24/05/2021 às 22h36min - Atualizada em 24/05/2021 às 22h07min

O lado mais azedo de Olivia Rodrigo em SOUR

No dia 21 de maio de 2021, a cantora lançou seu novo álbum e nos entregou o disco perfeito para a trilha sonora dos términos de relacionamentos

Luize de Paula - editado por Luhê Ramos
Foto: NME/ Hanina Pinnick
O meteoro Olivia Rodrigo chegou há pouco tempo e já fez o maior estrago. A americana de origem filipina começou a ganhar visibilidade na nova série de High School Musical, que estreou no Disney+ em 2019 e segue em sua 2º temporada. Olivia iniciou sua carreira na música com “All I want'', escrita para a série, e que hoje já soma mais de 70 milhões de visualizações no YouTube.


No início de 2021 a cantora lançou o hit “Drivers License'', que viralizou no Tik Tok por causa da polêmica por trás da letra e pelos vídeos cômicos dos fãs. Há rumores de que a música era uma indireta para o ex de Olivia, seu co-protagonista da série de HSM, Joshua Basset, e a atual namorada Sabrina Carpenter. Teorias e análises da letra dominaram a internet e levaram a música - que é chiclete - a viralizar. Com produção e co-autoria de Dan Nigro - que produziu outros artistas como Conan Gray, Lewis Capaldi e Billy Idol - o álbum conta com duas músicas que já alcançaram o Top 10 da Billboard Hot 100 nos Estados Unidos. 
 
Escrito durante a pandemia, SOUR é aquele álbum ao qual todos que já tiveram seu coração partido conseguem se identificar. Sem medo de falar sobre ser insegura, ciumenta e raivosa nas suas relações, Olivia entregou um disco sobre o primeiro término de namoro. Na obra, podemos ver todos os estágios do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Esses são sentimentos pelos quais em algum momento da vida todos passamos. Isso mostra o porque é tão fácil de compreender as letras, mesmo não sendo sobre os clichês amorosos, mas sim sobre o lado negativo e ‘azedo’ das relações.
 
Em “Brutal”, primeira música do disco, ouvimos um pedido de Olivia nos primeiros segundos: “I want it to be, like, messy” [Eu quero que isso seja, tipo, uma bagunça], e seu desejo é realizado. Barulhenta e repleta de gritos, a letra é um manifesto adolescente. Cansada de ter 17 anos, ela expressa toda sua raiva com a idealização que criou sobre a idade e a decepção que teve com a pressão e a maneira com que as coisas são “brutais”. Já na canção seguinte, “Traitor”, podemos ver o eterno debate de o que é traição e o que não é num relacionamento. “Demorou duas semanas para você ficar com ela, você não me chifrou, mas ainda assim é um traidor” são palavras calmas que saem da boca de Olivia com um tom de tristeza e lembram “Heather” de Conan Gray - não sendo à toa, já que Dan produziu ambas.


 
“Drivers license”, a música que fez com que o álbum fosse o que é hoje, vem logo em seguida. Mostrando também a influência de Taylor Swift - a maior inspiração para a carreira de Olivia - vemos “1 step forward, 3 steps back”, uma música que explora a voz e o piano de maneira calma sobre as inseguranças, o medo de se machucar novamente e o sentimento de estar em uma corda bamba com seu parceiro. Os vocais também lembram os de Billie Eilish, que também é uma das ídolas da cantora, sentimento que ambas têm uma pela outra. Outro single do álbum é “Deja Vu”, que também estourou nas redes sociais pelas teorias, análises e Tik Toks.

 
Mais um pop punk do álbum, “Good 4 U” começa lenta e explode com a ironia expressada pela cantora para o ex. Trazendo um ar de Rock dos anos 2000, além das referências à década no videoclipe, essa é uma das músicas que, de maneira animada, mostram todo o potencial da garota. Só voz e violão na faixa seguinte, “Enough For You” é sobre se encaixar nos padrões de alguém para ser amado. Podemos sentir mais uma vez a tristeza e o arrependimento de Rodrigo ao tentar ser quem não era para que pudesse ser o inalcançável suficiente.

 
Com seu piano, Olivia canta em “Happier” sobre o ex ter a superado e sobre estar aceitando sua situação atual e admite que mesmo que tivesse sido egoísta no passado, espera que ele esteja feliz - mas não mais do que com ela. “Jealousy, Jealousy” é um pop calmo com uma batida e mostra a revelação que ela tem de si mesma, sobre o quanto é ciumenta - e reprova seu comportamento. Já “Favorite Crime” é um momento de clareza do álbum com diversas vozes seguindo Olivia e mostra seu desejo de ter algum tipo de resposta do ex sobre o que foi o relacionamento deles. Na última música, “Hope Ur Ok” é fechado o ciclo e vemos que Olivia - ainda com lembranças do que aconteceu - está pronta para superar todas as decepções do passado, sendo a canção perfeita para seu encerramento.
 
Tudo que podemos fazer é passar pela montanha russa de sentimentos que é o disco e sentir cada palavra cantada por Olivia - e no fundo agradecer Joshua por ter partido seu coração para que pudéssemos apreciar essa obra de arte que é SOUR.

Clique aqui para ser direcionado ao álbum completo.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »