08/02/2021 às 10h33min - Atualizada em 08/02/2021 às 10h31min

Cartas que aconselham e revelam destinos

O Tarot traz autoconhecimento e ajuda as pessoas a se prepararem para o futuro

Thauane Lima - Editado por Andrieli Torres
Foto: Free Pik
O tarot é uma ferramenta que tem sido muito buscada atualmente. Na maioria das vezes, é quando sentimos que precisamos tomar uma decisão importante e, é nessa hora que entra a magia do tarot.
 
A taróloga Amanda Ribeiro, explica que a maioria das pessoas procuram nas cartas, conselhos para tomarem  decisões. “Geralmente as pessoas buscam o tarot para receber um aconselhamento das situações da vida. Às vezes, na dúvida sobre algum direcionamento”, disse.
 
Amanda ainda afirma que o público utiliza o tarot como uma ferramenta de autoconhecimento. “As pessoas que querem se conhecer melhor, que querem aumentar a sua capacidade de compreender a vida e o que está ao redor dela. Porque às vezes estamos tão focados em alguma questão na nossa vida, que a gente esquece os detalhes dessa questão, né? Então, elas buscam uma visão mais sábia, que é do oráculo e um aconselhamento”, destaca.
 
Durante a vida, buscamos nossos amores pautados muitas vezes em nosso desejo de resgatar em outro alguém o tão sonhado amor incondicional, que se traduz como a mais pura e verdadeira forma de amar; o único e verdadeiro amor.  As incertezas e as inseguranças no amor são encontradas no tarot como uma fonte de ajuda, para decidir se a pessoa deve investir, ou não no relacionamento. 
 
“Os principais conselhos que as mulheres buscam nas cartas, geralmente sobre amor e sobre trabalho. Essas questões elas, muitas vezes, na primeira consulta, elas vão perguntam sobre amor ou trabalho, geralmente amor, mas trabalho quase empata ali e nas próximas consultas. Em que elas são mais preocupadas no desenvolvimento pessoal e no autoconhecimento pessoal”, revela.
 
A procura pelos benefícios do tarot são buscadas por pessoas independentes do gênero. “A maioria das consultas é sobre relacionamentos afetivos, independente do gênero, se vai aparecer alguém para essas pessoas”, frisa.
 
Em sua fala, a taróloga destaca que ao revelar as cartas, a sua imparcialidade é regra para não opinar na vida do cliente. “Um olhar mais distante e de com uma postura imparcial, porque o oráculo ele não é parcial e é por isso que eu, como taróloga, como profissional e oraculista eu tenho que tomar cuidado para eu não colocar a minha opinião nas respostas”, argumenta.
 
“Eu tenho que me aproximar o mais possível da imparcialidade. Tenho que analisar muito com uma visão técnica. Eu tenho que ter um conhecimento muito profundo das cartas pra fazer com que a minha visão pessoal de vida não interfira. Então, eu atendo pessoas com culturas diferentes, e às vezes pessoas até de outros lugares. Ter um conhecimento técnico das cartas, dos métodos, dos significados muito grandes, para não deixar que a nossa visão de mundo não interfira, a gente tem que fazer uma atividade de percepção, de alteridade e tudo mais”, finaliza.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »