16/05/2021 às 01h49min - Atualizada em 16/05/2021 às 02h19min

8 filmes que retratam crianças em conflitos políticos

Infâncias perdidas e amadurecimento precoce são consequências das guerras para as crianças.

Gabrielly Ferreira - Revisado por Isabela dos Santos
Filmes retratam crianças em conflitos políticos. (Foto: Reprodução).

Os conflitos políticos estão presentes no mundo desde o início da história da humanidade. O que sabemos é que guerras e tensões causam impactos negativos na vida de quem presencia. Crianças espalhadas por diferentes partes do mundo, em momentos distintos da história, tiveram a infelicidade de participar involuntariamente destes conflitos que causaram danos significativos na sua percepção de ver o mundo. Muitas infâncias roubadas e amadurecimento precoce demonstram quão maléfica são as guerras para a humanidade.

Confira oito filmes que retratam crianças em conflitos políticos:

1. O ano que meus pais saíram de férias (Cao Hamburger, Brasil, 2006)
Classificação indicativa: 10 anos


 

Mauro, um garoto de 12 anos, vivia uma vida tranquila até que um dia seus pais resolvem viajar, deixando ele com seu avô paterno que morre no mesmo dia em que ele chega a São Paulo. O garoto acaba ficando com o vizinho de seu avô, Shlomo, um Judeu solitário já de idade. O que Mauro e Shlomo não sabem é que os pais dele estavam sendo perseguidos pela ditadura militar e por isso não tinham data para voltar.

 

O filme é narrado por Mauro que diante da situação é obrigado a amadurecer e se adaptar enquanto espera uma notícia dos pais. As emoções implícitas nas atitudes do garoto são facilmente sentidas em cada cena ao longo do filme. Mostra os conflitos culturais entre Shlomo e Mauro traçando um paralelo entre a vida antes e depois dos pais viajarem. A paixão pelo futebol é quase que um acalento para o menino que espera dia após dia reencontrar a família para assistirem a copa do mundo de 1970 e serve como a linha que amarra todos os personagens da trama. O filme pode ser encontrado no Youtube.

2. A culpa é de Fidel! (Julie Gavras, França, 2006)
Classificação indicativa: 14 anos


Anna de la Mesa, uma garota de 9 anos que mora em Paris no início dos anos 1970, tinha uma vida tranquila e tradicional, mas com a morte do seu tio espanhol, que era militante comunista, vê sua vida mudar drasticamente. Seus pais, que antes tinham uma filosofia dos bons costumes, decidem se engajar na política e trocam a casa grande por um apartamento pequeno. Anna estranha a nova vida, mas aos poucos vai desenvolvendo uma compreensão do mundo a partir do  novo estilo de vida da família

 

O filme explora a resistência de Anna às mudanças. No decorrer do filme, a garota passa por uma crise de não pertencimento entre seu antigo e atual contexto que serve como base para os inúmeros questionamentos sobre a sua realidade que perpassa a filosofia, sociologia e a convivência familiar. Julie Gravas mescla a dramaticidade com um humor pontual discorrendo os efeitos colaterais das mudanças repentinas na vida de Anna. O filme pode ser encontrado no Youtube.

3. Beasts Of No Nation (Cary Fukunaga, Reino Unido, 2015)
Classificação indicativa: 16 anos

   

A adaptação do romance de mesmo nome, escrito pelo autor nigeriano-americano Uzodinma Iweala conta a história de Agu que, após a morte de parte da família por militantes, é obrigado a lutar na guerra civil da África do Sul ao lado de mercenários. Os caminhos para sobreviver na guerra civil do país é ensinado pelo seu comandante que oscila entre uma certa paternidade e brutalidade. 

 

Chega ser indigesto quando percebemos que uma criança, que até então tinha uma vida normal, se vê obrigada a lutar na guerra para sobreviver. Ao poucos, vemos Agu deixando compulsoriamente o lado da ludicidade para dar forma ao guerrilheiro raivoso que não sabe por quem e porque está matando, mas precisa matar para que a guerra acabe e assim reencontrar sua mãe e irmãos. O filme está disponível na Netflix.

4. Kamchatka (Marcelo Piñeyro, Argentina, 2002)
Classificação indicativa: Livre


 

Na década de 70, a família de Harry teve que se refugiar devido à perseguição da ditadura militar da Argentina. Agora, morando em uma casa no campo, afastada de Buenos Aires, o garoto pode estar perto dos pais que viviam ocupados com os movimentos políticos de esquerda
 

Diferente dos outros filmes citados, Piñeyro utiliza da sutileza para narrar momentos cativantes que poderiam ser os últimos entre a família e deixa o contexto da ditadura no imaginário de todos, o que causa apreensão em quem assiste. Diante deste cenário, Harry experiencia a sensação de ter os pais por perto, mas ainda com dúvidas sobre o porquê da mudança repentina de casa, identidade e afastamentos de amigos da escola. O filme é encontrado no Youtube.

 

5. Persépolis (Marjane Satrapi, França, 2008)
Classificação indicativa: 12 anos


 

A animação autobiográfica em preto e branco baseada na obra HQ de Marjane Satrapi, conta a vivência de Majane, que ainda criança,  presenciou a queda do Xá Reza Pahlevi e a sucessão de fatos marcantes da revolução Iraniana, até chegar na guerra com Iraque. Ao longo do filme, vemos o crescimento da garota que vai entendendo o contexto de seu país e se opondo aos extremismos. Até que, seus pais decidem enviá-la para Viena, mantendo ela segura do regime
 

A escolha das duas cores intensifica a narrativa, expondo cenas assustadoras que nos fazem refletir sobre os impactos da opressão política e religiosa na vida de Marjane. Em todo momento a menina, inconformada, sente o vazio do não pertencimento e a culpa por estar vivendo em tranquilidade enquanto todos do seu país vivem no inferno. Essa situação a faz desejar apenas viver uma vida normal como qualquer garota da sua idade. O filme pode ser encontrado no Youtube.

 

6. O Túmulo dos Vagalumes (Isao Takahatai, Japão, 1989)
Classificação indicativa: 12 anos

  

Dois irmãos, Seita e Setsuko lutam no período da Segunda Guerra Mundial, no Japão, pela sobrevivência em meio a miséria deixada pela guerra, após o pai deles ser convocado para defender o país na guerra e a mãe falecer em um bombardeio de aviões norte-americanos. De forma melancólica, capaz de arrancar lágrimas de quem assiste, vemos o amadurecimento forçado de Setsuko que toma para si a responsabilidade de cuidar da irmã

  

As cenas trágicas nos dão um soco no estômago. Ao mesmo tempo, o filme tem cenas singelas da relação dos irmãos, possibilitando esquecer as durezas da guerra. A trilha sonora conduz as sensações do filme. O Túmulo dos Vagalumes- tradução do filme para o português- é considerado um dos filmes mais marcantes do cinema japonês. O filme pode ser encontrado no Youtube.

 

7. Eu Não Sou Uma Feiticeira (Rungano Nyoni, Zâmbia, 2017)
Classificação indicativa: 12 anos


 

Depois de um incidente bobo em sua vila, Shula,uma menina de 8 anos, é acusada de bruxaria. A garota se torna culpada do incidente e é levada em custódia pelo Estado, sendo exilada em um campo de bruxas no meio do deserto. No local, em sua nova vida como bruxa passa por rituais de purificação e assim como outras mulheres é usada pelo turismo local.

 

O filme começa deixando todos desconfortáveis com turistas chegando ao local para um safári de bruxas presas com fitas em uma árvore. Ao longo do filme, é perceptível a impotência dos argumentos da garotinha, restando apenas o olhar de tristeza e inocência. Rungano revela a ignorância e exploração do governo que exila e transforma mulheres em atrativos turísticosO filme pode ser encontrado na Netflix.

8. Alemanha, Ano Zero (Roberto Rossellini, Itália, 1948)
Classificação indicativa: 16 anos

   

O último filme da Trilogia de Guerra, Alemanha, Ano Zero,conta a história de Edmund, um garoto de doze anos vivendo em uma Berlim pós-guerra, que procura trabalhar para sustentar o pai doente e a família pobre. Até que um dia passa pela sua cabeça matar seu pai enfermo

 

Rossellini,mesclando o real e o imaginário, cria um retrato de uma Alemanha pós guerra, onde uma criança de 12 anos toma para si as  preocupações da família e reprime suas emoções na tentativa de garantir a sobrevivência de todos. Edmund não escolhe deixar sua inocência, brutalmente arrancada pelo o contexto que estava inserido, mas precisa escolher entre manter ou tirar a vida do pai e isso causa aflição e questionamentos a ponto de tomar decisões trágicas. O filme pode ser encontrado no Youtube.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »