29/01/2021 às 08h46min - Atualizada em 29/01/2021 às 08h14min

Clássicos da literatura brasileira: importância ou desserviço?

Se as obras transcendem gerações, o discurso faz-se necessário em todas as épocas

Adélia Fernanda Lima Sá Machado - Editado por Gustavo Henrique Araújo
Fonte/Reprodução: Google

Muitos são os anos dentro da sala de aula; muitas questões são levantadas por meio da apresentação de disciplinas, e a literatura é uma delas. Em certo momento do caminhar estudantil, o aluno se vê à frente de obras brasileiras consideradas fundamentais. Surge a questão: a introdução desses clássicos é importante, ou pode ser considerado como um desserviço? 

No último final de semana, a internet foi alimentada por este assunto, a importância ou não de clássicos da literatura brasileira dentro das salas de aula. Mas a questão está, de fato, em como esse assunto é inserido na vida dos alunos, pois sua relevância é inegável, visto a necessidade do conhecimento e a valorização da literatura do país.

É necessário colocar em pauta as diversas questões que envolvem o "amor ou ódio" pela literatura, seja ela brasileira ou não. Entre essas questões, destaca-se a didática de alguns professores, ou até mesmo o sistema de obrigatoriedade do ensino, que faz com que o estudante não consiga conhecer profundamente o mundo literário. Além disso, o Brasil é um país que nunca deu a importância necessária à educação, desse modo, a prática da leitura não é algo comum que surge do âmbito familiar, fazendo com que muitos jovens a vejam como uma “perda de tempo” ou um “desserviço”.


Muitas são as queixas dos estudantes em relação à temática dos livros, principalmente no quesito “obrigação da leitura” imposto pelo sistema educacional do país. Esse fator coloca um peso sobre os ombros dos alunos, como apontou Pedro Henrique, estudante de Jornalismo, ao ser indagado sobre a sua maior dificuldade na relação entre ele e a literatura:

 

A maior dificuldade que tive e que se via na turma como um todo foi sentir a atração por livros clássicos da literatura. Por mais que boa parte da turma já fosse habituado à leitura na época, não sentíamos tanto apreço pelas leituras clássicas. Uma observação que fazíamos era que, de certa forma, éramos obrigados a realizar aquela leitura para realizar provas avaliativas de português. Então, o que víamos de mais "dificultoso" era o fato de relacionarmos a leitura dos clássicos a uma obrigação, e não a um prazer.

Isso reforça a ideia de que a didática dentro da sala de aula tem um peso expressivo nessa introdução, pois a importância da literatura brasileira é incontroversa, assim como a sua valorização. De fato, a questão não é sobre a literatura no dia a dia do estudante, pois outras disciplinas são ministradas, o ponto é como deve ser ministrada dentro da sala, para que não se torne um fardo para os estudantes e, assim, o aluno não considere a literatura algo a ser evitado. 

Se você é um aluno que não conseguiu se permitir conhecer a literatura brasileira, com os livros do gênero que você gosta, permita-se. O importante não é apenas ler os clássicos, ou se privar daquele gênero apresentado na escola; o importante é manter o hábito da leitura com aquilo que o jovem estudante gosta e consegue ter acesso.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »