23/03/2021 às 20h43min - Atualizada em 23/03/2021 às 20h39min

Festas clandestinas na mira da PM

As operações para coibir a ocorrência de crime de propagação de doença contagiosa tem sido feitas em casas de eventos.

Ariel Vidal - labdicasjornalismo.com
Foto: Polícia realiza fiscalização contra COVID-19. - Foto/Reprodução Prefeitura

Durante o período atual, da pandemia de COVID-19 em que estados enfrentam fases mais severas quanto ao distanciamento, uso de máscaras, devido a lotação nos hospitais e falta de leitos, prefeitos têm intensificado as fiscalizações nos estabelecimentos, no entanto mesmo em meio às medidas de prevenção, festas clandestinas estão sendo realizadas, gerando aglomerações, além do uso de drogas, bebidas, e pessoas sem máscaras. 

 

Em meio a situação, o trabalho da Polícia tem sido intensivo na fiscalização, realizando a operação para coibir a ocorrência de crime de propagação de doença contagiosa em casas de eventos. Bairros de São Paulo já tiveram cerca de 500 pessoas flagradas em festas clandestinas, e organizadores foram autuados em flagrante. 

 

Já no Rio de Janeiro, a prefeitura proibiu festas públicas e particulares, e a permanência de pessoas entre 23h e 6h nas ruas, no entanto nas últimas semanas, imagens nas redes sociais mostravam uma festa clandestina, com pessoas sem máscara, em Copacabana, Zona Sul da cidade. As pessoas que estavam na festa faziam postagens na internet, mas o endereço não foi divulgado, pois só era descoberto no privado ou na hora. 

 

Recentemente o cantor Belo foi preso ao ser descoberto realizando um show gerando aglomerações. O artista também é investigado pela polícia que apura invasão à escola onde houve o evento na Maré. A operação foi feita pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) da polícia civil do Rio de Janeiro. 
 

Ao sair da Cidade da Polícia, o cantor afirmou para o portal G1. “Se eu não posso cantar para o público, a minha vida acabou." A polícia relatou que ele contribuiu para a disseminação do Covid-19, e violou a lei municipal que proibia aglomerações. A polícia apreendeu aparelhos de som, e outros pertences de Belo que foram encontrados na casa do artista, e todos os demais investigados. O cantor pode responder por infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa.

 

As medidas de restrições de alguns estados do Brasil estão sendo adaptados para conter o vírus, segundo dados da Our World In Data, até o momento temos o total de:

 
  • 353.293 mortes por covid no País;

  • Vacinados 20.654.434 de pessoas com pelo menos uma dose (9,8%);

  • 6.086.827 pessoas totalmente vacianadas (2,9%);

     

    Editora-chefe: Lavínia Carvalho


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »