31/05/2021 às 17h23min - Atualizada em 31/05/2021 às 17h18min

Helio Castroneves brilha e vence as 500 milhas de Indianápolis pela quarta vez

Com o resultado, piloto brasileiro igualou recorde de maiores vencedores da corrida

Felipe Sousa - labdicasjornalismo.com
Helio Castrovenes celebra vitória em Indianapolis (Foto: Stacy Revere/Getty Images)
Em um resultado histórico para o automobilismo brasileiro e mundial, Hélio Castroneves venceu as 500 milhas de Indianápolis pela quarta vez. O piloto superou Álex Palou nas voltas finais para igualar o recorde de A.J. Foyt, Al Unser Sr e Rick Mears como maiores vencedores da Indy 500. Simon Pagenaud completou o pódio, com Pato O'Ward, em quarto, e Ed Carpenter, fechando o Top 5. Tony Kanaan foi o décimo, e Pietro Fittipaldi cruzou a linha de chegada em 25º.

A corrida teve a presença de 135 mil pessoas, cerca de 40% da capacidade do Indianapolis Motor Speedway, no maior evento público registrado nos Estados Unidos desde o início da pandemia de Covid-19 no país. Além de ser o único não americano no panteão de maiores campeões das 500 milhas, Castroneves, aos 46 anos e 20 dias, é o quarto piloto mais velho a vencer a corrida, superado apenas por Al Unser Sr em 1987 (47 anos e 360 dias), Bobby Unser em 1981 (47 anos e 93 dias) e Emerson Fittipaldi em 1993 (46 anos e 169 dias).

A corrida

Antes da largada, Will Power passou por apuros: o australiano foi obrigado a passar nos boxes devido a um problema em sua Penske, mas conseguiu sanar o problema e alinhar em 32º lugar. A largada não teve incidentes, com Colton Herta tomando o primeiro lugar de Scott Dixon. Castroneves também largou bem e saltou para o sexto lugar. Ainda nas voltas iniciais, Rinus Veekay passou por Herta e Dixon e assumiu a liderança da volta.

Na primeira janela de pit-stops, durante a 30ª volta, Ed Carpenter deixou seu carro morrer nos boxes, perdendo tempo e posições. Em meio ao caos nos boxes da Carpenter, Stefan Wilson perdeu o carro na entrada dos boxes e se chocou contra o muro, abandonando em seguida e causando a primeira bandeira amarela da prova.

As coisas também não andaram bem para Dixon e Alexander Rossi: atrapalhados pela bandeira amarela, sofreram com panes secas pela falta de combustível e tiveram problemas para sair do pitlane, tendo que sair duas voltas atrás dos líderes. A relargada se deu na volta 47, com Conor Daly na liderança e Castroneves em terceiro lugar.

A segunda janela de pit-stops foi aberta na volta 68 com Veekay, seguido por Daly duas voltas depois. Castroneves assumiu brevemente a liderança, mas a deixou após entrar nos pits na volta 77. Com metade da prova concluída, o Top 5 tinha Daly, Veekay, Pato O'Ward, Ryan Hunter-Reay e Herta.

Scott McLaughlin foi punido na volta 117 por ter entrado rápido demais no pitlane e ter colocado os mecânicos em risco. Logo depois, a segunda bandeira amarela: depois de uma trapalhada da equipe RLL nos boxes, a roda traseira esquerda do carro de Graham Rahal se soltou logo depois do piloto ter deixado o pitlane – o veículo desgovernado atingiu o muro, com um dos pneus tendo acertado o bico do bólido de Daly. Na relargada, durante a volta 125, O'Ward e Castroneves passaram por Palou, com o mexicano na ponta. Palou reassumiu a liderança na volta 131.

Da volta 136 em diante, Castroneves se limitou a seguir Palou na liderança, sem ataca-lo. Mais uma janela de pits foi aberta, com o catalão parando na volta 148 e o brasileiro na volta 150, seguido por O'Ward e Juan Pablo Montoya. Will Power se atrapalhou no pitlane e rodou, perdeu tempo e deu adeus a qualquer chance razoável de disputa.

A última janela de paradas foi aberta na volta 169, com Newgarden e Daly. Foi Simona de Silvestro quem rodou dentro do pitlane desta vez, sem bandeira amarela. Helio Castroneves e Álex Palou passaram a travar uma árdua disputa, primeiro com a ultrapassagem do brasileiro na pista e o troco do piloto espanhol nos boxes. Depois, Castroneves ultrapassou novamente e tentou segurar a posição, enquanto O'Ward observava de perto.

Os líderes eram Felix Rosenqvist, J.R. Hildebrant e Takuma Sato, que tentavam um sprint final sem parar nos boxes. Palou retomou o quarto lugar de Castroneves e Hildebrant parou nos boxes faltando 14 voltas para o fim. Rosenqvist não resistiu e também parou na volta 192, ao passo que Castroneves dava o troco em Palou.

Sato parou na volta 193 e Palou retomou a liderança faltando quatro voltas para o fim. No entanto, Castroneves deu um belo bote para reassumir a ponta e cruzar a linha de chegada em primeiro lugar. Foi a primeira vitória de Castroneves na novata equipe Meyer Shank, que também estreou na Formula Indy neste domingo. A Indy retorna nos dias 12 e 13 de junho para o Grande Prêmio de Detroit.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »