02/07/2021 às 10h23min - Atualizada em 02/07/2021 às 10h09min

Pandemia e suas consequências na vida das crianças

Crianças como Lindsay Dornelas ganharam peso neste último ano

Ianna Oliveira Ardisson - Edição por Brenda Freire
Fonte/Reprodução: Google
Vida de criança também é afetada com tantas mudanças vividas em tempos de COVID-19. A pequena Lindsay, com apenas 6 anos, sentiu no próprio corpo os efeitos dessa pandemia. A menininha ganhou 5 quilos em 2020. “As roupas começaram a ficar muito apertadas, as calcinhas estavam machucando as pernas dela e os botões das calças não fechavam”, conta Morgana Dornelas, mãe da Lindsay.

Os pais marcaram, então, uma consulta com uma pediatra em janeiro deste ano, a qual ponderou que a criança já estava acima do peso antes da pandemia, tendo engordado ainda mais com essa situação estressante vivida por todos nós. Para a melhora e bem-estar de Lindsay a médica aconselhou uma mudança na alimentação e a prática de exercícios físicos.
 
Toda a família precisa se adaptar para alcançar as metas propostas para um dos integrantes da casa, e foi o que aconteceu no lar da Lindsay. Os pais dela precisaram tomar algumas providências para alcançar o objetivo da diminuição de peso, a família decidiu cortar pela metade a ingestão de açúcar refinado e aumentou o consumo de frutas e legumes. Além disso, em fevereiro deste ano Lindsay começou a fazer academia três vezes na semana, dentre as atividades que pratica estão esteira e circuito. E sabe quem decidiu acompanhar a criança na academia? A mãe. Morgana se matriculou junto com a filha e tem tido resultados de perda de peso nessa nova rotina.
 
A mãe da Lindsay relata que a filha teve várias alterações como consequência da pandemia, foi observado compulsão alimentar, “ela só parava de comer quando acabava e não quando estava cheia”, comenta. Outra mudança na vida da criança foi a questão do   sedentarismo, “por causa da pandemia ela estava ficando muito tempo em casa, apenas com a televisão”, conta Morgana.

Além disso, a mãe observou que ela estava com baixa autoestima, “sempre dizendo que estava gorda e que queria ser bonita”. Para lidar com tudo isso a família precisou agir e, assim, Morgana passou a frequentar a academia com a filha, diminuíram drasticamente a compra de alimentos industrializados e para superar o quesito baixa autoestima sempre reafirmam a beleza dela.
 
Os efeitos da pandemia nas crianças são sérios e precisam da atenção dos pais, os quais podem recorrer a especialistas quando necessário. A família da Lindsay observou que a ansiedade era mais visível nela no início da pandemia e que diminuiu bastante ao praticar exercícios, entretanto a mãe considera que ainda tem sido difícil lidar com a ansiedade da criança apesar da melhora observada.
 
Algo novo na rotina da família da Lindsay foi a chegada de um cachorrinho como presente dado a ela pelos pais. Com essa nova companhia ela pode brincar e fica mais ativa. A mãe conta que “tem dia que ela corre atrás dele o dia todo”. A família tem agora também o compromisso de passear com o cachorro, dessa forma têm mais um momento para se movimentar.
 
Esse aumento de peso das crianças durante a pandemia tem preocupado os pediatras. O assunto é um dos temas de discussão da Sociedade Brasileira de Pediatria. Observa-se que entre os fatores que contribuem para essa situação, estão o fato de os adultos estarem sobrecarregados em suas rotinas e não conseguirem, cuidar da própria alimentação, nem a dos filhos.
 
Os médicos alertam que o excesso de peso pode acarretar doenças como diabetes e hipertensão ainda na infância. O cuidado com a saúde das crianças deve ser um esforço de todos. É possível com algumas atitudes prevenir a obesidade infantil. Para prevenção alguns cuidados simples podem ser tomados pela família como: uso controlado de televisão, games e internet; realizar as refeições a mesa com cardápio rico nutritivamente; incluir atividades físicas na rotina das crianças; melhorar a qualidade nutricional dos lanches escolares e melhorar hábitos alimentares de toda família.
 
Durante o “Conanutri”, Congresso de Nutrição, a nutricionista Daniella Machado alertou para os riscos da obesidade infantil em tempos de pandemia. Como consequências da situação atual na vida das crianças ela relata algumas queixas recorrentes em consultório: insônia; irritabilidade; compulsão alimentar; sedentarismo; déficit de atenção; baixa autoestima e depressão. A nutricionista faz um alerta, ainda, sobre a qualidade do sono, pondera que o consumo exagerado de alimentos açucarados durante o dia prejudica as crianças no momento noturno de descanso. A família precisa estar atenta a esse fator e cuidar para que os pequenos tenham uma alimentação nutritiva durante todo o dia.
 
É preciso considerar que esse momento atípico da história tem consequências difíceis de lidar em nossa vida adulta e reflete na vida das crianças, as quais, de repente, precisaram viver em um mundo totalmente diferente do que estavam acostumadas. O afeto familiar é essencial para acolher as crianças nesses momentos difíceis de pandemia, não podemos esquecer de dar a elas a atenção e cuidado que necessitam.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »