13/06/2021 às 00h57min - Atualizada em 13/06/2021 às 00h39min

Ragnarok: O herdeiro dos poderes de Thor amadurece na segunda temporada?

Juliane Alvarenga - Editado por Ana Terra
Ragnarok se passa em uma pequena e fictícia cidade norueguesa de Edda, onde os habitantes são misteriosos e grandes nomes não são o que dizem ser. Entenda o início da história dos deuses e gigantes na matéria feita aqui no Lab no início do ano. 
 
No dia 27 de maio a Netflix disponibilizou em seu catálogo a tão esperada segunda parte da série. Com apenas 6 episódios e cerca de quase 50 minutos cada, a produção conseguiu dar um enorme salto de qualidade que pode despertar o interesse de quem gosta de mitologia nórdica.

Além da mitologia, contextualizada para a atualidade, a série aborda a trajetória de amadurecimento de Magne (David Stakston) um adolescente herdeiro dos poderes de Thor. Boa parte da primeira temporada é focada na descoberta e experimentação de seus novos poderes, enquanto na segunda ele precisa estar preparado para enfrentar a concretização da profecia.   

Se no início conhecemos o lado mais fraco e indiferente de Magne, o enredo mostrou minuciosamente seu desenvolvimento o deixando cada vez mais confiante. Mas ainda assim sua imagem fica bem distante de algo parecido com a popular imagem de um deus do trovão.

É nítida a preocupação da produção em com o passar do tempo deixar o jovem com a aparência mais parecida a dos deuses nórdicos. Assim as roupas mais largas, os óculos e o cabelo com franja cobrindo a testa, vão ficando para trás, o jovem parece maior e mais forte. Embora o protagonista tenha um porte largo como de um guerreiro viking, não usa a típica barba cheia ou os cabelos compridos tão associados com a imagem de Thor.

Mas aparência aparte, o paralelo mais associado entre Magne e Thor é a capacidade de manipular raios e trovões e o uso do poderoso Mjolnir o martelo que nunca erra seu alvo e sempre volta para as mãos de seu dono após arremessá-lo.     


Até o momento não há nenhuma confirmação oficial da Netflix sobre um possível terceiro ano da série, como ainda está recente a chegada dos episódios que acabaram de ser lançados, nem tão cedo teremos novidades. Mas considerando a audiência é bem provável que seja renovada e a esperança é de que Magne esteja maduro o bastante para fazer jus ao seu legado. Que venha a grande batalha final e nos surpreenda!

Alguém avisa que Loki roubou a cena!

A segunda temporada apostou suas fichas na inclusão de novos personagens e maior destaque aos já conhecidos. Laurits (Jonas Strand Gravli) o irmão de Magne, se consolidou e roubou a cena ao se descobrir Loki, o deus da trapaça.  Sua atuação sarcástica e como agente duplo chama mais atenção e conquista o carisma dos telespectadores mais que Magne o protagonista. O rancor de Laurits é perigoso e ainda trará grandes emoções.

No geral, a produção acabou superando seu início pois conseguiu abraçar mais a fantasia rendendo um bom drama, como os fãs esperavam.  Demonstrando mais uma vez que sabem ouvir, melhorar nas fraquezas e investir nas qualidades, deixando ao final com aquele “gostinho” de quero mais.  

Se ainda não viu, mas ficou interessado, confira o trailer oficial:




REFERÊNCIAS
ELOI, Arthur. ‘Ragnarok dá enorme salto em qualidade na 2ª temporada’, OMELETE, 2021. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/netflix/criticas/ragnarok-2a-temporada-critica>. Acesso em 08/06/2021.
PERRI, Aléxis. ‘Crítica: Ragnarok – 2ª Temporada’, OBSERVATÓRIO DO CINEMA, 2021. Disponível em: <https://observatoriodocinema.uol.com.br/criticas/2021/05/critica-ragnarok-2a-temporada>. Acesso em 08/06/2021.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »