21/11/2020 às 11h55min - Atualizada em 22/11/2020 às 11h48min

Consciência Negra: Zumbi dos Palmares, um herói para o povo preto

Mesmo com toda representatividade de Zumbi, o feriado só é celebrado em 14,9% dos munícipios brasileiros

Gustavo Cardozo Moraes - Editado por Caroline Gonçalves
Foto ilustrativa de Zumbi dos Palmares Foto:"Reprodução/projetoantenados.blogspot.com"
Na última sexta feira (20) foi o dia da consciência negra. O feriado - que ocorre apenas em alguns estados do Brasil - faz referência a morte de Zumbi, líder do quilombo dos palmares, quilombo que significa “esconderijo na mata”. Zumbi foi um dos maiores símbolos da luta dos negros contra a escravidão no Brasil. O líder dos palmares morreu após ter seu esconderijo denunciado, no dia 20 novembro 1695.

O herói negro nasceu livre, porém, aos seis anos foi capturado e entregue a um padre que o batizou como “Francisco”, além disso padre ainda ensinou a língua portuguesa a ele. Aos quinze anos zumbi conseguiu fugir e se juntou ao maior refúgio de escravos do Brasil colônia, chamado quilombo dos palmares. O local chegou a ter 20 mil habitantes. A figura de Zumbi é muito importante para a população preta do brasil. O “guerrilheiro” lutou quase vinte anos por sua liberdade e seu quilombo.

O quilombo dos palmares foi o maior e mais duradouro quilombo que já existiu. Além de toda grandeza de palmares, o quilombo foi muito importante e também serviu de referência para tantos outros locais de resistência. “Zumbi é um ícone. Palmares inspirou outras revoltas de escravizados, como Carrancas, Malês e Manoel Congo, e focos de resistência, como o Quilombo do Piolho, liderado por Tereza de Benguela” conta, Orlando Junior, professor de geografia e coordenador da Pastoral Afro Brasileira. Ele ainda completa falando de Zumbi “Atualmente, os quilombolas e as pessoas pretas do Brasil, tem na figura de Zumbi identidade, inspiração e forças para o enfrentamento ao racismo, fóssil social enraizado em nosso país”.

Houveram várias expedições para acabar com o quilombo dos palmares, porém, zumbi liderava o grupo todo e diversas vezes venceram as batalhas contra os portugueses. Até que em 6 de fevereiro do 1694 o quilombo caiu, durante a expedição do bandeirante, Domingos Jorge Velho. Mesmo assim o líder quilombola conseguiu fugir. Até que em 20 novembro de 1695 foi morto. Após sua morte, Zumbi, teve sua cabeça decepada e exposta no paço central do recife. Junto a cabeça do herói negro havia um texto que dizia: “para satisfazer os ofendidos e justamente queixosos e para atemorizar os negros que achavam que ele era imortal”.

A homenagem a Zumbi virou feriado só em 2011. Entretanto, apenas 832 cidades dos 5.570 munícipios do país celebram a data. O professor de geografia e coordenador da Pastoral Afro Brasileira conta:

“Consciência Negra é um nome genérico e pejorativo. 20 de novembro é dia de Zumbi dos Palmares! Esse tem que ser o dia de Zumbi, memória de Zumbi, homenagem a Zumbi. Tiradentes tem feriado, Zumbi também tem que ter. Simples assim”.

O professor ainda diz: “Consciência Negra é algo que o preto tem todo dia. 20 de novembro não é para ficar em casa, passear no shopping, ir à praia ou clube, é dia de ir à luta, lembrar do martírio desse célebre homem preto. Axé!”

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »