victor Lira/Bauru Basket

 

Uma das equipes mais tradicionais do basquete brasileiro, o Bauru passou por duas temporadas abaixo do que sua torcida está acostumada. O ídolo do time Alex tinha deixado a equipe para atuar ao lado de Leandrinho Barbosa na equipe do Minas. Outro jogador que também havia deixado o clube foi Gui Deodato, também ao time mineiro. Gui e Alex foram muito importantes no único título do NBB da equipe, na temporada 2016-2017. Agora, os dois estão de volta e com eles chegam também Dikembe, uma promessa vinda do Paulistano e Zach Graham, que era titular do Flamengo. Além disso, o excelente treinador Léo Figueiro, que foi campeão sulamericano com o Botafogo em 2019, chega para comandar a equipe. Com jogadores muito experientes já presentes no elenco, como Tyrone e Larry Taylor, o Bauru chega forte para tentar o segundo título. 

 


MINAS TÊNIS CLUBE


Davi, do Minas, enfrentando o Cerrado Basquete em amistoso - Divulgação//Twitter Minas Tênis Clube

 

A equipe mineira vem para a temporada 2020-2021 com o elenco mais forte da sua história. Apesar de ter perdidos atletas como Alex e Leandrinho, recebeu outros de mesmo nível e em maior quantidade. Chegaram o armador Parodi, o ala David Jackson, e os pivôs JP Batista, que já foi eleito melhor jogador do NBB e foi campeão quando atuava pelo Flamengo, David Nesbitt e Ronald. Além desses atletas chegando, o armador Davi Rosseto, que já atuou pela seleção brasileira, renovou o contrato para mais uma temporada.


O treinador Léo Costa terá muitas opções boas para o ataque e para a defesa nessa temporada, variando entre jogadores rápidos e que arremessam muito bem para três e jogadores fortes que marcam e pegam rebotes agressivamente. 


Um problema que a equipe acabará enfrentando é a falta de entrosamento, uma vez que chegaram diversos reforços. Além disso, a equipe não atuará no seu ginásio, em Belo Horizonte.


Contornando esses fatores, a equipe do Minas tem tudo para conquistar pela primeira vez o título do NBB.

 

Devido a pandemia de Covid-19, o primeiro turno será disputado em apenas sete ginásios para evitar muitas viagens. Os locais escolhidos foram o Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, o Prof. Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, Ginásio da Iesplan, em Brasília, Ginásio do Morumbi, Henrique Villaboim, Wlamir Marques, Antônio Prado Jr., em São Paulo. Para o segundo turno, que acontece ao fim da Copa Super 8, em janeiro, será avaliado a situação da pandemia no Brasil para discutir o formato de disputa.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »