20/02/2021 às 20h01min - Atualizada em 20/02/2021 às 20h50min

Image Comics: O ponto fora da curva que mudou a indústria dos quadrinhos

A trajetória de ascensão e queda da editora que peitou Marvel e DC

Jonathan Rosa - Editado por Fernanda Simplicio
Fundadores da Image Comics, 2016. (Foto: Reprodução/ Documentário - The Image Revolution)

No início dos anos 90 a indústria dos quadrinhos estava uma verdadeira loucura, com a vendas em níveis muito elevados. Com o fim da era de bronze dos quadrinhos e começo da chamada era moderna começaram a surgir alguns dos títulos e roteiristas, além disso ocorreram várias reformulações de personagens com histórias muitas mais complexas, adultas, filosóficas e críticas.
 
Foi no meio deste contesto que renomados profissionais do meio dos quadrinhos, deram vida a uma editora que surgiu do nada e conseguiu enfrentar as gigantes e poderosas Marvel e DC de frente. Mas o como e por que essa editora que viria a se chamar de Image Comics surgiu, e o porquê causou tanto burburinho daria uma hq aparte.
 
A revolução 
A indústria dos quadrinhos surfava na primeira grande onda, em que as HQs agora não eram mais somente coisa de crianças e estava caminhando a paços largos para alcançar o posto de expressão artística não só para um nicho, mas para o grande público. Então no ano de 1992 sete desenhistas que se sentiam explorados pelas condições de trabalho na Marvel Comics, criaram a Image.


Jim LeeTood McFarlane e Rob Liefeld iniciaram a revolução e puxavam o barco. Logo se juntaram a eles Marc Silvestri, Whilce Portacio, Jim Valetino e Erik Larsen – Vale lembrar que juntos esses artistas venderam milhões de cópias para Marvel – juntos os sete concluíram que a indústria tratava muito mal seus artistas e não os remunerava como deveria, além disso todos eles queriam fazer histórias independentes. Como resultado veio a ideia, “por que não montamos a nossa própria editora?". E assim surgiu a Image Comics.

Funcionando como um grande guarda-chuva a Image surgiu com um plano de ação completamente inovador e respeitoso com as mentes criativas por trás das páginas. A editora se declarou dona apenas do seu nome e do logotipo, e cada celo abaixo dela seria dono de seu próprio produto e personagens, se tornou assim a primeira grande editora em que os autores seriam 100% proprietários de suas obras. Ganhando apenas um percentual das vendas de cada um destes títulos. Após isso cada um deles criou seu próprio estúdio independente sob o guarda-chuvas da Image Comics.


Primeiros lançamentos
Apenas quatro meses depois da inauguração da editora o primeiro lançamento de casa ganha as bancas de revistas, “Youngblood” chegou em abril de 92 e foi um sucesso imediato, vendendo mais de meio milhão de exemplares no primeiro dia. Na seção de autógrafos do título havia tanta gente que a polícia teve que fechar ruas, e os donos das lojas não conseguiam controlar a euforia do público. Agora os quadrinistas se tornavam verdadeiros rockstars.

No mês seguinte o segundo título no modelo Image vê a luz do dia. “Spawn” passou o recorde de vendas de “Youngblood”, e com mais de 1,7 milhões de exemplares vendidos é a revista independente mais comercializada de todos os tempos até hoje. Em agosto daquele mesmo ano, e com apenas 6 obras públicas, a Image Comics já havia vendido mais exemplares que DC e Marvel em 1992, algo que nunca havia acontecido.


Os lançamentos dos quadrinhos da image alcançaram o extremo sucesso rapidamente. E embora tivessem uma qualidade de roteiro contestáveis, na maioria dos casos centrado em violência e personagens pouco aprofundados, os títulos da editora se centravam na arte e na qualidade gráfica e das cores digitalizadas, o que foi suficiente para conquistar os fãs na época.

Mas logo a Marvel e DC começaram a reagir, e se uniram para “derrotar” um inimigo em comum, veio então a famosa época dos crossorves entre as duas editoras. Manobra essa muito assertiva, afinal que quem não gosta de ler o homem de aço na trocação com o filho de Odin?
Ou a morte do Superman? Talvez a ler Bane quebrando as costas do Batman?
 Pois é, tudo isso só existe por causa da Image.

Porém a editora não desanimou e ao se sentir ameaçada começou a lançar cada vez mais títulos. E o resultado disso foi o atraso de várias edições, o que fez os jovens perceberem que nem só de arte se vive uma empresa, eles precisavam contratar pessoal e organizar a casa. Nessa altura, o sucesso da Image era tão grande que alguns estúdios da editora já estavam produzindo versões cinematográficas de seus personagens, coisa que a DC e a Marvel só forma conquistar alguns anos depois.

Os deslizes e as brigas
O sucesso como sempre traz alguns problemas, e na Image não foi diferente. A editora estava mexendo muito no jeito de se fazer quadrinhos, principalmente no que diz respeito aos artistas. Mas mesmo com o grande sucesso a maioria dos profissionais do mercado não acreditava que isso ia muito mais longe, e tinham medo de comprar briga com as gigantes DC e Marvel. Além disso, esse processo de revolução rendeu muitos inimigos para Image.

Neste contexto, cada um dos estúdios dentro da Image começou a tomar rumos diferentes, e alguns atritos entre eles começaram a surgir, envolvendo responsabilidades e até aliciamento de artistas. Paralelo a isso, a bolha magia cos colecionadores de quadrinhos estava prestes a estourar, e não importa a quão boa sea a obra se não tiver muitas pessoas dispostas a ler.



Mas apesar de maioria dos estúdios estarem se adaptando bem aos negócios, Jim Lee e Rob Liefeld já não estavam assim tão satisfeitos com o mundo corporativo (por motivos diferentes). Foi então que a Marvel fez uma proposta milionária a Jim e Rob e contrataram seus estúdios para reformular os horeis da casa das ideias. Mas é claro que Todd e os outros sócios não reagiram nada bem a esse movimento que eles chamaram de “traição”.

Agora em 1995, os consumidores de quadrinhos diminuíram drasticamente ao redor do mundo, levando ao caos tão grande na indústria que a própria Marvel quase declarou falência, foi nesta época que os direitos cinematográficos dos X-men e Homem-Aranha forma vendidos para Sony, assim como o Hulk para Universal, entre muitos outros com o intuito de salvar a empresa.

Enquanto isso, Marc Silvestri decide deixar a Image, paralelo a isso Rob Liefeld abre uma segunda editora, deixando todos muito aborrecidos. Então eles decidem votar pela expulsão de Rob, que descobre o plano e se demite primeiro. Com essa saída Marc Silvestri volta a ocupar uma cadeira na diretoria da Image. Porém Jim Lee já está cansado de empreender, ele gostava mesmo é de desenhar, como resultado ele vende seu estúdio para DC e sai da Image. Agora somente com 4 sócios ativos (Whilce Portacio não foi muito presente pois teve problemas pessoas) a editora estava balançada.


Em 1999 Jim Valentino é escolhido pelo 4 para repaginar a cara da Image e trazer novos nomes para trabalhar na editora. Um destes nomes talentosos foi Robert Kirkman, que chegou à editora em 2003 e foi responsável por títulos como "Invincible" e "The Walking Dead", que foi um dos maiores fenômenos de vendas dos últimos anos e deu início a uma nova fase da editora.


Os novos rumos da Image Comics

Em 2004 Jim Velentino foi retirado do cargo de publisher, cedendo o lugar a um dos fundadores originais, Erik Larsen, que permaneceu no cargo até 2008. Mas durante esse período de quatro anos Erick reformulou a Image de uma vez por todas, trazendo grandes criadores sem perder o estilo underground que deu a cara da editora.

É nessa época que a Image Comics fica conhecida pela alcunha de HBO dos quadrinhos, por trazer series adultas, complexas e de excelente qualidade e dando liberdade aos criadores. Desde que Erik Larsen deixou o cargo de Publisher, Eric Stephenson assumiu essa missão e deu continuidade ao excelente trabalho que vinha sendo feito na editora. Tanto que é o Stephenson que detém esse cargo dentro da Image até os dias de hoje.

Em 2010, após já ter trazido inúmeros novos títulos de peso para empresa, que agora se aventurava em publicações do mundo todo, Stephenson sugeriu aos fundadores tornar Robert Kirkman, (que a essa altura já estava ganhando uma série de TV para TWD) em socio da Image. E assim foi feito, e tal qual os outros sócios Kirkman também abriu o próprio estúdio sob o guarda-chuvas da Image, o Skybound.



A Image Comics teve seu percurso ao longo do tempo pautado por uma evolução notável, e hoje encontrando-se em uma das suas fases mais prósperas em termos de criatividade, possuindo um leque de títulos imensamente vasto, distinto e de excelente qualidade, entre eles a série "Saga" de Brian K.Vaughan, "Invincible" do próprio Kirkman, "Descender" de Jeff Lemire e muitas outros.

A editora surgiu como uma resposta direta às grandes editoras norte-americanas, uma vez que permitia aos autores manterem os direitos intelectuais das suas personagens. E entre acertos e erros, a Image teve uma participação decisiva na valorização dos artistas da nona arte, pois mostrou para as até então inabaláveis DC e Marvel que não eram seus reféns, como as vezes parecia. Até então os quadrinhos não tinham uma história nem um pouco boa no que diz respeito ao tratamento de seus talentos.

O próprio Jack Kirby, conhecido como rei dos quadrinhos, morreu praticamente debruçado sobre sua mesa de desenho para poder pagar contas. E não viu nenhuma compensação por co-criar personagens icônicos da cultura pop (e que rendem bilhões) como o Hulk e o Quarteto Fantástico. E esse é o maior legado da editora, já que graças as iniciativas revolucionarias de mercado da Image as próprias DC e Marvel mudaram seus termos de negociação.


Agora as empresas são muito mais cuidadosas com os criadores, facilitando os entrames para negociação de devolução de página originais, negociação de royalties entre outros benefícios. Mas além da valorização dos artistas a Image se consolidou também, como uma editora diferenciada por publicar material de qualidade excelente que dificilmente veria a luz do dia caso dependesse exclusivamente das gigantes da indústria. 

Por mais que em termos de vendas, a Image talvez não supere a DC ou Marvel, ninguém tem dúvidas de que estamos perante a uma das editoras norte-americanas mais estimulantes da história dos quadrinhos, algo que tem vindo a ser cada vez mais sublinhado graças aos constantes prémios que tem conquistado.



REFERÊNCIAS:  
A ascensão e queda da IMAGE COMICS após a saída da Marvel. PIPOCA E NANQUIM – YOU TUBE. 30 de jan. de 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=PXEOngi_xIg> Acesso em: 17 de fev. de 2021.

A trajetória da IMAGE COMICS após o sucesso de THE WALKING DEAD. PIPOCA E NANQUIM – YOU TUBE. 5 de fev. de 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=RGFnS2s7YBM> Acesso em: 17 de fev. de 2021.

ASSIS, É. Image Comics – 25 Anos | As 25 melhores séries recentes da editora. OMELETE. 29 de mar. de 2017.  Disponível em: <https://www.omelete.com.br/quadrinhos/image-comics-25-anos-as-25-melhores-series-recentes-da-editora#19> Acesso em: 17 de fev. de 2021.

BENEDITTO, G. Image Comics: Seus Fundadores e suas HQs. OLDIE NERD. 16 de nov. de 2018. Disponível em: <https://www.oldienerd.com/2018/11/image-comics-seus-fundadores-e-suas-hqs.html> Acesso em: 17 de fev. de 2021.

Como a IMAGE COMICS surgiu nos anos 90 e revolucionou os quadrinhos. PIPOCA E NANQUIM – YOU TUBE. 23 de jan. de 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ikEjOZdP4Eo&feature=emb_title> Acesso em: 17 de fev. de 2021.

FERREIRA, T. A Incrível História da Image Comics! COMIX ZONE – YOU TUBE. 28 de mai. 2017. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=jsg4SjUsVuE> Acesso em: 17 de fev. de 2021.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »