04/02/2021 às 16h54min - Atualizada em 04/02/2021 às 16h23min

Ataques contínuos de Bolsonaro a imprensa desvalorizam a mídia

Presidente já realizou mais de 245 ataques a jornalistas

Emily Guimarães Carvalho - Editado por Ana Paula Cardoso
Foto: Rafaela Felicciano Reprodução: Metrópoles
Os ataques do presidente Jair Bolsonaro à imprensa têm sido recorrentes desde sua posse. Somente no primeiro semestre de 2020, um levantamento realizado pela Federação Nacional de Jornalismo (FENAJ), identificou que houveram 245 episódios em que ele desacatou a imprensa, jornalistas e a própria FENAJ.

Na última quarta-feira (27), Bolsonaro mais uma vez quebrou o decoro utilizando palavras de baixo calão para responder sobre a polêmica dos gastos governamentais em latas de leite condensado. Ao ser questionado, ele respondeu:
 
“Quando vejo a imprensa me atacar, dizendo que comprei dois milhões e meio de latas de leite condensado, vai para puta que o pariu. Imprensa de merda essa daí. É para enfiar no rabo de vocês aí, vocês não, vocês da imprensa, essa lata de leite condensado”
 
Este não foi o primeiro episódio em que o presidente aparece alterado ao responder escândalos em que está envolvido. Em diferentes momentos, ele já afirmou que a mídia “estaria o perseguindo”, que era “mentirosa”, e até mesmo “atentava contra o Brasil”. Diretamente contra os jornalistas, já os chamou de “raça em extinção”, pediu para “calarem a boca” e até mesmo afirmou ter vontade de agredir um deles. Em geral, quando questionado sobre assuntos que o desagradam, é que tais alegações surgem.
 

As consequências dessa postura se refletem em diversas áreas. Como a figura de principal influência do país, há a preocupação de que os ataques do governante venham a descredibilizar a imprensa brasileira, que têm como função, trazer a verdade sobre questões políticas e sociais, inerentes aos cidadãos brasileiros. Ao ser questionada sobre o assunto, a jornalista Camilla Soares fala sobre:
 
“O Presidente Jair Bolsonaro mostrou-se muito despreparado desde o início, fazendo com que a mídia e vários especialistas o criticassem. Ainda tem a sua personalidade de ser um militar retrógrado, com características de repressor, que apesar de nunca ter dado conta de reprimir, viu na "baixaria", um meio de nos atacar. Cada dia fica pior pra imagem dele, mostrando seu despreparo como presidente.”
 
É notório, diante de tantos episódios de fúria, que ele não recebe de bom grado críticas a seu governo. Todavia, a liberdade de imprensa prevista pela Constituição Federal de 1988, garante o direito a informações livres de censura. Uma vez que a imprensa perca seu valor, seria promovida a desinformação e alienação em massa. Visto que só seriam repassadas informações favoráveis aos órgãos interessados no controle de opiniões da população.

Tais consequências também trariam prejuízos a democracia, pois o direito de informação é um dos que sustentam a sociedade democrática e não totalitária. À população, cabe também o direito de cobrar de seus governantes o que lhes devem ser oferecidos pelo Estado, como saúde, educação e segurança. E aos governantes, lhe cabem o dever de prestar contas do trabalho que estão prestando a comunidade, de forma transparente e justa.

 

https://www.youtube.com/watch?v=gH24HXVv7lc
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »