24/03/2021 às 15h47min - Atualizada em 24/03/2021 às 15h23min

Governo Bolsonaro e contradições: relembre três dessas falas sobre a covid-19

Maria Mendes - Editado por Maria Paula Ramos
Fonte: Jade Scarlato / reprodução: Unsplash

“Ah, o Governo abandonou o tratamento do Covid. Ah, ele é anti-vacina. Ah, ele falou que era uma gripezinha. Estou esperando alguém mostrar um áudio ou um vídeo meu dizendo que era uma gripezinha. Estou esperando.” Este é um trecho da live do dia 11/03 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que ilustra as contradições nas falas do Governo e do presidente relacionadas à pandemia do Coronavírus.

 

Relembre três situações marcantes relacionadas à covid-19 em que Bolsonaro se contradisse:

 
  1. “Seria acometido, quando muito, de uma gripezinha”

 

Este trecho faz parte de uma fala de Jair Bolsonaro em março de 2020 em que o mesmo minimiza a gravidade da pandemia.

"Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria acometido, quando muito, de uma gripezinha ou resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico, daquela conhecida televisão", afirmou Bolsonaro. 

Como apresentado no início da matéria, um ano após essa declaração, Bolsonaro desmentiu que em algum momento teria se referido à covid-19 dessa maneira.

Confira um vídeo produzido pela UOL compilando essas duas falas contraditórias do presidente em resposta ao desafio proposto por ele:

 

 
  1. Coronavac: de vacina de chinesa de Dória a vacina do Brasil

 

A vacina, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, foi alvo de diversas críticas pelo presidente desde o anúncio da parceria. Sendo referenciada como vacina “daquele outro país” e sempre menosprezada em constantes comparações com o imunizante da Oxford em parceria com a FioCruz.

 

Em trecho de uma de suas lives semanais, Bolsonaro afirmou se direcionando à Dória, governador de São Paulo: 

 

“Ninguém vai tomar tua vacina na marra não, tá ok?" Procura outro. E eu sou o governo, o dinheiro não é meu é do povo, não vai comprar não, tá ok? Procura outro para pagar a tua vacina.”


Assista o trecho em vídeo:
 


 

Porém, após decisão da  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de aprovar o imunizante, em 17/01, Bolsonaro mudou o discurso, afirmando que a vacina "é do Brasil, não é de nenhum governador". O vídeo da fala está a seguir:

 

 
  1. E daí?” e solidariedade natalina

 

Ainda nos primeiros meses da pandemia, em abril de 2020, quando questionado sobre o número de mortos vítimas do Coronavírus, que registrava um recorde de mortes no período de um dia, Bolsonaro se posicionou não solidário às famílias. 

 

 "E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?", perguntou o presidente em entrevista no cercadinho.

 

Confira a fala em vídeo:
 


 

Em dezembro, no seu pronunciamento de Natal, houve uma total mudança em seu discurso. Desta vez, Jair Bolsonaro demonstrou em sua fala apoio às famílias das vítimas de covid-19.

 

"Solidarizo-me, particularmente, com as famílias que perderam seus entes queridos neste ano. Externo meus sentimentos, pedindo a Deus que conforte os corações de todos", disse. 

 

O vídeo do pronunciamento de Natal de 2020 pode ser visto na íntegra a seguir:
 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »