05/03/2021 às 16h42min - Atualizada em 05/03/2021 às 16h14min

Aumento da internação de jovens com Covid-19 chama atenção em segunda onda da pandemia

Aglomerações no carnaval e a circulação da nova variante podem ser as explicações para a alta de casos

Marília Felix - Editado por Ana Paula Cardoso
Profissionais de saúde na luta contra o novo coronavírus. Fonte: Jorge Hely/FRAMEPHOTO/Estadão Conteúdo / Reprodução: R7

O perfil dos internados pela Covid-19 na segunda onda está diferente em alguns locais. Dessa vez, a faixa etária que predomina nos hospitais de São Paulo é mais jovem e passa mais tempo nos leitos, de acordo com João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus. Em coletiva de imprensa do governo do estado, realizada na última quarta-feira (3), destacou-se que a maior exposição desse público em aglomerações e a circulação da nova variante podem ser os fatores que justificam essa mudança.

Nas últimas duas semanas, 60% dos internados pela doença no estado estão entre os 30 a 50 anos. De acordo com a presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) e médica intensivista Suzana Lobo, o número de internados com até 55 anos quase dobrou nos últimos dois meses em algumas unidades. Na entrevista ao R7, Suzana ressaltou que, mesmo sem a realização de uma pesquisa, esse fenômeno é observado por médicos do Brasil.

Além disso, a tendência é que os pacientes mais jovens passem mais tempo internados em relação aos idosos. A explicação pode ser porque os mais novos demoram a desenvolver a forma grave da doença. Assim, o atendimento se torna tardio e acabam precisando de mais cuidados no hospital, disse o governo de São Paulo.

Para Suzana Lobo, o tempo maior de internação acontece pela resistência dos jovens. “Esses pacientes têm uma tendência de serem mais tolerantes a medicamentos e têm menos chance de mortalidade, uma vez que as disfunções orgânicas tendem a ser menor. A probabilidade de cura das pessoas até 55 anos é grande, já que eles vão melhorando com o tempo e os tratamentos”, disse na entrevista ao R7.

A exposição dos jovens a ambientes aglomerados pode ser um dos motivos para esse cenário. As constantes festas clandestinas no fim de ano e no carnaval, além de bares e restaurantes lotados com pessoas próximas umas das outras sem o uso de máscaras, se tornaram cenas comuns nesse período de pandemia.

O psiquiatra infantil Fábio Barbirato esclarece que “os jovens foram fortemente impactados pelo isolamento em seu estilo de vida em uma idade que tudo que se quer é interação e sociabilidade. Isso explica terem sido os primeiros a se atirarem em aglomerações”, disse em seu blog na Veja Rio. Contudo, ele alerta que isso não justifica os comportamentos irresponsáveis. Segundo Fábio, o que falta é o “não” dito pelos pais aos filhos nesse momento.

Outro motivo possível para o aumento de casos é a nova variante do coronavírus localizada em Manaus no começo de janeiro. Segundo pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz divulgada na última quinta-feira (4), a mutação presente nessa variante foi encontrada em pacientes analisados em seis estados brasileiros (Ceará, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pernambuco). Apenas Alagoas e Minas Gerais, outros participantes do estudo, não registraram mutação do vírus acima de 50% das análises.

Ainda não é possível saber se a nova forma do vírus pode ocasionar uma forma mais grave da doença. Até o momento, o que se sabe é que adultos com essa variante podem ter uma carga viral dez vezes maior do que as cepas antigas, segundo uma pesquisa da Fiocruz. Suzana Lobo acredita que o alto número de jovens com infecções mais graves pode ser resultado dessa maior carga viral. No entanto, Alexandre Barbosa, médico infectologista e professor da Unesp, ressalta que um estudo observacional precisa ser feito para constatar se a nova variante é mais agressiva.

Em Pernambuco, a internação de pacientes entre 20 e 59 anos aumentou 39% no último mês. O secretário de saúde do estado, André Longo, disse também que a diminuição de 25% dos casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) entre as pessoas com mais de 85 anos pode constatar a “influência positiva no processo de vacinação dessa faixa etária”.

Ainda que essa mudança no perfil dos pacientes internados seja vista em muitos lugares, outros não registraram alteração. A técnica de enfermagem de duas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) no Grande Recife, Kênia Agostinho, diz que a maior parte dos doentes que chegam com a Covid-19 são idosos.

A técnica de enfermagem explica que os casos do novo coronavírus estão mais controlados nos seus locais de trabalho. Mas, ela está atenta com a possibilidade de alteração desse cenário: “vem uma onda de Covid mais elaborada, mais grave, que está pegando muita gente”. Kênia também considera que as equipes de saúde se mostram mais preparadas em relação ao início da pandemia. Ela ainda relata que os momentos assustadores que viveu quando começaram os casos de Covid: “foi cena de terror, eu nunca vivi uma situação daquela. Teve hora que tive vontade de desistir”. 

 

Referências

TEIXEIRA, L. / BRAGANÇA, R. / BRITO, A. Jovens resistem mais ao vírus e ficam mais tempo internados, diz Gabbardo. UOL, 03 de mar. de 2021. Disponível em: <https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2021/03/03/nao-existe-outra-alternativa-que-nao-o-isolamento-diz-gabbardo.htm> Acesso em: 05 de mar. de 2021.

CANTERAS, C. Aumento de jovens com covid grave prejudica giro de leitos de UTIs. R7, 02 de mar. de 2021. Disponível em: <https://noticias.r7.com/saude/aumento-de-jovens-com-covid-grave-prejudica-giro-de-leitos-de-utis-02032021> Acesso em: 05 de mar. de 2021.

MELLIS, F. O que está por trás da alta das internações de jovens com covid. R7, 04 de mar. de 2021. Disponível em: <https://noticias.r7.com/saude/o-que-esta-por-tras-da-alta-das-internacoes-de-jovens-com-covid-04032021> Acesso em: 05 de mar. de 2021.

BARBIRATO, F. Covid-19: a sensação de superpoder dos jovens. Veja Rio, 04 de mar. de 2021. Disponível em: <https://vejario.abril.com.br/blog/fabio-barbirato/covid-19-a-sensacao-de-superpoder-dos-jovens/> Acesso em: 05 de mar. de 2021.

G1. Mutação presente na variante brasileira está na maioria dos casos em 6 estados, diz Fiocruz. G1, 04 de mar. de 2021. Disponível em: <https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2021/03/04/mutacao-presente-em-tres-variantes-consideradas-mais-transmissiveis-ja-esta-na-maioria-dos-casos-de-covid-em-6-estados-aponta-fiocruz.ghtml> Acesso em: 05 de mar. de 2021.

PORTAL FOLHA DE PERNAMBUCO. "Estamos no início de um período que deve ser de grandes dificuldades", diz secretário de Saúde. Folha de Pernambuco, 04 de mar. de 2021. Disponível em: <https://www.folhape.com.br/noticias/estamos-no-inicio-de-um-periodo-que-deve-ser-muito-duro-e-de-grandes/175041/> Acesso em: 05 de mar. de 2021.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »