19/03/2021 às 07h11min - Atualizada em 19/03/2021 às 07h08min

Ruth Rocha : 90 anos de pura história para contar

Com mais de 200 livros publicados, a escritora está produzindo mais um durante a pandemia

Lívia Oliveira - Editado por Andrieli Torres
Folha de S. Paulo
Foto: Reprodução/Google
Achar que ao decorrer dos anos nossa vitalidade e produtividade caem é, decerto, um pensamento um tanto arcaico que, se me permitem admitir, considero como mito. Ainda mais quando se trata de Ruth Rocha, com suas nove décadas de vida completadíssimas neste segundo dia de março. Precisa-se deixar claro, desde já, que a juventude corre com ela, uma vez que é preciso ter um cérebro bem jovem e fresco para produzir mais de 200 livros infantis.
 
Sua carreira inspira e influencia, ainda mais com tamanha produtividade em todos esses anos. Ela, que é nascida em São Paulo, teve uma infância gostosa e bem vivida, e daí já retiramos o porquê de tão boa escritora infantil. Ruth tem um jeito único de se comunicar com o público, como se fizesse parte dele. Mas, sabemos, um dia ela já fez parte deste público. E tem orgulho demais da sua infância, repleta de brincadeiras, amizades e apoio familiar. Ruth não tinha medo de ir às ruas brincar, assim como outras crianças também iam brincar na sua casa. E sua família era alegre, presente; os pais, dedicados e esforçadíssimos com os filhos. Anos de ouro foram esses, que mesmo em meio a Segunda Guerra em 1939, tinha-se ali do ladinho do pai, com o mapa da Europa, vendo-o mostrar e explicar como a guerra estava acontecendo
 
Uma tão linda e magnífica infância que causa certa inveja aos que não puderam viver uma do tipo. Mas está tudo bem, porque ler as obras de Ruth é como voltar no tempo e resgatar lembranças boas, ou até mesmo sentir uma infância que não teve, porém almejou ter. Uma das suas influências foi o seu avô, que era uma baita contador de histórias e despertava o interesse de Ruth. Ela pegou, assim, gosto pela leitura. E após sua formação em Ciências Políticas e Sociais, teve a chance de trabalhar na Revista recreio que, querendo ou não, a moldou para essa área literária voltada ao público infanto juvenil.
 
Sua carreira é demasiadamente brilhante e chega a ser bastante curioso o modo como alcança e enlaça a infância há muito vivida. De alguma forma, aparentemente Ruth sempre será uma criança brincalhona e trouxe uma carreira inteira para provar. Além disso, mostrou que contextos políticos e sociais podem encaixar, sim, em obras juvenis. O caso trata-se de "O Reizinho Mandão'', em que um rei mimado e autoritário vive mandando as pessoas calarem a boca, até chegar ao ponto das pessoas esquecerem como falar. No entanto, é só checar a data de lançamento do livro para compreender que ela se referia a ditadura militar. Conquanto, o medo e temor assola: por que esse tema soa tão atual?
 
E dentre as mais de 200 obras publicadas, uma das que mais tem destaque é 'Marcelo, Marmelo, Martelo'. Uma obra nitidamente atemporal que conquistou inúmeros leitores ao trazer Marcelo, um personagem que questiona exatamente tudo. É muito fácil para uma criança se identificar com os textos de Ruth, pois ela parece conhecê-las e entendê-las mais que qualquer coisa. Sua narrativa é doce e fluída, despertando a curiosidade dos pequenos. Sobretudo o modo como insere as crianças na literatura, fazendo uma apresentação e introdução delas no hábito da leitura. A criatividade dela não tem dó: despeja e molha todos os os seus livros com uma autenticidade surpreendente. 
 
E uma vez que estamos em 2021, para o alívio dos fãs, Ruth Rocha já tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19. E ela esbanja luz e jovialidade, e suas palavras são cobertas de paixão pela escrita. Aliás, em 2020, em plena pandemia, a autora publicou um novo livro, que contou com a coautoria da filha, chamado "Almanaque do Marcelo e da Turma da Nossa Rua", que faz parte do universo do seu best-seller. Sobre o mesmo livro, ela incendeia os corações dos leitores ao confirmar a transformação desse num produto audiovisual, uma série de TV. Contratação feita e produtora pronta, basta apenas aguardar o desenrolar da produção. Isso irá, de fato, expandir os horizontes acerca das obras de Ruth, que marcou inúmeras pessoas com suas palavras. 
 
Ademais, esse ano não teve festinha, não teve encontro, não pôde ter aquela aglomeração calorosa no aniversário. Mas tem novidade: Ruth está produzindo um novo livro nesta pandemia, ainda em fase de finalização. Então a expectativa cresce, encorpa-se, toma conta dos milhares de leitores. Toda a paixão de Ruth toma conta de todos os leitores, e ela inspira pais e crianças, inspira os familiares, os netos… Rompe aquele jeito engessado de fazer livros para criança, trazendo modernidade e coloquialismo à sua escrita. As crianças querem ser escutadas, entendidas, vistas. Ruth as permite sonhar.
 
E que se tudo começou num quintal onde brincava, na doçura da sua mãe "muito boazinha" — palavras da própria Ruth — e nas ironias e graça do pai enérgico; tudo valeu muito a pena. É de muita comoção que ainda continue tão ativa e alegre com os 90 anos mais do que bem vividos e uma infância gostosa bem fresca na memória. Seu papel é fundamental na educação e formação de repertório cultural desde os primórdios anos de vida dessas últimas gerações de brasileiros. Agradecemos a Ruth pela sua infância, porque, através dela, pôde-se abrir portas para inúmeras imaginações grandiosas.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »