05/03/2021 às 19h28min - Atualizada em 05/03/2021 às 18h24min

QR Code: uma caixinha com muito mais conteúdo

Código bidimensional criado no Japão revela mais informações numa velocidade dez vezes maior

Paulo Marques Pinto - Editado por: Celine Almeida
Foto: Markus Winkler/Unsplash

O Japão passou por um crescimento econômico na década de 1960. Nesse período, as caixas registradoras dos supermercados de bairro exigiam a digitação manual dos preços, o que levou os balconistas a desenvolverem dormência no punho. Além de código de barras, outra solução foi implantar o sistema de PDV, que consistia em exibir automaticamente o preço de um item de mercadoria. Quando o sensor ótico lia o código, as informações apareciam no computador. Porém, coube a Masahiro Hara e à equipe da Denso Wave começarem a desenvolver um código com o máximo de informações codificadas a uma alta velocidade.

O código QR é um padrão basicamente composto por quadrados, mas que permite a leitura de mais dados nas posições horizontal e vertical, ao contrário do código de barras, comumente lido apenas em horizontal e que aceita até vinte (20) caracteres alfanuméricos. De acordo com Hara, as marcas tinham de ser quadradas porque “era o padrão menos provável de aparecer em várias formas de negócios e coisas do gênero”.

Os desenvolvedores examinaram a proporção de áreas brancas a pretas em fotos e símbolos impressos e criaram uma de 1: 1: 3: 1: 1, levando à definição das larguras. Surgiu assim o padrão QR Code, capaz de ler cerca de 7.000 números e caracteres Kanji, numa velocidade dez vezes maior, porém lançado em 1994.

Na expectativa de tornar o código conhecido, Hara conseguiu que a indústria de automóveis o adotasse para melhorar o gerenciamento de tarefas como produção e emissão de boletos. No setor farmacêutico e de lentes de contato, passou a controlar as mercadorias. Descreveu o processo de produção e logística dos alimentos, em resposta aos consumidores apavorados com a doença da “vaca louca”.

Atendendo à proposta de permitir o uso massivo do QR Code, a Denso Wave abriu mão de seus direitos de patente. Em 2002, o marketing de celulares facilitou a tendência de generalizar o uso do código no Japão, permitindo acessar um site ou a geração de um cupom.

Em tradução literal, QR Code é um código de resposta rápida (em inglês, quick response) útil para diversas funcionalidades. Serve para emissão de cartões de identidade e bilhetes, informações sobre a história de locais e cidades, ações comerciais, promoções em programas de TV, tabelas nutricionais e outras infinitas motivações.

 

Como criar e codificar um QR Code

 

Existem serviços que fornecem ferramentas adicionais, análises de estatísticas e layouts predefinidos, mas limitam o número de acessos a cada código criado durante os testes gratuitos. Não é o caso do QRCode Monkey, aplicativo gratuito para uso pessoal e comercial.

Logo no início, é possível escolher entre endereço URL, texto, e-mail, telefone, SMS, localização e senha de Wi-Fi, além de embutir links de redes sociais. Inserido o link, altera-se a cor e o formato do código. A opção QR Code Templates permite selecionar modelos predefinidos. O resultado está disponível em Create QR Code, em verde, abaixo da prévia e já pode ser baixado.

Para ler o código, basta abrir um aplicativo específico, apontar para ele e tocar na tela para corrigir o foco. Assim, aparece a mensagem que revela o conteúdo “misterioso”.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »