10/06/2021 às 12h33min - Atualizada em 10/06/2021 às 12h33min

Do sonho para as estantes: conheça Satine Cunha, a mente por trás de Entre Olhos Azuis

Criatividade, teimosia e perfeccionismo, esses foram os três ingredientes usados por Satine Cunha para redigir suas primeiras palavras como escritora

Raphaela Victor - Editado por: Brenda Freire
Navegando pelos mares cibernéticos da internet, você já deve ter se deparado com o termo Fanfiction, fanfic para os mais chegados. Caso não, aqui vai uma simples explicação desse fenômeno que é capaz de juntar as tribos, desde os fascinados por anime até os admiradores de celebridades.

De acordo com o dicionário online Significados, Fanfiction são histórias ficcionais criadas por fãs para os fãs. O autor/fanfiqueiro, cria sua própria narrativa em cima de um universo já existente, usando os mesmos personagens e extraindo tudo o que puderem do material original para criarem o seu.

Apesar de serem ‘linkadas’ para o publico mais jovem, as ‘fics’ já perambulam por um bom tempo na sociedade, na verdade, elas existem desde o fim dos anos 90 – quando um grupo de fãs do seriado americano Arquivo X escreveu histórias envolvendo os personagens da série.

O boom aconteceu mesmo nos anos 2000, quando sites como Fanficton.net, Nyah Fanficion, Spirit Fanfics e Histórias, Wattpad, começaram a surgir especialmente para a publicação desse novo gênero literário. Entretanto, há quem torça o nariz para os autores de fanfics, afinal, se a história já existe, por que raios você a leria em outra versão?
Pois, se você já leu a trilogia de Cinquentas Tons de Cinzas da autora E. L. James, a saga Os Instrumentos Mortais da Cassandra Clare, ou por ventura se encontrou fascinada pela escrita de Ana Todd em After, fique sabendo que todas essas obras eram FANFICS! Antes de virarem obras originais, já acumulavam legiões de fãs que se apaixonaram pelas versões criadas de personagens tão marcantes, como no caso de Edward Cullen, o qual serviu como esboço para o Christian Grey.

As fanfics podem ser os potes de ouros no fim do arco íris para novos escritores, no caso de Satine Cunha, a autora de Entre Olhos Azuis, certamente foi, assim como Anna Todd. Em 2014, ela decidiu juntar suas duas paixões da época: escrever e One Direction, surgindo ali o manuscrito do que se tornaria o seu primeiro trabalho publicado.
Por conta de seu enredo cativante, a jovem autora alcançou a marca de 1 milhão e 400 visualizações no Wattpad e admiração de inúmeros leitores com uma fanfic inspirada no shipp Larry – casal fictício que surgiu a partir da amizade de Harry Styles e Louis Tomlinson quando integraram a boyband One Diretction.



Entre Olhos Azuis conta a história de Andrew Smith e Oliver Thomas, sendo o primeiro um garoto cego desde a infância que tem seu mundo virado de cabeça para baixo ao conhecer Oliver, o qual o ensina independente de suas limitações, que a vida ainda vale a pena a ser vivida. O enredo da obra de Satine desabrochou de uma forma bem inusitada.
“Na época que sonhei com a história eu era muito, muito fã do One Direction e criava umas histórias aleatórias na minha cabeça como toda fã né, só que o contexto do sonho foi pouco diferente da história da fanfic, porque a protagonista do sonho era uma mulher e ela era cega e ela ia para o show do One Direction e conhecia eles no camarim. Então meu sonho serviu de base, acabei gostando do enredo, já tinha escrito algumas fanfics antes, e pensei por que não escrever essa também? Aí decidi tentar”, comenta Satine.

Inspirada por seu sonho e dando espaço para a sua imaginação aflorar, com apenas 14 anos, a autora se dedicou durante um ano em seu romance, passando por diversos obstáculos durante o caminho: bloqueios criativos, pressão e autocobrança para alcançar uma perfeição não só para os seus leitores como para si mesma. Por estar convivendo com as mudanças da adolescência deixou que a sua vida influenciasse em sua história.
“Essa história me acompanhou por processos muito importantes da minha vida, e muitos dos desejos e das inseguranças de alguns personagens eram baseados na minha personalidade, tenho um carinho muito grande por ela e quando eu escrevi Entre Olhos Azuis no final de 2014, já havia muitas questões LGBTQ+ em mim, porque eu sou bissexual”, afirma a escritora.

Além de introduzir o leitor á uma narrativa LGBTQ+, Satine também fez questão de incluir um romance onde o personagem principal fosse deficiente visual.
“Sempre resumimos a pessoa com deficiência à deficiência que ela tem, então parei e pensei o por que não escrever sobre isso, dar palco e mostrar que uma personagem com deficiência tem uma vida que não é só sobre a deficiência dela.”, conta.

Com o sucesso do romance entre Andrew e Oliver, em 2020 a obra entrou no radar da editora Whalien, especializada na publicação de fanfics. Assim, fecharam o contrato após quase mil leitores e antigos fãs demostrarem interesse na versão  autoral de Satine.
“Não cai a ficha, parece uma coisa muito, muito distante e quando acontece é uma sensação esquisita e estranha, mas boa ao mesmo tempo, e quando as pessoas vêm me agradecer ou elogiar o livro eu ainda fico gente eu que escrevi é, né (risos)” , explica.

Atualmente aos 22 anos, Satine realizou o sonho de sua versão mais jovem que passa horas na madrugada inventando mil e uma histórias e se arriscou o suficiente para compartilhá-la com o mundo. De um sonho surgiu seu enredo e, com as suas palavras expressou o seu amor de fã. De uma fanfic, nasceu um livro com capa de brochura e 350 páginas.
“Para os leitores, eu quis demonstrar uma sinceridade, uma ingenuidade, um romance, uma coisa com que as pessoas se identificassem e gostassem de ler e que entendessem que independente de ser um relacionamento LGBTQ+ ou não, independente do personagem principal ser deficiente visual ou não, ele tem uma vida normal, uma família, sonhos,  a coisa mais clichê do mundo, que todo adolescente têm, e é isso que eu quero, que as pessoas se conectem com os personagens da mesma forma que eu me conectei com eles quando escrevia.”, relata.

A trajetória de Andrew pode ter chegado ao fim, entretanto, a de Satine não. Apesar de não ter planos para um novo livro em um futuro próximo, ela pretende transformar mais duas de suas fanfics em obras originais, com a data de lançamento prevista para o ano que vem. Ela se chamará Studio, uma comédia que quebra a quarta parede e UTI um clichê não tão clichê, ambos romances LGBTQ+.
E se mesmo após esse relato o seu nariz continua torcido em relação as fanfics, sinto lhe dizer meu caro, você pode estar deixando passar um universo fantástico onde o único limite é a sua imaginação.

Acompanhe Satine nas redes sociais:
@jeonlyblue I Instagram 

Onde achar Entre Olhos Azuis
https://editorawhalien.com.br/produtos/entre-olhos-azuis-satine-cunha/
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »