07/06/2021 às 19h20min - Atualizada em 10/03/2021 às 17h17min

Técnica do upcycling dá vida nova aos produtos na indústria da Moda

O interesse pela reciclagem e a preocupação com o consumo consciente estão crescendo cada vez mais

Maria Eugênia Vaccari Padilha - Editado por Larissa Barros
Arquivo Pessoal/@cafusa.modaconsciente

Usar peças ou materiais já utilizados para confeccionar novos produtos, é uma técnica bastante conhecida no mundo da moda, chamada de upcycling. O termo existe desde 1994, quando Reine Pilz, da empresa alemã de tecnologia em automação, Pilz GmbH, argumentou sobre a necessidade de dar uma cara nova aos produtos já utilizados pelas pessoas, em uma entrevista a Kay Thornton, da empresa Salvo.
 

O interesse pela reciclagem e a preocupação com o consumo consciente estão crescendo cada vez mais e ganhando espaço dentro de marcas conhecidas mundialmente, como Puma.


Recentemente, ao resolver utilizar a técnica de upcycling, a empresa, juntamente com a designer Nicole McLaughlin, criaram uma jaqueta feita com luvas de goleiro que já haviam sido utilizadas e iriam para o descarte. A parceria não fica por aí, e promete a produção de outras peças feitas a partir da técnica.

Enquanto algumas marcas estrangeiras começaram a criar suas peças upcycling agora, na Baixada Santista, Camila Nogueira trabalha com isso desde 2017. No entanto, a Bióloga com pós graduação em Gestão Ambiental, e uma das donas da loja de bolsas e acessórios Cafusa, começou a marca em 2015 vendendo turbantes feitos de tecido. Mas, viu a necessidade de reduzir os impactos causados pela produção das peças, e trazer algo mais ecológico para a empresa:

“Conheci o fio de malha residual, fui buscar toda a história e em conjunto com a minha mãe e sócia, em 2017 desenvolvemos nossas primeiras peças Upcycling, utilizando das técnicas de crochê”, explica Camila.

Para a bióloga, a utilização do upcycling possui um papel essencial para redução de impactos no meio ambiente: “Na minha opinião, a maior participação do Upcycling é na contribuição para a redução de resíduos,  dessa forma reaproveitando sobras e assim reduzindo o consumo de combustíveis fósseis, água e reduzindo a geração de poluentes e gases estufa”, diz Camila.


Atualmente, o número de pessoas que possuem o interesse em fazer suas compras de forma mais consciente aumentou. Segundo dados fornecidos pelo relatório de revenda Thredup juntamente com a Global Data, no ano de 2019, 43% dos consumidores relataram que gastariam em marcas mais sustentáveis nos próximos anos.

 

Camila Nogueira explica ainda que, os consumidores realmente estão mais exigentes e se preocupam com os impactos da moda, mas que seu público é variável: “Atualmente já existe uma grande porcentagem das pessoas que compram com a proposta de estar consumindo um produto que tem uma proposta mais ecológica e artesanal, mas ainda existem muitos consumidores que compram pela estética do produto, ou para utilizar apenas uma vez em uma ocasião especial, com uma roupa especifica", conclui.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »