26/01/2021 às 16h12min - Atualizada em 26/01/2021 às 12h04min

A maldição da camisa nove do Milan

O clube italiano possui uma lenda por trás desta numeração

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Luana Cossich
O croata sendo apresentado pelo Milan (foto: Divulgação Milan)
Atualmente, uma das maiores e mais famosas lendas do futebol é sobre a “maldição” da camisa nove do Milan. Logo depois da saída de Inzaghi, nenhum outro jogador conseguiu ter destaque com o número. No total, nove nomes utilizaram a camiseta.

Agora, o novo atleta que vestirá essa numeração se chama Mario Mandzukic. O croata terá a missão de terminar com essa história no mundo da bola, e ser o substituto
 do atacante Superpippo.
 
COMO ESSA LENDA SE INICIOU
 
Primeiramente, Filippo é conhecido como um dos maiores camisa nove do time italiano. Embora não tivesse um grande porte físico para um centroavante, foi considerado um dos grandes jogadores ofensivos e atuou apenas no país natal.

Com passagens por Piacenza, SC Leffe, Hellas Verona, AC Parma, Atalanta e Juventus, Inzaghi chegou em 2001 ao Milan. Em resumo, foram 300 jogos, marcou 126 gols e deu 34 assistências pela equipe Rossonera.

Por fim, em 2012, o atleta entrou em campo pela última vez e, naquela ocasião, o confronto foi diante do Novara pela última rodada do Campeonato Italiano. No segundo tempo, o atacante entrou e marcou o gol da vitória. Detalhe: o italiano não havia marcado nenhum gol naquela temporada. 
 
1. Alexandre Pato
 
O brasileiro foi o primeiro a pegar a camisa nove. Contudo, não foi bem, atuou apenas seis meses com a nova numeração e, em 2013, com apenas sete jogos e dois gols, foi comprado pelo Corinthians.

Antes de assumir o novo número, Pato estava bem e marcando alguns gols, mas não deu certo o plano de herdar o lugar de Inzaghi. Com a número sete, Pato jogou 143 partidas e balançou as redes 61 vezes. Uma queda de rendimento muito grande após assumir a nova numeração.



 
2. Alessandro Matri
 
Na época 13/14, após o brasileiro, Alessandro Matri virou a principal referência ofensiva. Havia uma grande esperança no jogador, afinal, o atleta foi formado nas categorias de base do Milan.

Da mesma forma que Alexandre, o italiano usou por apenas seis meses. Só fez um gol, na partida contra o Parma, logo depois foi emprestado à Fiorentina. O atacante não teve grandes destaques após a passagem pelo Daviolo e o último time que atuou foi no Sassuolo, onde permaneceu por três temporadas. 
3. Mattias Destro
 
A imprensa italiana chegou a fazer pequenas críticas sobre os nomes que foram utilizados na época. Então, em 2015, o time italiano efetuou uma compra por empréstimo do atacante Mattias Destro. O jovem ganhou destaque na Roma.

A princípio, o Milan queria ver se o novo nome se adaptaria rapidamente, porém as coisas não foram nada boas. No total foram 15 jogos e três gols marcados e,logo depois, o atleta estava de volta ao Giallorossi.
4. Fernando Torres
 
Após o fracasso com Mattias, o Rossonero investiu em Fernando Torres. Com o objetivo de retornar a ótima fase que viveu no Liverpool, o atacante espanhol aceitou ser emprestado ao Milan.

Aliás, as esperanças em, finamente, ter um camisa nove eram enormes. Contudo, foram apenas dez jogos, marcando um gol. Uma passagem esquecida e, em seguida, o atleta voltou ao Chelsea e foi cedido ao Atlético de Madrid, da Espanha, onde ficou por três anos. 


 
5. Luiz Adriano
 
Logo depois de EL Niño, Luiz Adriano chegava à Itália após uma bela passagem pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Definitivamente, o brasileiro também decepcionou. Ao todo, o atacante jogou 36 partidas, balançou as redes seis vezes e deu quatro passes para gol.

Em 2016, foi anunciado pelo Jiangsu Suning, da China, mas o clube chinês não cumpriu com o combinado. Com isso, o centroavante voltou ao Milan, onde ficou com a número sete.
6. Gianluca Lapadula
 
Mais uma aposta sul-americana. Gianluca Lapadula, havia feito uma boa Série B no Pescara. Assim, o Milan pagou 9,50 milhões pelo passe do jogador. Porém, o peruano demorou a engrenar.

O novo camisa nove estreou em junho de 2016 e marcou o primeiro gol em novembro. A torcida não teve muita paciência com o atleta que rapidamente foi negociado. O peruano está jogando pelo Benevento, da Itália, onde está recebendo elogios dos torcedores. 
7. André Silva
 
Uma das grandes promessas portuguesas assinava com o Milan em 2017,  o Rossonero adquiriu o jogador por 38 milhões de euros. O atleta ganhou destaque no Porto, de Portugal.

Em resumo, foi mais um que não vingou. Disputou 41 jogos, marcou 10 gols e deu duas assistências. O português também não foi convocado para algumas partidas, com isso, logo foi negociado. Atualmente, está no Eintracht Frankfurt, da Alemanha.


 
8. Gonzalo Higuaín
 
Com passagens por Real Madrid, Napoli e Juventus, Higuaín foi emprestado pela Velha Senhora em 2018, mas ficou apenas cinco meses. Porém, o início do argentino foi muito interessante, fez seis gols em cinco jogos. Contudo foi só isso. Ao todo foram oito gols na passagem pelo time.

O Milan devolveu o jogador para a La Fidanzata d'Italia
que o emprestou ao Chelsea, da Inglaterra. Na terra da rainha, Gonzalo também não teve uma boa passagem, e, hoje em dia, está jogando nos Estados Unidos, pelo Inter Miami.


 
9. Krzysztof Piatek 
 
O último nome desta lista é Krzysztof Piatek. Uma grande promessa da Polônia que chegou em 2019 na equipe italiana. Antes, o jovem jogou pelo Genoa, também da Itália.

Da mesma forma de Higuain, o polonês teve um início muito interessante, fez 11 gols em 21 confrontos. A “maldição” parecia que chegaria ao fim, porém, o desempenho do atacante foi decaindo. Agora, está no Hertha Berlim, da Alemanha, jogando muito bem. 



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »