15/09/2021 às 13h29min - Atualizada em 22/09/2021 às 11h25min

Adaptações | Assista as melhores séries baseadas em livros

Conheça quais são as adaptações mais bem faladas do momento que podem ser acompanhadas nas plataformas de streaming.

Beatriz Rabelo - Revisado por Isabelle Marinho
Imagem: Divulgação/Netflix. Montagem por: Beatriz Rabelo

As produções audiovisuais baseadas em livros são extremamente comuns e os fãs de literatura esperam constantemente por uma própria vez de ver sua obra preferida adaptada para a televisão ou cinema. Ainda assim, junto dessa eletrizante sensação de assistir seus personagens mais queridos nas telas, também existe o receio de não ser uma boa adaptação.

Um dos grandes segredos para adaptar uma produção com êxito, conforme o The Film Magazine, é honrar o material de fonte, em outros termos, honrar a essência da obra literária e seguir o material em que fundamenta aquele filme ou série de televisão de forma mais fiel possível. Além disso, vale mencionar, o quanto esses seriados e longas-metragens benfeitos incentivam crianças e jovens à leitura.

Sem mais delongas, acompanhe essa lista das melhores séries televisivas do momento que houveram seus roteiros retirados de grandes exemplares literários. 

Bridgerton (2020 - )

Um romance de época totalmente repaginado, Bridgerton se baseia na série de livros homônima escrita por Julia Quinn. A trama tem como pano de fundo o período regencial da Inglaterra, em Londres, na temporada de apresentação das debutantes à alta sociedade e segue em seu enredo a aristocrática família Bridgerton.

A primeira temporada tem como premissa o primeiro livro da coleção, O Duque e Eu, que da mesma forma como nas telas acompanha a vida da irmã mais velha, Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor), em busca do marido adequado e a de Simon Basset (Regé-Jean Page), o Duque de Hastings, um dos solteiros mais cobiçados pelas mães da elite, mas que está decidido em não se casar e, muito menos, continuar sua linhagem. A protagonista entra em um acordo de aparências com o Duque.

É o primeiro projeto produzido por Shonda Rimes para a Netflix e logo sua produção de estreia se tornou a série mais assistida da plataforma em apenas um mês após seu lançamento. Com uma aprovação de 70% em sites de críticas, o drama de época conquistou também o público atingindo em mais de 80 países o Top 10 do streaming de vídeo.

As diferenças entre o livro e a adaptação não enfraqueceram a qualidade da série. A maior mudança foi os atores negros escalados para viverem ingleses nobres, tornando a série uma realidade alternativa onde é confirmado as evidências de que a rainha Charlotte (1744-1818) tinha descendência africana, um debate que ocorre até os dias de hoje.

A série se tornou uma das adaptações mais queridas pelos amantes de literatura e com todo sucesso de Bridgerton, a Netflix já confirmou mais quatro temporadas que continuam a seguir a vida da família.

The Queen’s Gambit (2020)

O Gambito da Rainha é uma minissérie de drama que tem como trama principal o crescimento e amadurecimento da jovem Elizabeth Harmon (Anya Taylor-Joy) que se descobre um prodígio em xadrez ainda criança. A história baseada no romance de 1983 de mesmo nome escrito por Walter Tevis se passa entre as décadas de 50 e 60 e acompanha a vida de Harmon como enxadrista profissional.

A minissérie tem quase 100% de aprovação dos críticos e do público comum no site de críticas norte-americano Rotten Tomatoes e uma média de 80% em diversos outros sites. Também se tornou uma das produções mais assistidas da Netflix no período de sua estreia e entrou no Top 10 da plataforma em mais de 90 países e no Top 1 em mais de 60 países ao redor do mundo. O sucesso de O Gambito da Rainha no meio audiovisual também retornou o livro à lista de Best-sellers, os mais vendidos.

Todas as mudanças do livro para as telas da Netflix agregaram a história e enriqueceram a trama tirada da obra de Tevis ajudando, deste modo, no êxito que a minissérie teve. Essas alterações trouxeram o uso de personagens mais secundários no livro de forma eficiente e também mais representatividade para o enredo.

A qualidade da minissérie em questões de roteiro, fotografia, direção e elenco resultaram em dois prêmios do Globo de Ouro e na dica para aqueles que não assistiram ainda, que vale a pena conferir.

The Umbrella Academy (2019 - )

The Umbrella Academy é uma série original Netflix, desenvolvida por Steve Blackman e fundamentada na série em quadrinhos de mesmo nome escrita por Gerard Way e ilustrada pelo brasileiro Gabriel Bá. O enredo segue um grupo de sete irmãos adotivos com superpoderes que nasceram no mesmo dia, simultaneamente, de mulheres que não se encontravam grávidas até o momento do parto. Esse grupo de irmãos é nomeado “The Umbrella Academy” pelo seu pai adotivo Sir Reginald Hargreeves (Colm Feore) um bilionário excêntrico que os põem para combater crimes e salvar o mundo.

Um sucesso de audiência, a série se tornou facilmente uma das mais assistidas da plataforma e já está renovada para uma terceira temporada. A aprovação da produção Netflix ao todo está em um sólido 80%, porém sua temporada mais recente superou expectativas e em sites renomados como Rotten Tomatoes alcançou com 91% de críticas positivas, o selo “Certified Fresh" que é uma distinção premiada para as melhores séries e filmes.

Os quadrinhos já tendo conquistado prêmios e uma base de fãs fiéis não sofreu negativamente com as modificações da adaptação, muito pelo contrário, as diferenças trouxeram mais representatividade racial e LGBTQIA+. Tornando a série mais abrangente e com um com um público alvo muito mais diverso. 

Bom Dia, Verônica (2020 - )

Uma série brasileira original Netflix , Bom Dia, Verônica, tem como base o livro de 2016, homônimo escrito pela dupla Ilana Casoy e Raphael Montes sob o pseudônimo de Andrea Killmore, revelado apenas em 2019. Os dois escritores também participaram da produção da série na adaptação do roteiro. A trama acompanha a escrivã de polícia, Verônica Torres (Tainá Müller) que vê sua vida em risco quando passa a ajudar Janete (Camila Morgado), que sofre violência doméstica de seu marido Brandão (Eduardo Moscovis).

Em sua estreia na plataforma de streaming, a série entrou para o Top 10 de produções mais assistidas do Brasil e continuou sendo uma das mais acessadas pelos usuários nas duas semanas seguintes ao seu lançamento. A adaptação também conta com o prêmio APCA de Televisão na categoria de dramaturgia e de melhor atriz/ator para o seu sucesso.

Ainda que com algumas alterações de caracterização e introdução de novos personagens chegaram a ser alvo de críticas, o êxito da série foi inegável e assim como a produção, renovada para uma segunda temporada, a obra de Casoy e Montes também ganhará uma sequência.

The Haunting (2018 - )

The Hauting, originalmente The Hauting of Hill House, é uma série de drama e terror antológica criada por Mike Flanagan para a Netflix, conhecida no Brasil como A Maldição da Residência Hill, em sua primeira temporada e A Maldição da Mansão Bly em sua segunda temporada. Com histórias totalmente diferentes, a primeira temporada é vagamente baseada na obra A Assombração da Casa da Colina de 1959 de Shirley Jackson, já a sua segunda temporada é fundamentada no livro de fantasmas A Outra Volta do Parafuso escrita por Henry James.

Em seu lançamento, a série antológica foi um grande sucesso e sua sequência, embora não tão aclamada pelos fãs quanto sua antecessora, foi muito bem recebida e a foi a produção mais assistida em sua época de estreia. Ao todo, dispõem de uma média de 90% de aprovação dos críticos e grandes chances de mais uma temporada para a antologia.

As mudanças da obra para as telas foram extensas, com bastante alterações em personagens que já existiam e a criação de outros que tornaram a trama em uma drama familiar, ademais ao enredo de terror. A série explora problemas atuais como doenças mentais, desde ansiedade até sua extensão em paralisia do sono. Resultando em uma série em que você possa relacionar suas experiências com as dos personagens.

Lupin (2021 - )

Uma série francesa criada por George Kay e François Uzan para a Netflix, Lupin, tem como base o personagem Arsène Lupin que protagoniza diversos romances e novelas policias escritos por Maurice Leblanc. A produção conduz em seu roteiro, Assane Diop (Omar Sy) um ladrão profissional que se inspira nas aventuras de Arsène Lupin para se vingar de uma família rica por uma injustiça cometida contra seu pai.

Segundo, o Deadline, Lupin é a primeira produção francesa a alcançar o Top 10 da plataforma nos Estados Unidos e entre outros países. No Brasil, também chegou ao Top 10 e se tornou uma das séries com maior audiência do primeiro trimestre de 2021, na Netflix. Em suas críticas detém quase 100% de aprovação no Rotten Tomatoes e uma média igualmente alta em outros veículos de críticas.

Esse lançamento, de acordo com o Uol, alavancou as buscas pelo livro Arsène Lupin: O Ladrão De Casaca (1907) que contém as primeiras aventuras do personagem. Isso faz com que a produção francesa seja mais uma das séries que incentivaram o consumo de leitura ao redor do mundo.

Normal People (2020)

Uma minissérie irlandesa de drama, Pessoais Normais, foi produzida para televisão, BBC Three e Hulu. No Brasil, a série se encontra no serviço de streaming Starzplay ou também em parceira na plataforma da Amazon Prime Video. Baseada na obra Best-seller de mesmo nome da Sally Rooney, a história conta a relação conturbada de Marianne Sheridan (Daisy Edgar-Jones) e Connell Waldron (Paul Mescal) desde sua época de escola até seus tempos de faculdade.

A produção irlandesa se tornou um fenômeno de audiência, criticamente aclamada e conta com aprovação de quase 100% por parte não apenas das críticas profissionais, como também de críticas positivas da audiência comum. Agregando a esse sucesso, a trama detém indicações do Globo de Ouro e do Critics Choice Awards de melhor minissérie e atriz/ator.

Com um roteiro e um elenco excelente e fiel, as diferenças de livro e adaptação não trouxeram nenhuma estranheza ou irritação aos fãs, e para a audiência que não leu os livros a minissérie se tornou uma produção ainda mais completa pela forma como aborda relacionamentos íntimos.

The Handmaid’s Tale (2017 - )

O Conto da Aia , uma distopia de drama, é uma série que foi criada por Bruce Miller para o serviço de streaming Hulu. É baseada no romance homônimo da canadense Margaret Atwood, publicado em 1985. A história se passa em um futuro não muito longe onde, devido à poluição e às doenças sexualmente transmissíveis, a taxa de fertilidade mundial diminuirá o que ocasionará em um regime totalitário que se estabelece nos Estados Unidos. Esse novo governo acaba por retirar principalmente os direitos das mulheres, como ler e escrever. A trama segue Offred (Elisabeth Moss) que é uma “handmaid”, uma das mulheres sem direitos que tem como único intuito procriar.

O drama conta com o selo “Certified Fresh" em todas as suas três temporadas lançadas e uma média de 80% de avaliação em críticas positivas. A produção também tem em seu bolso prêmios desde o Globo de Ouro e o Emmyaté a premiação britânica, o BAFTA. A sequência do livro de Atwood, Os Testamentos, ganhou na categoria de melhor ficção na premiação de voto popular do Goodreads.

O grande sucesso dessa adaptação se deu a fidelidade ao livro e a caracterização impecável da produção. E se tornou uma queridinha dos fãs brasileiros que podem assistir a série pelo Globoplay.

Killing Eve (2018 - 2022)

Killing Eve: Dupla Obsessão é uma série britânica de suspense produzida para a BBC America. Baseada na série de livros Villanelle, de Luke Jennings, a trama é centralizada em Eve Polastri (Sandra Oh), uma investigadora da inteligência britânica encarregada de capturar Villanelle (Jodie Comer), uma assassina psicopata. Mas, ao seguir da história, as duas se tornam igualmente obcecadas uma pela outra, em um jogo épico de gato e rato.

O suspense televisivo recebe vastas críticas positivas desde seu lançamento em 2018, com uma aprovação da crítica especializada e do público de mais de 80%. Sua terceira temporada teve uma audiência ainda maior do que a anterior e está, no momento, renovada para sua quarta e última temporada, com previsão de estreia para 2022.

Os muitos personagens acrescentados à série e as diferenças no enredo não atrapalharam em nada a adaptação em seu sucesso. Principalmente, com as performances de tirar o fôlego das atrizes principais, Sandra Oh e Jodie Comer, que entraram no personagem perfeitamente. A série pode ser encontrada no catálogo do Globoplay como uma das mais vistas da plataforma.

Big Little Lies (2017 - 2019)

Pequenas Grandes Mentiras, uma produção de drama, foi criada e escrita por David E. Kelley para a HBO, como previamente uma minissérie. A trama segue em sua primeira temporada o livro de mesmo nome de Liane Moriarty, já a segunda temporada seguiu uma novela de Moriaty escrita especialmente pelo interesse da HBO em fazer mais uma temporada. A história central gira em torno de cinco mulheres: Madeline (Reese Witherspoon), Celeste (Nicole Kidman), Jane (Shailene Woodley), Bonnie (Zoë Kravitz) e Renata (Laura Dern), que vivem conflitos em seus relacionamentos e cotidiano e se veem de repente envolvidas em uma investigação de caso de assassinato.

O drama foi aclamado criticamente desde seu roteiro e atuação, até a cinematografia e trilha sonora e recebeu nada menos que 16 indicações ao Emmy, conquistando 8 dessas indicações. Nos sites de críticas, recebeu também grande aprovação do público comum, obtendo desta forma uma audiência gigante superando, em sua segunda temporada, 16 produções dramáticas do canal.

A adaptação sofreu mudanças, como sempre acontece nessas produções televisivas, principalmente no final da série. Essas modificações fortaleceram o mistério em volta da trama que diferente do livro deu muito mais espaço para mais temporadas.

Depois de ter originalmente sido pensada como uma minissérie, Pequenas Grandes Mentiras conta com duas temporadas e rumores de que uma terceira temporada é uma grande possibilidade para esse sucesso.

Shadow And Bone (2021 - )

Sombra e Ossos é uma série produzida por Eric Heisserer para a Netflix, baseada na trilogia best-seller mundial Grisha que tem Sombra e Ossos como o primeiro livro e na duologia do mesmo universo Six Of Crows da escritora Leigh Bardugo. A série tem como trama principal o enredo do primeiro livro, que conta a história da órfã Alina Starkov (Jessie Mei Li), que descobre que tem um poder para unir novamente seu país, que há décadas é separado por uma barreira maciça de escuridão, onde criaturas perigosas vivem.

Agora, a série teve seu lançamento na sexta-feira do dia 23 de abril e é uma grande aposta da lista para ser mais um dos sucessos baseados em literatura da Netflix e da atualidade. Em pouco tempo, já possuiu o selo “Certified Fresh" do Rotten Romatoes com 89%, que é uma distinção premiada para as melhores séries e filmes e se encontrou no primeiro lugar do Top 10 do Brasil logo no segundo dia no catálogo. A sua aprovação por parte do público quase alcança 100% e vem sendo muito bem elogiada pelos fãs das obras.

A produção teve que fazer diversas alterações, pois tomaram a decisão de adaptar a trilogia e a duologia em uma só série, apesar da duologia se passar após os acontecimentos de Sombra e Ossos e, assim, criando novas linhas de história para personagens que seriam apresentados depois. Porém, essas diferenças, independente de terem sido drásticas, foram muito bem recebidas por parte do público fiel aos livros. Dentro de pouco tempo, a adaptação Netflix se mostrou mais um grande sucesso de audiência e críticas positivas e está renovada para sua segunda temporada.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »