19/11/2020 às 16h00min - Atualizada em 19/11/2020 às 15h16min

O que aconteceu com Mesut Özil?

O jogador, antes considerado um dos melhores camisa 10 do mundo, ainda não estreou na atual temporada inglesa. Qual foi o motivo da perda de espaço no elenco?

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Wesley Bião
Ozil em sua primeira temporada (Foto: Reprodução/ Site Oficial do Arsenal)
O alemão Mesut Özil vive a sua pior fase pelo Arsenal. O meio-campista não foi sequer inscrito pela equipe londrina para disputar a Premier League, ficando de fora da lista de 25 jogadores do técnico Mikel Artéta. Ele também foi deixado de lado para a competição da Europa League. Mas o que houve com Özil? Qual o motivo dele perder tanto espaço pela equipe do Arsenal? Ele consiguirá de volta o seu espaço ou é hora de trocar a camisa?

Ele desembarcou em Londres no ano de 2013, custando 47 milhões de euros. O jogador atuava no Real Madrid e decidiu jogar na terra da Rainha buscando brilhar na Premier League. Em sua primeira temporada na Inglaterra, o jogador já assumiu a titularidade do meio de campo da equipe, atuando em 40 partidas, marcando sete gols e dando 14 assistências. Uma atuação de destaque foi contra a equipe do Napoli, pela fase de grupos da Champions League na temporada 13/14. Naquela partida, o alemão fez um gol e também deu uma assistência e mostrou o que estava por vir nas próximas temporadas pela equipe londrina.


Özil em ação com a camisa dos Gunners (Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)

Na temporada 14/15, o jogador repetia as boas atuações, mas naquela temporada Mesut jogava mais longe do gol, como um articulador do meio de campo. Além disso, o jogador sofreu uma lesão de ligamento lateral do joelho, que fez com que perdesse 18 partidas, atuando em apenas 32 jogos, marcando cinco gols e dando nove assistências. Naquela época a maioria dos tabloides ingleses escreviam enormes elogios ao jogador, dizendo que ele trazia uma nova cara para o meio de campo da equipe - uma coisa que há muito tempo não se via.
 
As boa atuações continuaram, e na temporada 15/16 Özil atuou em 45 partidas, anotou oito gols e deu 20 assistências. O jogador ficou longe das lesões e aparecia direto na seleção dos melhores da semana do Campeonato Inglês. Era nome certo do time titular dos Gunners e foi um dos lideres de assistência na Premier League. 
 
A temporada seguinte ficou marcada pelo golaço que ele fez em cima da equipe do Ludogorets, da Bulgária, em um confronto pela Champions League daquele ano. Naquele período, o alemão sofreu com algumas lesões e perdeu alguns jogos, assim também começou a perder um pouco de espaço, chegando a estar entre os suplentes em alguns jogos, mas a sua titularidade era inegável pelos torcedores. Mesmo perdendo algumas partidas, o meia atuou em 44 confrontos, marcou 12 gols e fez 14 assistências -  foi a temporada mais goleadora dele pela equipe londrina.


Ozil comemorando o golaço pra cima do Ludogorets (Foto: Reprodução/Arsenal FC)

Na 17/18, ele virou o primeiro jogador a conseguir alcançar mais rapidamente a marca de 50 assistências na história da Premier League, no jogo contra a equipe do Watford. Özil demorou 141 jogos para atingir essa marca, e quebrou o recorde que era de Eric Cantona, um dos maiores ídolos da história do Manchester United, que demorou 143 partidas para conseguir a mesma marca. Naquela temporada foram 35 jogos disputados, apenas cinco gols e 14 assistências. Novamente o jogador sofreu com lesões: nas costas, problemas na tibiotársica e também uma inflamação do joelho. Além disso, em alguns jogos ele não foi relacionado por opção técnica pelo treinador Arsène Wenger. Foi neste momento que o meia começava a perder espaço no elenco e a receber algumas critícas dos tabloides ingleses.

No ano de 2018, um mês depois da Copa do Mundo na Rússia, o alemão emitiu, via Twitter, um comunicado oficial, declarando a sua aposentadoria da Seleção Alemã com apenas 29 anos. A sua decisão era por considerar que estava sendo perseguido e discriminado pela Federação Alemã de Futebol por conta de sua ascendência turca. Özil encerrou a sua trajetória pela seleção da Alemanha com 92 partidas disputadas, 23 gols e 40 assistências, além do título Copa de 2014, no Brasil.



Ozil no ultimo jogo com a Seleção Alemã (Foto: Michael Dalder/Reuters)

Em abril de 2018, o clube londrino anunciou a saída de Arsène Wenger do comando técnico da equipe depois de 22 anos à frente dos Gunners. Quem o substituiu foi Unai Emery, que prometia mudanças na equipe. Com isso, alguns jogadores começavam a perder espaço e um deles era o camisa dez alemão. O jogador atou em 35 partidas, marcou seis gols e deu três assistências, além de perder seis jogos por lesão. Em nove jogos Mesut não foi relacionado e ficou algumas partidas no banco de reserva. Ali se iniciava a critica da torcida e da mídia em cima dele. Nem tudo foi pesadelo naquela temporada, já que o meia ultrapassou Jürgen Klinsmann e virou o maior artilheiro entre os alemães na história da Premier League com 30 gols anotados.

Em 2019 o comando do Arsenal mudou novamente: agora o técnico era Mikel Arteta, ex-jogador do Arsenal, que inclusive jogou três temporadas junto com Özil. Com o comando do espanhol, o meia alemão perdeu mais espaço, jogando em 23 partidas, anotou apenas um gol e deu três assistências. Na maioria dos jogos ele não foi relacionado, além de um problema nas costas que fez perder mais espaço no time. No fim daquela temporada o jogador perdeu ao todo 25 jogos.

Na atual temporada o alemão ainda não entrou em campo pela equipe de Londres. O time disputou 14 jogos e em nenhum o camisa dez foi relacionado para jogar ou ficar no banco. A trajetória de Özil pelo Arsenal pode ser que esteja chegando ao fim. Seu contrato vai até junho de 2021 e em janeiro ele poderá assinar um pré-contrato com alguma outra equipe, afinal, ele não foi inscrito para nenhuma competição. Com apenas 32 anos, o jogador alemão com ascendência turca tem muita bola pra jogar.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »