24/11/2020 às 08h33min - Atualizada em 24/11/2020 às 08h22min

Oitavas de final da Libertadores começa nesta quarta-feira para Delfín e Palmeiras

Equatorianos buscam continuar fazendo história, já para os brasileiros “a Taça Libertadores é obsessão”

Bruno Gomes Moura - editado por Wesley Bião
Delfín e Palmeiras disputam uma vaga para quartas de final (Foto: Reprodução/Twitter @LibertadoresBR)
Delfín e Palmeiras se enfrentam na noite desta quarta-feira (25), às 19h15 (horário de Brasília), no estádio Jocay, localizado na cidade de Manta, no Equador, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América. O Delfín busca continuar surpreendendo na competição, já o Verdão o bicampeonato. O jogo terá transmissão exclusiva dos canais Fox Sports.
 
DELFÍN

O Delfín ou - os Golfinhos como também é conhecido - é um time muito jovem, fundado em 1989. O técnico da equipe equatoriana é o argentino Miguel Ángel Zahzú. Os equatorianos chegaram as oitavas de final ao vencerem na última rodada da fase de grupos o Olimpia, fora de casa, em Assunção por 1x0 e contarem com a vitória do Santos sobre o Defensa y Justicia, por  2x1, na Vila Belmiro.

Os donos da casa costumam jogar no 4-4-2, fazendo duas linhas de quatro na parte defensiva e são muito fortes na bola aérea, tanto no ataque como na defesa. Quando buscam o gol, apostam muito nos dois atacantes, Carlos Garcés, que é o artilheiro do clube e também em Cifuente de 28 anos. Vale lembrar que a equipe ainda conta com o experiente goleiro Máximo Banguera e com o ponta esquerda Janner Corozo, que também pode atuar como centroavante.

O Delfín na competição, em seis jogos, venceu apenas duas vezes, empatou uma e perdeu três, além de ter marcado seis gols e ter levado sete. Esses números fazem com que os equatorianos tenham a segunda pior campanha entre os 16 classificados para as oitavas de final, perdendo somente para o Libertad, do Paraguai.

Provável Escalação: Banguera; Jhonatan Gonzáles, Agustín Ale, Luis Cangá e Geovanny Nazareno; Ortíz, Charles Vélez e Oscar Benítez; Janner  Corozo, Carlos Gárces e Cifuente.Técnico: Miguel Ángel Zahzú.
 
PALMEIRAS


O técnico português Abel Ferreira fará sua estreia na Libertadores da América. O Verdão tem a melhor campanha da competição, com cinco vitórias, um empate e nenhuma derrota, além de ter marcado 17 gols (segundo melhor ataque) e ter levado apenas dois (segunda melhor defesa).

O Palmeiras nos últimos jogos vem sofrendo muito com os desfalques, porém, poderá contar com o retorno de até 11 jogadores. Do grupo infectado pela Covid-19, o técnico Abel Ferreira já conta com cinco retornos praticamente certos: os defensores Luan, Danilo, Gabriel Menino e os atacantes Rony e Gabriel Silva.

Além desses, outros seis jogadores (Jailson, Vinicius Silvestre, Alan Empereur, Kuscevic, Gustavo Scarpa e Gabriel Veron) vão passar por novos testes e alguns desses resultados só ficarão prontos nesta terça-feira (24), caso os resultados sejam negativos para a Covid-19, Abel ferreira contará com mais cinco reforços. Os desfalques certos por conta do novo coronavírus ao todo são quatro: Raphael Veiga, William, Breno Lopes e Aníbal. Além do artilheiro do time na temporada, Luiz Adriano, que está fora por uma lesão muscular na coxa esquerda.

O Verdão busca manter sua maior série sem derrotas como visitante na competição. O time paulista não perde há seis jogos e quebrou esse ano um tabu histórico ao vencer o Bolívar na altitude de La Paz - desde 1983 que uma equipe brasileira não conseguia esse feito.

Provável Escalação: Weverton; Marcos Rocha (Gabriel Menino), Gustavo Gomez, Luan (Renan) e Lucas Esteves (Gustavo Scarpa); Patrick de Paula, Ramires (Danilo) e Zé Rafael; Lucas Lima, Rony e Gabriel Silva (Fabricio). Técnico: Abel Ferreira.
 
RETROSPECTO

As equipes nunca se enfrentaram. O Palmeiras, contra equipes do Equador, possui nove vitórias, dois empates e apenas três derrotas em 14 jogos. A última vez que enfrentou uma equipe equatoriana em mata-matas foi nas oitavas de final da edição de 2017 da Libertadores, na qual acabou sendo eliminado pelo Barcelona de Guayaquil nos pênaltis, em pleno Allianz Parque. Já os Golfinhos jogaram apenas duas vezes contra equipes brasileiras e foi justamente esse ano, contra o Santos na fase de grupos, perdeu em casa por 2x1 e na Vila Belmiro por 1x0.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »