20/11/2020 às 21h03min - Atualizada em 20/11/2020 às 20h52min

Resenha: Spotlight – Segredos Revelados

Fábio Henrique - revisado por Jonathan Rosa
Cartaz de divulgação do filme "Spotlight – Segredos Revelados". Reprodução: Sony Pictures Brasil)


O filme “Spotlight: Segredos Revelados”, dirigido por Tom McCarthy, foi lançado em 2015 e levou dois Oscars nas categorias de “Melhor Filme” e “Melhor roteiro original”.

O longa é baseado em fatos reais e conta, de uma forma hollywoodiana, o embate de uma equipe de jornalistas investigativos do jornal The Boston Globe, formada por Michael Rezendes (Mark Ruffalo), Walter Robinson (Michael Keaton), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Carroll (Brian d’Arcy James) focados em descobrir e contar ao público sobre casos de pedofilia que alguns padres de Boston estavam envolvidos.

O filme aborda muito bem o lado humano dos jornalistas, quebrando o estereótipo de que um repórter é frio e não tem sentimentos. Ao longo do filme, as descobertas chocantes abalam cada vez mais a equipe. Um caso que aparentemente parecia ser único, torna-se enorme e vai muito além de uma ou outra “maçã podre”.

Confira o trailer do filme abaixo:


                     (Spotlight – Segredos Revelados | Trailer Legendado. Reprodução: Sony Pictures Brasil)


Além disso, o filme consegue trazer com maestria o trauma vivido pelas vítimas. Em determinado momento, uma delas, que foi molestada quando criança, relata como os padres escolhiam suas proximas vitimas, e nota-se um padrão. Todos eram de famílias complicadas e que estavam passando por situações difíceis, então para elas, quando um padre pediu algo, era como se “Deus estivesse pedindo”.

O caso dos abusos levou a uma investigação que descobriu relatos de abuso em todo o mundo. Após a publicação, pelo Boston Globe em 2002, diversas vítimas ligaram para o jornal para fazer denúncias. O filme encerra com os créditos exibindo locais onde esses casos repercutiram, inclusive, o Brasil é citado algumas vezes.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »