20/05/2019 às 19h45min - Atualizada em 20/05/2019 às 19h45min

O Futuro é Feminino

A valorização das protagonistas femininas na Marvel e DC

Júlia Victória - Editado por Bárbara Miranda
IGN
Os universos cinematográficos da Marvel e da DC possuem centenas de filmes que atraem milhares de fãs aos cinemas e geram milhões de dólares para os estúdios. As duas empresas tem filosofias completamente diferentes para as suas obras, mas compartilham de uma característica em comum: a escassez de protagonistas femininas. Apesar disso, com os últimos lançamentos, é possível perceber uma mudança de perspectiva de ambos.

O primeiro blockbuster feminino foi dirigido por uma mulher. O longa Mulher-Maravilha, de 2017, mostrou a história da amazona Diana Prince que saiu de sua terra natal, a Ilha paradisíaca de Temiscira, com o objetivo de acabar com todas as guerras. Defendendo os mais frágeis e utilizando seus poderes para implantar a paz.

Vivida pela atriz israelense Gal Gadot, Mulher-Maravilha representou a coragem e a bravura das mulheres, sem a extrema objetificação e sexualização feminina presente nos quadrinhos e encorajou a realização de outros filmes com diretoras e protagonistas no comando.
 
O Universo Cinematográfico da Marvel foi inaugurado em 2008 e a primeira heroína introduzida dois anos depois em Homem de Ferro 2. A Viúva Negra , ou Natasha Romanoff , foi coadjuvante em diversos filmes e seguiu sendo a única mulher nos Vingadores até 2015 , quando a Feiticeira Escarlate / Wanda Maximoff entrou para o grupo em Vingadores : Era de Ultron.
 

Logo depois, Gamora foi apresentada junto aos Guardiões da Galáxia e posteriormente Nebula e Mantis foram incorporadas no elenco. Em Pantera Negra (2018), T’Challa tinha uma guarda formada apenas por mulheres e o expert de tecnologia de Wakanda era sua irmã, Shuri.  Também em 2018, Homem – Formiga dividiu tela com a Vespa e foram protagonistas do longa. Contudo, a Marvel ainda não possuía um filme estrelado por uma mulher.
 
Esse ambiente foi mudado com o lançamento de Capitã Marvel, em 2019. A personagem Carol Danvers busca respostas para entender a sua origem. A piloto da Força Aérea dos EUA, enfrenta o machismo em diversas ocasiões do filme onde a sua capacidade é posta em dúvida. Após um acidente, Carol incorpora elementos em seu organismo e se transforma em uma das pessoas mais poderosas do universo. Brie Larson, que interpreta a Capitã, é ganhadora do Oscar e seu filme é um dos mais lucrativos do ano, passando de 1 bilhão de dólares.


FONTE : CineSet
 
Essa mudança de abordagem, promete um grande avanço na produção de filmes com protagonistas femininas. Um longa solo de Viúva Negra tem previsão de estreia para 2020, Capitã Marvel 2 faz parte dos planos da nova fase da Marvel assim como Mulher Maravilha 2 na DC.

REFERÊNCIAS 
 
CARMELO, Bruno. Marvel promete mais filmes estrelados por super-heroínas depois de Capitã Marvel. Adoro Cinema. Disponível em: . Acesso em 20 de maio de 2019.
 
VARELLA, Juliana. ‘Capitã Marvel’ chega como exceção na indústria masculina dos super-heróis. Veja. Disponível em :. Acesso em 20 de maio de 2019.
 
CAMPOLINA, Thais. “Mulher-Maravilha” e o impacto de ter uma heroína nas telonas. Medium. Disponível em:.Acesso em 20 de maio de 2019.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »