27/11/2020 às 11h31min - Atualizada em 27/11/2020 às 11h29min

Desigualdade racial: mesmo após 132 anos de abolição de escravidão ainda há diferença entre negros e brancos?

Gabriel Leandro - Editado por Bruna Araújo
Pixabay
O mês de novembro é marcado por dias muito importantes no cenário nacional, dentre eles o Dia da Consciência Negra, no qual é lembrado a morte do Zumbi dos Palmares, um dos principais ativistas e representantes do movimento contra a escravidão. 

A conquista da abolição da escravidão em 1888 foi uma grande vitória para a sociedade afrodescendente que até então era tratada com grande desigualdade por conta da cor da pele, sendo vista como pessoas abaixo do padrão e tendo que viver servindo aos de alto escalão.

Apesar da grande conquista do término da escravidão assinado pela Princesa Isabel no dia 13 de maio de 1888, os então escravos estavam felizes pela liberdade, porém uma dúvida reinava: como será daqui para frente. De acordo com dados históricos, homens jovens tinham mais possibilidade de se mudarem para as cidades grandes e tentarem construir sua vida e recomeçar, mas muitas mulheres que já possuiam filhos e idosos permaneceram nas fazendas onde eram escravos. 

O negro, após essa vitória da abolição da escravatura, ficou um pouco desnorteado para recomeçar a vida, conquistaram a liberdade mas não tinham ninguém que os ajudassem, apesar de não existir mais escravidão, começava a desigualdade por conta da cor. E nos dias atuais, após 132 anos do fim da escravidão ainda existe muito injustiça contra a pessoa negra, sendo que cientificamente é comprovado que não há nenhuma diferença, todos são seres humanos capazes e possuem seu valor social, independente da cor da pele.

A luta por direitos iguais não para, ainda nos dias atuais existe diferença na questão salarial, no quesito de contratação de uma vaga no mercado de trabalho. Além de ameças e crimes cometidos contra pessoas negras, que muitas vezes por conta da cor da pele ao entrarem em um mercado, ou shopping já são recebidos com olhares estranhos e uma atenção redobrada, dando a entender que por serem negros são pessoas más ou que necessitam de guarda costas para não fazerem nada de errado.

É necessário uma renovação na mente da sociedade, e entenderem que todos são iguais e sem nenhuma diferença, seres humanos dignos de respeito independente de classe social.

"Eu tenho um sonho, que os negros e os brancos andassem em irmandade e sentassem-se na mesma mesa em paz".
- Martin Luther King

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »