19/03/2021 às 12h40min - Atualizada em 19/03/2021 às 12h18min

Como Jujutsu Kaisen se tornou um fenômeno

O anime que conquistou o público, vem liderando o ranking de mais assistidos no streaming, além de faturar premiações importantes

Maximiano Sousa - Editado por Ana Terra
Jujutsu Kaisen é um anime shounen de terror sobrenatural, baseado no mangá de mesmo nome, produzido pelo mangaká Gege Akutami e distribuído pela Shonen Jump, desde 2018.
A obra gira em torno de Yuji Itadori, um adolescente que vive como um estudante normal, até que, para salvar seus colegas de uma criatura amaldiçoada, ele engole um item raro e passa a abrigar em seu corpo, um ser conhecido como “Sukuna, o rei das maldições”. Desde então, instruído pelo seu mestre, Gojo Satoro, Yuji se matricula na escola de feiticeiros jujutsu, onde passa a estudar feitiços e enfrentar criaturas demoníacas ao lado de seus novos companheiros, Megumi Fushiguro e Nobara Kugisaki.
 
A animação estreou no dia 2 de outubro de 2020 e se tornou um sucesso logo após. Com o passar dos capítulos, foi ganhando cada vez popularidade. Em novembro, o serviço de streaming Crunchyroll, responsável pela exibição do anime no Brasil, confirmou que a obra ganharia uma dublagem em português — sendo que pouquíssimas animações japonesas são dubladas atualmente — notícia que impressionou principalmente pelo fato de a obra ainda estar sendo lançada no Japão.
Toda a sua fama também lhe rendeu a premiação de Melhor Anime do ano, além de outros dois prêmios, no Anime Awards 2021.
 
“Mas afinal, o que Jujutsu tem de tão especial?”
Jujutsu Kaisen é um “feijão com arroz bem temperado”. Não tem nenhuma grande novidade — aliás pesca conteúdo de diversas outras obras, tanto de enredo como animação — mas faz o básico muito bem feito.
 
Em primeira análise, é possível notar algumas similaridades com outro clássico da shonen jump, como o anime Naruto. Ambos apresentam um protagonista que abriga um demônio em seu corpo; um parceiro considerado rival e não muito sociável; uma garota de personalidade forte, além de um professor muito poderoso, que possui cabelos brancos e esconde parte de seu rosto. Mas é claro que ambos apresentam tramas diferentes.
 
Também vale ressaltar que as “inspirações” em outros animes não é algo exclusivo de Jujutsu Kaisen e muito menos um ponto negativo. Aliás, outro anime que já fez isso é o próprio Naruto: o exame Chunin é bem similar ao exame de seleção hunter, de Hunter x Hunter.
 
No geral, os animes shonen não se diferem muito uns dos outros. Já existe até um padrão dos típicos “animes de lutinha”, com batalhas bem coreografadas, visual bastante colorido e personagens principais um tanto quanto infantis. Então, cabe aos autores escolherem os pontos significativos que darão personalidade as suas obras, já que nem todos os espectadores estarão familiarizados com os chamados “clichês de shonen”.
“Mas se ele não inova em nada, por que fez tanto sucesso?”
Acima de tudo, o anime funciona muito bem como entretenimento, explora os seus personagens e sabe como desenvolver o seu universo. Apesar de Yuji ser o protagonista, ele não é nem o mais forte, nem recebe mais atenção do que os outros personagens. O tempo em tela é bem dividido entre os seus parceiros de equipe, além de sempre destacar um novo personagem ao longo da narrativa.
 
Um ótimo exemplo de personagem que caiu no gosto do público — e não é o protagonista — é o Gojo, sensei de Yuji e sua turma, que apesar de aparecer bem pouco em relação aos outros, quando ele está em tela já esperamos algo interessante acontecer, seja uma piada bem feita ou uma cena de ação arrepiante, pois o sensei já virou sinônimo de bons momentos. Essa técnica narrativa também é aplicada aos outros personagens, com situações distintas, o que faz com que nos afeiçoemos com cada um deles.
 
Assim como os personagens, a forma como a história é contada colabora de forma grandiosa para o sucesso da obra. Os poderes especiais desse universo são um dos pontos altos: misturando magias — que são individuais para cada feiticeiro — com batalhas corpo a corpo muito bem coreografadas, os feiticeiros enfrentam e exorcizam demônios, que são criados a partir de energias negativas que as pessoas exalam, amarrando muito bem cada ponto da trama.
 
A produção da série também merece ser elogiada. A adaptação ficou a cargo do estúdio Mappa, que já possui grande respaldo entre a comunidade de fãs de animes. O estúdio já produziu The God of High School — que se popularizou pelas suas cenas de lutas muito bem coreografadas e animadas —, além de ser o responsável pela última temporada de Attack on Titan, uma das sequências mais aguardadas dos últimos anos e que já teve a produção negada por outros estúdios. Ou seja, qualquer pressentimento de má qualidade na adaptação ficou para trás.
Com personagens cativantes, um enredo interessante e uma ótima qualidade técnica, Jujutsu Kaisen vem se consagrando como um dos animes mais populares dos últimos anos.
Se ele um dia alcançará o nível de outros shonen aclamados, como Dragon Ball Z, One Piece ou Naruto, só o tempo dirá. Mas o que já podemos dizer é que Jujutsu Kaisen é um dos principais novos fenômenos e já garantiu o seu espaço ao lado de animes como Boku no Hero Academia e Demon Slayer.

REFERÊNCIAS:
CRUNCHYROLL ANUNCIA DUBLAGEM “QUASE SIMULTÂNEA” DE ‘JUJUTSU KAISEN’ E MAIS 3 ANIMÊS. JBOX, 2020. Disponível em: <https://www.jbox.com.br/2020/11/11/crunchyroll-anuncia-dublagem-quase-simultanea-de-jujutsu-kaisen-e-mais-3-animes/>. Acesso em: 11 de novembro de 2020.
SOUSA, Laryssa. Jujutsu Kaisen: anime leva o prêmio de melhor do ano! Suco de Mangá, 2021. Disponível em: <https://sucodemanga.com.br/jujutsu-kaisen-anime-leva-o-premio-de-melhor-do-ano/>. Acesso em: 20 de fevereiro de 2021.
VIVEIROS, Melissa de. JUJUTSU KAISEN: VENDAS DO MANGÁ AUMENTARAM GRAÇAS AO ANIME. Legião dos Heróis, 2021. Disponível em: https://www.legiaodosherois.com.br/2021/jujutsu-kaisen-vendas-manga-aumentaram.html#:~:text=Jujutsu%20Kaisen%3A%20Vendas%20do%20mang%C3%A1%20aumentaram%20gra%C3%A7as%20ao%20anime,-A%20s%C3%A9rie%20est%C3%A1&text=Apesar%20de%20ter%20ido%20bem,o%20assunto%20(via%20ComicBook)>. Acesso em: 13 de março de 2021.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »