27/03/2021 às 21h45min - Atualizada em 27/03/2021 às 21h12min

Satoshi Kon e a válvula de escape da realidade

A vida e trajetória de uma das lendas do mundo cinematográfico

Ingrid Brandt - Editado por Ana Terra
Satoshi Kon é diretor, roteirista, animador e mangaká, trabalhava com obras que mesclavam a realidade e fantasia. Sua marca registrada, onde retrata o onírico e cotidiano como jamais visto antes, mexendo com imaginário do público e servindo de fonte de inspiração para diretores conceituados.

Vida
Satoshi Kon nasceu em 12 de outubro de 1963 em Kushiro, Kokkaido no Japão. Satoshi era irmão mais novo de Tsuyoshi Kon guitarrista, músico de banda e estúdio. Devido ao emprego de seu pai Kon, passou a estudar em Sapporo na Hokkaido Kushiro Koryo High School, onde iniciou o 2° ano do ensino médio lá. Sofrendo grande influência dos veteranos tornou-se fã de obras como Mobile Suit Gundam e Future Boy Conan. Ainda no colégio decidiu que queria ser um animador. Em 1982 formou-se em designer gráfico na Universidade de Artes em Masashino. Logo após o término da faculdade, criou seu primeiro mangá Toriko, em 1984, onde participou da décima edição do concurso Annual Tesuya Chiba Awards, conquistando o segundo lugar. Devido ao prêmio Satoshi teve a oportunidade de trabalhar com Katsuhiro Otomo, tornando-se seu assistente e o ajudando na edição e finalização do mangá Akira. Em 1987, concluiu a faculdade e escreveu um outro mangá Kaikisen. Se envolveu na realização de outras histórias em quadrinhos como Seraphim 266.613.336 e na produção do curta-metragem Magnetic Rose (Memories).

Obras
Com o estreitamento da amizade entre Otomo, rendeu o começo em um projeto chamado World Apartment Horror, filme lançado em 1991. História de Satoshi, dirigido e roteirizado por Katsuhiro Otomo e Keiko Nobumoto. Depois de anos trabalhando como colaborador em diversas obras Satoshi Kon pôde enfim dirigir seu primeiro longa, Perfect Blue, em 1994, tendo mais liberdade artística como diretor e roteirista. Kon sempre gostou de trabalhar com histórias complexas de personagens que criam uma personalidade como escapismo da realidade. A jovem Mima Kirigoe integrante de uma banda popular feminina, resolve abandonar a carreira como cantora e dar início a de atriz. Provocando uma tensão entre os fãs obcecados por ela. Mima ao aceitar papéis mais controversos, se vê presa em um conflito interno provocado pela falta de uma identidade própria. A obra teve o direito de imagem adquirido pelo diretor Darren Aronofsky, que acabou usando em certas cenas do filme Réquiem para um Sonho e mais tarde usados também em Cisne Negro.
Em 2001 veio o lançamento de Millennium Actress segundo filme do autor, que conta a ascensão da atriz Chiyoko Fujiwara ao abandonar o estrelato no auge da fama e um diretor à procura para produzir um documentário sobre sua vida de forma inusitada. Conforme Chiyoko conta sua trajetória imagens de suas memórias invadem a cena se misturando entre passado, presente e um possível futuro.
Tokyo Godfathers (2003), animação mostra um outro lado do Japão com moradores de rua, o que é pouco visto em filmes e séries no país. Três sem teto, Gin antigo ciclista alcoólatra, Hana uma drag queen e Miyuki uma adolescente que fugiu de casa encontram um bebê abandonado nas vésperas do Natal. Situações cômicas e misteriosas permeiam a trama, na tentativa de entregar a criança para a mãe. Com um temática mais leve, Kon consegue mostrar sua versatilidade com esta obra. Ótima pedida para apreciadores de comédia, fica a dica.
Paranoia Agent é estreado e encerrado no mesmo ano em 2004 com 13 episódios. Surge Paprika em 2006, filme que alterna entre a realidade e sonho causando devaneio entre o real e o fictício. Em um futuro, é criado DC Mini aparato capaz de entrar nos sonhos das pessoas, e que é utilizado pela psicoterapeuta Atsuko Chiba no tratamento psiquiátrico em seus pacientes. O aparelho é roubado e Chiba mergulha no mundo dos sonhos usando seu alter ego ‘Paprika’ para encontrar o responsável pelo crime. O filme serviu de inspiração para o diretor Christopher Nolan em Inception (2010).
Morte
O diretor Satoshi Kon faleceu em 23 de agosto de 2010, aos 47 anos, devido ao agravamento de um tumor no pâncreas. O diretor foi diagnosticado com câncer em estado terminal na época quando estava produzindo seu mais novo filme, Dreaming Machine que infelizmente não pôde conclui-lo. O fundador do estúdio Madhouse, Masao Maruyama disse que pretende terminar o filme, mas não encontrou alguém à altura de Satoshi.

Referências:
ARÊDE, Laila. Satoshi Kon e o seu legado para o cinema de animação. Design Culture, 2017. Disponível em: <https://designculture.com.br/satoshi-kon-e-seu-legado-para-o-cinema-de-animacao>. Acesso em: 27 de março de 2021.
BARCELOS, Roberto. Satoshi Kon: as obras principais do diretor mais importante do seu tempo. Zint, 2017. Disponível em: <https://zint.online/filme/satoshi-kon/>. Acesso em: 27 de março de 2021.
CODESPOTI, Sérgio. Morreu o diretor japonês Satoshi Kon. Universo HQ, 2010. Disponível em: <http://universohq.com/noticias/morreu-o-diretor-japones-satoshi-kon/>. Acesso em: 27 de março de 2021.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »