26/02/2021 às 09h26min - Atualizada em 26/02/2021 às 09h21min

Crônica: o carnaval deste ano não foi o mesmo

2021 iniciou sem as comemorações carnavalescas

Giovana Cerantola - Editado por Andrieli Torres
Foto/Reprodução: Google
"Em fevereiro tem carnaval". Era 2020 e realmente teve carnaval. Naquele ano, a festa foi em dobro: teve a comemoração da minha aprovação na faculdade, além, claro, dos quatro dias de folia. Passei o feriado aqui em São Carlos, cidade no interior de São Paulo.

O primeiro dia de comemoração foi sábado. Com meus amigos na cidade, a alegria na festa estava garantida. Lembro-me de tantas pessoas juntas, na mesma área, muito calor, típico da época do ano e da aglomeração, pessoas com glitter da cabeça aos pés.

A sensação que essas cenas me trazem, é de saudade, de uma época em que existiam outras preocupações que não o coronavírus, e principalmente, a saudade de ver meus amigos e estar junto com eles novamente. Desde o carnaval passado, não nos vemos pessoalmente.

Voltando para as lembranças do feriado, eu não poderia deixar de contar sobre o carnaval na praça. A banda da cidade agitou os foliões são-carlenses, inclusive a minha família.

Aqui em casa, meus familiares não estão acostumados a ir a bloquinhos ou matinês de carnaval. Até nisso, a folia de 2020 foi diferente. Mais uma vez, a lembrança desse dia me traz saudade, da época boa que a gente podia reunir a família, além disso, a saudade maior é do meu avô, que faleceu quatro meses depois. A lembrança dele sentadinho na cadeira, sorrindo, jogando confete e espuma nos foliões que passavam está registrada para sempre na minha memória.

O último dia de carnaval, passei novamente com meus amigos, dessa vez na mesma praça. Para finalizar a noite com chave de ouro, paramos para comer lanche prensado, típico da cidade.

Depois disso, cada um na sua casa, literalmente. Um mês depois da festa veio a quarentena. Aquela que a gente achava que eram só uns quinze dias em casa… desde então sigo isolada, com todas as minhas demandas adaptadas para o modelo remoto.

O ano acabou. 2021 começou sem que houvesse grandes mudanças. Ficar em casa ainda é necessário e mais seguro.

Contrariando a música, fevereiro não teve carnaval. Pelo menos, não aqui em casa. Com a situação da àpandemia piorando a cada dia, não existe justificativa para ir à uma “festinha”.

Enfim, foi uma comemoração bastante diferente, assim como tudo tem sido diferente há quase um ano. O feriado pareceu um final de semana normal, com dois dias de descanso a mais, segunda e terça. Fiquei acompanhando lives para festejar a folia de casa, troquei o glitter pelo pijama, coloquei a leitura em dia, testei receitas novas e aproveitei bastante minha família.


A famosa frase “Eu era feliz e não sabia” não é totalmente verdadeira para mim. Eu era feliz e sabia disso. Aproveitei todos os momentos, sorri, chorei, gargalhei e distribuí tantos abraços, cada momento é único e ocorre por algum motivo.

Enquanto espero minha vez na fila de vacinação, vou aproveitando, na medida do possível e da maneira que posso os momentos dentro de casa. Alguns pensamentos me aparecem: quando será que poderemos aglomerar novamente em segurança? Será que as máscaras substituíram a purpurina? Ao invés de banho de chuva teremos banho de álcool em gel? Sem ter ideia das respostas para as minhas perguntas, sigo sonhando com o carnaval de 2022, ou melhor, com o momento em que poderei comemorar novamente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »