15/01/2021 às 16h01min - Atualizada em 15/01/2021 às 15h31min

O pesadelo que vive o Sheffield United

O time vive uma das suas piores campanhas da história na Premier League

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Wesley Bião
O time inglês comemorando a vitória em cima do Newcastle (foto: Twitter do Sheffield United)

O Sheffield United foi uma das grandes surpresas do futebol inglês na temporada 19/20. Na temporada anterior, o time da cidade de Sheffield ficou na segunda posição da EFL Championship, a segunda divisão inglesa. Com isso, subiu para a primeira divisão no ano seguinte, e além de se manter na Premier League, o time fez uma ótima campanha e ocupou a nona colocação. Mas, na atual competição, o clube está na lanterna, conquistando apenas cinco pontos e uma vitória. 

A ÓTIMA TEMPORADA 19/20

Os Blades estavam disputando pela 61ª vez a Premier League. Conquistou um título em 1897/98 e fez uma boa campanha em 1974 (naquela ocasião, o clube ficou na sexta posição). Ou seja, havia um bom tempo que o time não estava entre os holofotes do futebol inglês. No ano de 2019, o Sheffield estava de volta à principal competição da Inglaterra e o objetivo do elenco era de não voltar à segunda divisão. A equipe foi conquistando triunfos surpreendentes. Um dos destaques foi contra o Everton, partida válida pela sexta rodada, onde o visitante venceu fora de casa - aliás, o time mandante dominou o jogo, porém, com apenas dois chutes, o Sheffield levou os três pontos. Logo depois, também venceu o Arsenal, ganhou por 3 x 0 do Chelsea, além de outros grandes jogos que fizeram, e que marcaram a história.

 


David Mc Goldrick marcando um dos gols em cima do Chelsea (Foto: Reprodução/Twitter Premier League)

O Sheffield venceu 14 jogos, empataram 12 e perderam 12 e conseguiram ficar na nona colocação, um resultado surpreendente para o elenco e torcedores. Chegaram a brigar por uma vaga na UEFA Europa League, mas não conseguiram conquistar um lugar na competição europeia. Houve grandes destaques na temporada, como o atacante Mousset, que marcou seis gols e deu quatro passes importantes. Oliver McBurnie também balançou as redes em seis oportunidades.

Na defesa, o grande destaque foi, sem dúvidas, o goleiro Henderson. O guarda-redes foi eleito um dos melhores da competição daquele ano. Nomes como Berge, John Lundstram, Fleck, Billy Sharp, Enda Stevens e George Baldock também se destacaram. O treinador Chris Wilder, que comanda o time desde 2016, conhece bem os nomes do elenco. O esquema tático imposto por Wilder é bem interessante. Com três zagueiros, dois alas, três jogadores no meio de campo e duas opções no ataque, fazem com que o time tenha mais posse de bola no campo ofensivo. Ou seja, o 3-5-2 dá muito certo para o Sheffield United. 


Ampadu também foi um dos nomes na última temporada (Foto: Reprodução/Twitter Sheffield United)

A INCRÍVEL QUEDA DE RENDIMENTO

A princípio, a campanha na nova temporada seria praticamente da mesma forma, conquistando boas vitórias e apresentando um bom futebol. Porém isso não aconteceu. A época 20/21 se iniciou, e os Blades perderam alguns jogadores. Henderson, Slater e Robinson são os principais nomes que saíram. Por outro lado, chegaram alguns atletas, como Rhian Brewster, Aaron Ramsdale, Oliver Burke, Max Lowe e Nayden Bogle.

O esquema tático se manteve. Três defensores, dois alas com liberdade, três meio-campistas com a função de marcar e criar as jogadas e dois atacantes que podem tanto fazer o papel de pivô ou entrar com velocidade nas oportunidades ofensivas. Porém, a falta de consistências e a enorme queda de rendimento de alguns jogadores são nítidas. O treinador usou até a opção 5-3-2, mas não surtiu efeito.



Billy Sharp em ação com a camisa  do Blades (Foto: Reprodução/site Sheffield United)
 

Na defesa os problemas são grandes. Na Premier League 19/20, o clube levou 39 gols em 38 rodadas, números muito parecidos com os do Manchester City, que levou 35 e do Manchester United, que tomou 36, provando que o time possuía uma boa consistência defensiva. Já na atual competição nacional, foram 29 gols sofridos em 18 confrontos. O ataque é outra dificuldade que aparece. Mousset, McBurnie e a contratação mais cara da temporada, Brewster, marcaram um gol apenas somando os três nomes. Com toda certeza, o poder ofensivo do elenco caiu muito de rendimento de uma temporada para outra.


Brewster atuando em sua primeira temporada no novo clube (Foto: Reprodução/site Sheffield United)
 

Atualmente, a equipe ocupa a última colocação. São 18 jogos, uma vitória, dois empates e 15 derrotas. O time conseguiu o primeiro triunfo apenas no mês de janeiro, no confronto contra o Newcastle, válido pela 18ª rodada da Premier League, além de vencer o Bristol Rovers, que joga a League One (terceira divisão), pela FA Cup. Resta saber o que pode ocorrer com o time. Existem bons nomes no elenco que conseguem ajudar a escapar do rebaixamento, porém, precisa ser feito rapidamente. Faltam apenas 20 jogos para terminar a temporada e, até lá, serão 20 finais para o Sheffield United.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »