30/05/2019 às 09h34min - Atualizada em 30/05/2019 às 09h34min

SpaceX dá início ao projeto Starlink

Ao todo, a empresa pretende formar uma constelação de 12.000 satélites na órbita terrestre

Thiago Oliveira - Manoel Paulo
SpaceX, Olhar Digital
A SpaceX, empresa do ramo aeroespacial do bilionário Elon Musk, está sempre na mídia por algum feito inédito, afinal, quem não se lembra do Tesla Roadster que foi enviado para Marte tocando a música Space Oddity do David Bowie? Pois bem, agora a empresa está comprometida no projeto chamado Starlink, que tem por objetivo montar uma constelação de 12.000 satélites na orbita baixa da Terra, a fim de oferecer internet de banda larga em escala global principalmente, para lugares mais remotos. O primeiro lançamento dessa missão ocorreu dia 23 de maio da Estação de Cabo Canaveral, na florida EUA.

Para tanto, foi usado o foguete Falcon 9 da empresa, que deixou os primeiros 60 satélites a uma altura de 440km da superfície, e de lá, eles usarão propulsores para alcançar os 550km de altura. Estes mesmos propulsores segundo a SpaceX, darão aos satélites a capacidade de se desviar autonomamente de possíveis detritos espaciais.

O projeto tem orçamento estimado de míseros US$10 bi, e conta com mais 5 lançamentos planejados para este ano, além de outros 6 até 2020, colocando até lá aproximadamente 720 satélites em operação.

Outras empresas já tem planos para montar constelações de satélites, como é o caso da Blue Origin, empresa do bilionário Jeff Bezos dono da Amazon, que pretende lançar 3.200 satélites com o mesmo intuito da SpaceX. Porém, o projeto da Blue Origin ainda não tem data para acontecer. A mesma empresa apresentou ao mundo recentemente o projeto Blue Moon, uma capsula lunar capaz de carregar até 6,4 toneladas de material para a lua. A plano finaliza com o pouso da capsula no polo sul da lua em 2024.

Esses engenhosos planos de constelação de satélites, já acendeu o alerta de astrônomos que argumentam que, esse enxame de dispositivos ao redor do globo poderia mudar o céu como o conhecemos hoje. Um dos principais motivos seria que os reflexos de painéis solares poderiam atrapalhar a observação de estrelas vistas da Terra.

Um astrônomo chamado Alex Park escreveu no Twitter “que o projeto da SpaceX pode fazer com que existam mais satélites em órbitas baixas que estrelas”. Elon Musk respondeu: “Existem 4.900 satélites em órbita e as pessoas os percebem em 0% do tempo. A Starlink não é vista a menos que você olhe com muito cuidado, e isso terá um impacto de 0% no progresso da astronomia. De qualquer forma, temos que colocar os telescópios em órbita”. Então, o plano segue a todo vapor.

Confira como foi o lançamento:


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »