27/03/2021 às 11h56min - Atualizada em 27/03/2021 às 11h28min

A opressão da realeza britânica diante de Meghan Markle

A realeza está muito longe de ser um conto de fadas

Karinne Homci - editado por Larissa Nunes
Reprodução: CBS
ALERTA GATILHO – ESSA MATÉRIA CONTÉM CITAÇÕES SOBRE DEPRESSÃO E SUICÍDIO.
 
Meghan Markle é uma atriz norte americana, mais conhecida por seu papel na série Suits, que entrou para a realeza britânica ao envolver-se com o Príncipe Harry, filho caçula da Princesa Diana. Seu primeiro contato com o Reino Unido e com a imprensa britânica foi bastante cativante; Meghan era amada por todos por acharem que ela renovaria a monarquia britânica e modernizaria a realeza.
 
Ironicamente, assim que Meghan começou a quebrar as tradições reais, ondas de críticas por parte da imprensa começaram a surgir e não foram somente críticas relacionadas a isso. A verdade é que o Reino Unido é uma nação fortemente racista, e o fato da Duquesa de Sussex ser uma mulher negra teve um peso significativo nas rejeições.
Das diversas desaprovações direcionadas a Markle, muitas tiveram relação com Kate Middleton, Duquesa de Cambridge. A comparação entre as duas virou algo banal e ajudou a criar uma imagem de rivalidade entre elas.
 
Na época de seu casamento com o Príncipe Harry, muito se falava sobre uma suposta briga entre Meghan e Kate sobre as roupas que as daminhas deveriam usar, briga essa que terminou com Kate aos prantos. Temos também a clássica foto da mãe com a mão em sua barriga, enquanto Kate segurando sua barriga quando estava grávida foi visto como um ato de proteção; Meghan, ao fazer o mesmo, foi chamada de orgulhosa e vaidosa.
 
A saída de Meghan e Harry da Realeza Britânica (Megxit)


Em janeiro de 2020, o casal anunciou que iria deixar o posto de membros da família real. Os Duques de Sussex juraram continuar honrando a Rainha Elizabeth II, o Reino Unido e a Commonwealth, comunidade de nações independentes controladas pela monarquia britânica.

Em comunicado, Meghan e Harry falaram que iriam equilibrar seu tempo entre os Estados Unidos e o Reino Unido. Como razões principais para a escolha, eles afirmaram que queriam que seu filho crescesse tendo uma infância normal, longe dos afazeres reais, e que preferiram viver independentes financeiramente.

De acordo com uma pesquisa feita pelo jornal britânico Daily Mail, que é responsável por diversas críticas contra a Duquesa, grande parte dos britânicos falaram acreditar que o casal deveria “ser despejado de sua residência no Palácio de Windsor e devolver os £2,4 milhões em dinheiro público gasto na reforma do imóvel”.

Segundo a população, Meghan foi quase totalmente culpada pela escolha da mudança. Opinião padrão, visto o tom de inferioridade que é usado ao tratar-se da Duquesa.

No dia 7 de março de 2021, foi transmitida pela emissora norte americana CBS, a entrevista feita por Oprah Winfrey com os Duques de Sussex. A apresentadora deixou claro que nada estava combinado, que qualquer assunto poderia ser abordado e que Meghan não sabia o que iria ser perguntado.

Logo nos primeiros cinco minutos de entrevista, Oprah nos deleita com uma fala um tanto quanto importante para entendermos tudo o que se passou com Meghan, “todo mundo que se casa sabe que está se casando com a família também. No seu caso, você não estava se casando apenas com a família, mas com uma instituição de 1200 anos, com a monarquia”.

Casar-se com a monarquia, isso já nos dá uma certa noção das pressões que Meghan deveria está sofrendo. Ela também desmentiu ter feito Kate chorar e explicou que o que houve foi o contrário. “Um dia antes do casamento, ela (Kate) estava chateada sobre os vestidos das daminhas, e aquilo me fez chorar. E me machucou muito”, disse. Ainda explicou que Kate reconheceu o erro, mandou flores e um bilhete pedindo desculpas.
 
O racismo

Meghan entrou para a família real como uma mulher americana, atriz, divorciada e birracial. Isso com certeza teria seu peso ao psicológico da Duquesa, não? Não! Somente para a instituição isso era algo a levar em consideração. Meghan falou sobre como esses quatro anos relacionados a realeza a fizeram acordar para o fato de estar sendo silenciada e oprimida de maneira nefasta. Ela estava em um ciclo de opressão disfarçada de preocupação.
 
Durante conversas com membros da realeza e com Harry, Meghan soube que seu filho Archie, na época não nascido, não receberia um título e por consequência não teria proteção da instituição. Tendo em vista as convenções reais, mudá-las justo quando o primeiro membro de cor da família iria nascer, e não lhe dar um título como outros netos e bisnetos receberiam normalmente, foi um ato de tremenda deslealdade. 
 
Os problemas psicológicos de Meghan e sua comparação com a Princesa Diana


Imaginamos que fazemos parte da família real, possuindo grande poder e, visto que trabalhamos na governança de um reino inteiro e sempre somos atacados pela imprensa; caso necessário teríamos acesso a ajuda psicológica, certo? Errado. Pelo menos não foi o que aconteceu com Meghan e nem com a Princesa Diana. 

“Eu simplesmente não queria mais viver. E esse era um pensamento constante, aterrorizador, real e muito claro”, essas foram as palavras de Meghan sobre como estava se sentindo em relação a toda pressão que estavam exercendo sobre ela na época. Mesmo diante disso, o palácio negou ajuda.

Em uma de suas mais famosas entrevistas, Diana disse que batalhou contra a depressão pós-parto e que assim como Meghan, não recebeu nenhum tipo de ajuda ou suporte da família real. “Isso lhes deu um novo rótulo. Diana é instável, está em desequilíbrio mental, e infelizmente isso pareceu ficar em foco pelos anos que se passaram”, explicou.

Agora, ninguém melhor do que o próprio Harry para falar da relação entre sua esposa e sua mãe. Em 2019, ele publicou uma carta aberta onde falava sobre adotar uma ação legal contra a imprensa britânica pelo assédio a sua mulher.

“Embora essa ação possa não ser a mais segura, é a correta. Porque meu medo mais profundo é que a história se repita. Vi o que acontece quando alguém que eu amo é comoditizado a ponto de não ser mais tratado ou visto como uma pessoa real. Perdi minha mãe e agora vejo minha esposa sendo vítima das mesmas forças poderosas”, escreve.

O mesmo foi falado na entrevista com a Oprah:

"Meu maior medo era que a história se repetisse. O que eu estava vendo era a história se repetir, talvez de maneira mais perigosa, pois adicionamos a tudo o racismo, as redes sociais, e quando falo da história se repetindo, me refiro a minha mãe", conclui. 


Atualmente, o casal vive na Califórnia com Archie desde março de 2020 e estão a espera de uma menina que deve chegar no verão do hemisfério norte.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »