13/03/2021 às 16h55min - Atualizada em 13/03/2021 às 16h23min

Jornal uruguaio elege Marinho como melhor jogador da Libertadores 2020

Além do atacante do Peixe, jogadores do Palmeiras também ganharam destaque, como Rony, vice lider em assistencias na coopetição

Josimara Megiato Rodrigues - editado por Wesley Bião
Marinho, do Santos, comemora gol contra a LDU (Foto/Reprodução: Staff images /CONMEBOL)

No  último dia 10 de março aconteceu a tradicional eleição do melhor jogador da Copa Libertadores da América, realizada pelo  jornal uruguaio El País junto a quase 400 jornalistas de todo o continente. Com 80 votos (20,5%), Marinho, atacante do Santos, foi eleito o melhor jogador da competição, ganhando então o título de “Rei da América”. 

 

Ao longo da competição, o camisa dez do Peixe marcou quatro gols.  Apesar de não ter sido o artilheiro, o jogador foi peça importantíssima para a ascensão do clube dentro da competição. O Santos chegou à final contra outro clube brasieliro, o Palmeiras, o que rendeu não só um grande confronto entre dois dos maiores clubes do Brasil, como também confronto direto entre os melhores jogadores da competição, uma vez que, jogadores tanto do Verdão como do Peixe foram destaque da Libertadores

 

Neste caso, a grande final foi palco para a decisão do melhor jogador do América que estaria entre Rony e Marinho. O título da competição ficou com a equipe verde e branca, mas em contraponto o melhor jogador do continente é do alvinegro.


Rony e Marinho brigaram por título de Rei da América (Foto: Reprodução/ge.globo)
 

Além do melhor jogador, houve também a eleição de duas seleções, uma eleita por 400 jornalistas de toda América do Sul  e a outra por torcedores. A seleção escalada pelos jornalistas foi: Weverton (Palmeiras); Montiel (River Plate), Lucas Veríssimo (Santos), Gómez (Palmeiras) e Viña (Palmeiras); Pérez (River Plate), Fernández (River Plate), Marinho (Santos) e Soteldo (Santos); Rony (Palmeiras) e Borré (River Plate).

 

A opinião dos torcedores não foi muito diferente dos profissionais da imprensa. Na seleção destes, houve apenas duas mudanças: a do goleiro Armani, do River, no lugar do palmeirense Weverton, e o atacante Luiz Adriano do Palmeiras, na vaga de Rony, também do time alviverde. 

 

Ambas as seleções contam com um número relevante de jogadores dos dois finalistas. Além da final da competição ter sido protagonizada por dois clubes brasileiros, os jogadores de maior destaque da competição também são do Brasil. Além de Rony e Marinho, Soteldo e Lucas Veríssimo também foram destaque pelo Peixe, enquanto Gómez e Viña pelo time representaram a equipe palmeirense.

 

Nas mais recentes edições da Copa Libertadores da América, os clubes brasileiros fizeram bonito. Das  cinco últimas edições, em três delas clubes o título veio para o Brasil. Em 2017, o Grêmio de Renato Portaluppi; em 2019, o Flamengo de Jorge Jesus e nesta edição o Palmeiras, do jovem técnico português Abel Ferreira. Com isso, naturalmente, espera-se que surjam grandes destaques brasileiros para a América.

 

Em 2017, quando o Tricolor Gaúcho conquistou o título pela terceira vez, Luan, atacante gremista, foi eleito o “Rei da América”. O meio-campista Arthur foi a grande revelação da competição, ganhando o prêmio de melhor jogador da final do torneio daquele ano.  Dois anos depois foi a vez do Flamengo emplacar Bruno Henrique como craque da competição.

 

Na Libertadores de 2020, Rony e Marinho foram os maiores destaques. O jogador do Verdão foi uma grande surpresa, já que não vinha tendo grandes sequências pelo clube paulista. O destaque foi tanto que ao compará-lo com o rubro-negro Bruno Henrique, em 2019, o palmeirense  leva vantagem em números de gols por partida e assistencias. O camisa 11 do time verde e branco bateu recorde, sendo o segundo jogador com mais assistências na competição continental, ficando atrás apenas do atacante do River Plate, Matías Suárez, que teve oito assistências em 11 jogos.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »