24/11/2020 às 17h44min - Atualizada em 24/11/2020 às 17h40min

Em jogo disputado, Chelsea vence o Rennes e se classifica para as oitavas da Liga dos Campeões

Giroud saiu do banco para dar a vitória nos acréscimos

Léo Abrantes - editado por Wesley Bião
Jogadores comemoram o primeiro gol da partida (Foto: Getty Images)
Chelsea e Rennes se enfrentaram na tarde desta terça-feira (24), no Roazhon Park, na França, válido pela quarta rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Os gols da partida foram marcados por Hudson-Odoi e Olivier Giroud, para os Blues, e Guirassy, para os Les Bretons.
 
PRIMEIRO TEMPO

A partida começou melhor para o Chelsea. A equipe de Londres trocava mais passes, sempre buscando triangulações pelas laterais para encontrar algum companheiro livre dentro da área. Foi numa dessas jogadas que o gol quase saiu logo de início com Timo Werner, que recebeu um cruzamento preciso, rasteiro, mas bateu muito embaixo dela. Apesar da superioridade técnica da equipe inglesa, o Rennes não deixava de tentar atacar, principalmente pelo lado direito, aproveitando as investidas do lateral Hamary Traoré e do meio-campista Eduardo Camavinga.
 
Com esse cenário, a partida ficou bastante equilibrada, pois as duas equipes atacavam, marcavam pressão e conseguiam chegar ao ataque. Em uma das aparições da equipe francesa, a bola foi roubada por Mason Mount, que fez um lançamento para Hudson-Odoi carregar a bola e finalizar rasteiro para gol. O Chelsea abria o marcador aos 22 minutos. Logo depois do gol o jogo continuou aberto, apesar da maior posse de bola dos Blues. Os franceses tinham dificuldades em furar a última linha dos ingleses, o que explica as poucas finalizações, até então, por parte da equipe mandante.
 
A partir dos 30 minutos, os donos da casa retiveram mais a posse de bola e conseguiram controlar mais a partida, circulando bastante a bola, de um lado para o outro, a fim de encontrar os espaços que a defesa londrina deixava. Uma das opções que mais levaram perigo foi o centroavante Sehrou Guirassy, que fazia bem o papel de pivô e se movimentando bastante. Outros jogadores importantes para o Rennes foram os meio campistas Camavinga e N’Zonzi, se destacaram porque havia espaços pelo flanco central, justamente onde jogavam.
 
Perto do fim da primeira etapa o Rennes iniciou uma blitz com muitas finalizações e bastante controle do jogo enquanto o Chelsea ficava acuado lá atrás. Na metade da primeira etapa, os Blues tinham 60% de posse de bola e seis finalizações, e os Les Bretons 40% de posse e três finalizações; ao fim da primeira etapa, o Rennes igualou a posse de bola em 50% para cada e finalizou, ao total, sete vezes. A estratégia de sair em contra-ataque do Chelsea não foi tão efetiva no final.
 
SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa se iniciou com um Chelsea mais agressivo, diferente da postura vista no final do tempo anterior. Não à toa que logo de início Werner marcou um gol de cabeça, mas fazendo falta no defensor. Por outro lado, o Rennes ainda conseguia chegar com frequência ao ataque, sempre com toques de bola precisos e inversões para o ponta ou lateral bem aberto.
 
Chegando na metade da etapa final o jogo variava muito de domínios: o Chelsea dominava a partida por um tempo e, depois, o Rennes dominava também por um tempo. As equipes foram bastante flexíveis durante todo o período, conseguindo tanto marcar pressão alta quanto marcar em um bloco mais baixo, atacar mais em certos momentos e defender em outros. Mas, diferentemente do primeiro tempo, o jogo ficou mais de controle da posse do que de tentativas de marcar, visto que as defesas se mantiveram fortes e apenas cinco finalizações ocorreram até os 35 minutos
 
As substituições do Chelsea preocuparam a defesa da equipe francesa, porque entraram titulares como Havertz, Ziyech, Kanté e Giroud, com ainda mais habilidade e poderio ofensivo. Com isso, os ingleses mostravam que não iriam aceitar a pressão que sofreu no final do primeiro tempo. Porém, os franceses precisavam do resultado, e mesmo preocupado com a defesa, buscava o resultado pelo contra-ataque. Após cobrança de escanteio, Guirassy cabeceou sozinho na pequena área e empatou a partida, aos 40 minutos.
 
Com um gol sofrido no final e um time ainda bem ofensivo, o Chelsea atacou ainda mais, mas sem desespero, apesar do pouco tempo no relógio. Os Blues procuravam a melhor opção no ataque da mesma forma que tentou o jogo todo, e não através de chutões ou lançamentos para dentro da área. Após passe recebido, Timo Werner ajustou o corpo e finalizou em cima do goleiro Gomis, que estava de saindo do gol para conter a finalização, contudo a bola subiu, ficando pendurada no ar, o que deu tempo para Olivier Giroud pular alto e cabecear para o gol. Nos acréscimos, o Chelsea garantiu a vitória e a classificação, 2x1.
 
PRÓXIMOS CONFRONTOS
 
O Rennes voltará a jogar daqui a três dias, na sexta-feira (27), as 17h, contra o Strasbourg, válido pela Rodada 12 da Ligue 1. Já o Chelsea tem mais tempo de descanso, joga no domingo (29), mas enfrenta o líder da Premier League Tottenham, em Stanford Bridge, válido pela Rodada 10 do Campeonato Inglês. Os horários das partidas são os de Brasília.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »