16/04/2021 às 23h59min - Atualizada em 16/04/2021 às 23h56min

Março teve o menor número de homicídios em 22 anos em Brasília

Em latrocínio, que recebeu atenção especial da SSP no ano passado, a queda foi de 70% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado

Rute Moraes - Editor: Ronerson Pinheiro
SSP/DF
Foto: Viaturas da polícia preparadas para as abordagens. Reprodução: SSP/DF.

 
O conjunto de políticas adotadas pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) fez com que o DF superasse as metas de redução da criminalidade. Um levantamento realizado pela secretaria mostra que março teve o menor número de vítimas de homicídios para o mês em 22 anos.
 
O número de vítimas dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, também foram os menores dos últimos 22 anos no mês de março. No trimestre, a redução desses crimes chegou a 35,3%, o que significa 48 vidas poupadas no período.
 
“Em 2019, antes da pandemia, tivemos a menor taxa de vítimas de homicídio dos últimos 35 anos. Isso mostrou que a estratégia estava dando certo, mas precisávamos avançar. Em 2020, superamos esse recorde com a menor taxa dos últimos 41 anos, mesmo diante das incertezas da pandemia. Continuamos nos aperfeiçoando, com estipulação de metas até o final de 2022 e avaliação contínua de resultados, para, assim, conseguirmos manter as reduções significativas do ano passado.”, explica o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo.
 
Nos primeiros três meses de 2020, o Distrito Federal teve 116 vítimas de homicídios e, no mesmo período deste ano, 82, marcando 29,3% de redução (34 vidas salvas.) Houve também redução de quase 30% nas tentativas de homicídio, de 212 para 149 registros. Em latrocínio, que recebeu atenção especial da SSP no ano passado, a queda foi de 70% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.
Os dados registram que 63% dos latrocínios de 2020 ocorreram nos três primeiros meses, o que revela a tendência de redução ainda mais acentuada no decorrer do ano. “O alto percentual de resolução pela Polícia Civil de crimes contra a vida foi muito importante nesse processo. A identificação e prisão de autores impacta a incidência desse tipo de crime, pois impede que esses criminosos reincidam ou mesmo sejam vítimas.”, diz Danilo.

O secretário destaca também a intensificação da operação integrada Quinto Mandamento, que efetuou três mil abordagens a pessoas e mais de 700 a veículos nos primeiros três meses deste ano. “A intenção da operação é simples: preservar o maior bem do ser humano, que é a vida. Para isso, focamos nossas ações em locais, dias e horários críticos para coibir o tráfico de drogas e para retirar armas ilegais das ruas, crimes que têm relação direta com os homicídios.”, completou.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho. 

 
 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »