19/04/2021 às 21h31min - Atualizada em 19/04/2021 às 21h29min

Golpe na criminalidade: videomonitoramento tem auxiliado na investigação policial

Projeto de Lei 5662/19 prevê a obrigatoriedade da instalação de câmeras de segurança em áreas públicas nos municípios com mais de 30 mil habitantes

Ariel Vidal - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto: Pessoas em monitoramento - Reprodução\Grupo VSG

 
Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os crimes de latrocínio⁴ e contra o patrimônio⁵ têm tido número estável. Dois mil⁴ e para mais de mais de 490 mil veículos roubados⁵. Com isso, a segurança pública tem procurado meios para reduzir a criminalidade, e o investimento em câmeras de segurança de qualidade é apontado como um dos modos mais eficazes de capturar os elementos. De acordo com Adalberto Santos, diretor Superintendente em Segurança Corporativa, o videomonitoramento tem contribuído para o combate ao crime. “Primeiro que a criminalidade procura locais que não possuam esse sistema, então já se torna uma prevenção. Mas também auxilia na investigação e ostensividade, pois a tecnologia pode informar o caminho percorrido pelos marginais com a inteligência artificial.”, explica.

Uma Projeto de Lei 5662/19 prevê a obrigatoriedade da instalação de câmeras de segurança em áreas públicas nos municípios com mais de 30 mil habitantes, além da integração com o sistema nacional. A proposta do deputado Lourival Gomes (PSL-RJ), tramita na Câmara dos Deputados, e afirma que com a aprovação do projeto de lei, a criminalidade será diminuída. Contudo a utilização de alta tecnologia, junto a capacitação dos agentes, além da postura firme das autoridades será um conjunto para essa mudança. 

Observa que a integração de monitoramento já tem sido buscada ser instalada na maior parte dos estados, por trazer resultados mais eficazes, como pontua Adalberto Santos. “A tecnologia é uma ferramenta que não faz a segurança, mas aumenta consideravelmente o monitoramento.”, diz. Ele completa. “Vale lembrar que a implantação de câmeras de segurança não é novidade, no entanto são equipamentos antigos que não traziam o resultado buscado pela corporação.”, explica o diretor. 

Segundo uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo ((NEV-USP), no início da pandemia em 2020, houve um crescimento da violência em ações da polícia, o que tem chamado a atenção em alguns estados, como Rio, São Paulo e Bahia. Tais policiais acabam muitas vezes desestabilizando a cena criminal nos territórios, aumentando a violência. Santos ainda complementa que para desestimular o crime é preciso que locais ou empresas privadas instalem equipamentos de câmeras com razoáveis níveis de qualidade, caso necessário para prender os envolvidos no delito.

Diante disso, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informa que a instalação de equipamentos de qualidade de monitoramento aumentou em 60%, o que segundo eles já tem trazido resultados na fiscalização, facilitando a observação de acidentes e vandalismo. As imagens são enviadas para o Centro Integrado de Operações dos estados, como Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, podendo acompanhar e identificar suspeitos de crimes, bem como para monitorar o trânsito e os pedestres, além de contribuir, dessa forma para a investigação policial e redução da violência. 


Editora-chefe: Lavínia Carvalho

 
 
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »