09/05/2019 às 16h07min - Atualizada em 09/05/2019 às 16h07min

Até onde devemos deixar o futuro interferir no presente?

Amanda Ketlyn - Editado por: Leonardo Benedito
Foto: UBC Learning Commons

Insegurança, medo do futuro e de perguntas como “O que você vai fazer depois que o ensino médio acabar?”, vem desencadeando problemas psicológicos e físicos na vida de uma grande porcentagem dos estudantes. Escolher o que você vai querer ser “quando crescer” deixou de ser aquela brincadeira divertida da infância (na qual todo mundo queria ser professor) e se tornou um peso da adolescência.

Ansiedade, estresse, síndrome do pânico, insônia, falta de apetite, autossabotagem, isolamento social. Esses são alguns dos sintomas vivenciados por pessoas que estão sob constante pressão em torno da vida acadêmica. A sensação de nostalgia ao vivenciar os últimos anos na escola que você estudou a vida inteira perdeu lugar para o desespero e a insegurança do futuro, além de toda a responsabilidade que vem junto da decisão do que você vai ser “pelo resto da vida”.

“Tudo começa em casa, quando há uma pressão psicológica por parte dos pais, por achar que devemos sair do ensino médio e ir direto para a Universidade. Quando chegamos na universidade e nos damos conta do que é realmente, há uma sobrecarga que infelizmente somos obrigados a dar conta para nos encaixarmos nos padrões.” Relatou uma estudante do curso de letras que preferiu não se identificar. A pressão gerada através dos familiares vem sendo um dos principais desencadeadores dos problemas citados anteriormente e está estabelecendo expectativas que jamais poderão ser correspondidas, além de estar gerando profissionais frustrados que fazem tudo por mera obrigação.

A autossabotagem já virou algo corriqueiro em uma inútil tentativa de corresponder a expectativa de todos exceto, claro, as nossas. Vivemos abrindo mão do que queremos fazer por algo que vai ter mais lucro, porque era o sonho da mãe ter uma filha advogada e assim vamos arrumando desculpas e deixando tudo ou qualquer um tomar as rédeas da nossa própria vida, deixando o próprio querer para depois.

O que nunca nos contaram é que podemos mudar uma, duas, mil vezes até achar o que vai fazer o coração acelerar e dormir com a consciência tranquila por estar fazendo algo que te faz ter vontade de acordar às 4:00 da manhã para pegar o ônibus lotado e ainda assim sentir que está no caminho certo. Não vivemos em um mundo preto e branco onde as coisas são apenas de uma forma ou de outra, hoje temos milhares de opções e um mundo inteiro ao nosso dispor.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »