05/07/2021 às 21h32min - Atualizada em 05/07/2021 às 20h42min

Peru: muito mais do que só o Machu Picchu

Conheça tantas outras belezas e curiosidades do turismo peruano além de Machu Picchu

Heloísa Marques Barbosa - Editado por Ynara Mattos
Machu Picchu, Peru - Imagem: qualviagem.com.br
Quando se é mencionado sobre o Peru, instantaneamente associa-se a uma das sete maravilhas mundo, mais precisamente a quinta: Machu Picchu. Com certeza há diversos fatores pelos quais esse grande atrativo turístico é tão conhecido mundialmente, dentre eles a história de como surgiu, por exemplo. Entretanto, por estar totalmente sob holofotes os quais motivam os turistas a visitar exclusivamente para conhecê-lo, tantos outros atrativos peruanos tão belos e interessantes quanto acabam perdendo a devida visibilidade e reconhecimento.

A princípio é importante compreender a razão, pela qual o Machu Picchu possui tamanha reputação. A começar por sua história:

O sítio arqueológico de Machu Picchu está localizado atualmente na cidade de Águas Calientes, e antes de ser descoberto, em 1911, era conhecido como “a cidade perdida dos incas”, que de fato sempre instigou pesquisadores e arqueólogos. Segundo pesquisas, foi construído por volta do século XV. A montanha onde suas estruturas foram erguidas, como pirâmides em degraus, templos, calendários solares e outras construções em pedra, ficam próximas a Cuzco, considerado um dos mais importantes centros urbanos da antiga civilização inca. Outra particularidade desse local é que havia o costume de domesticar de lhamas e alpacas, famosas por estarem na base da economia do povo quíchua, já que delas eram extraídas a lã, além de servir para transporte de carga e alimento.

 
"Muitos acontecimentos significativos ocorreram na região de Cuzco para a formação do país, fazendo parte da história dos hispanohablantes." afirma a peruana Sandra Rodriguez de 26 anos, complementando que a história do surgimento, além das lendas, do Machu Picchu é a principal razão de contribuir para que o local seja tão interessante e visitado.

O turismo peruano é uma das fundamentais bases importantes que sustentam sua economia nacional, segundo o INEI (Instituto Nacional de Estatística e Informação-órgão do governo peruano que controla os sistemas nacionais de estatística e dados no país), o turismo é considerado a terceira maior indústria do país atrás somente da pesca e mineração.

Evidentemente o Peru possui um imenso potencial para contribuir com o crescimento da economia, principalmente devido a grande diversidade de cultura, gastronomia, povoados e tantas paisagens belas. Entretanto, surge o questionamento do porquê não há esse aproveitamento máximo de tanta diversidade turística.

 
"A falta de apresentação e propaganda de todos os outros atrativos turísticos, além do Machu Picchu, é a principal razão de isso acontecer" afirma Sandra, o que se diz respeito aos grandes responsáveis por essa função, o governo e as agências turísticas.
 
"Aqueles que desejam visitar Machu Picchu, acabam contratando e comprando pacotes prontos pelas agências de viagens, o que atrapalha muito no "marketing" dos outros pontos turísticos, afirma a peruana Thalyta Rodrigues de 18 anos, estudante de publicidade e propaganda. Ela diz que deve haver incentivos, oferecidos por essas agências, para conhecer os outros destinos peruanos, proporcionando uma ampla opção àqueles que possuem interesse em conhecer, visto que se informam da existência desses lugares. A peruana, que atualmente reside no Brasil, ainda complementa dizendo haver uma certa comodidade do governo em não investir em outros locais, o que se dá pelo fato dele se "satisfazer" economicamente o suficiente somente com o Machu Picchu e viagens correlacionadas a ele.

Outro contribuinte para essa "escassez turística", segundo Sandra, que vive no Peru, se deve pelo fato de o país estar em desenvolvimento, considerados um dos últimos da América Latina no que se diz respeito a esse processo, e assim fazendo com que os outros países, sejam eles subdesenvolvidos ou desenvolvidos, não deem tanta importância.

A pandemia, com certeza, desfavoreceu a situação já instável em que se encontra o turismo peruano. Com a preocupação do governo em frear as contaminações e mortes pela covid-19, o turismo deixou de ser a última prioridade para se tornar um problema a mais para se resolver. Quanto às agências de turismo, se encontraram em uma crise ocasionada pela quarentena determinada às populações mundiais. Se pessoas eram recomendadas a não sair de casa, quem dirá sair do país, além das fronteiras de certos países que foram fechadas, impedindo a entradas de turistas e até, em alguns casos, dos próprios nativos que estavam em viagem e tentavam retornar aos seus países.

Ambas as entrevistadas esperam e acreditam que o turismo do Peru se recupere, ao decorrer da aceleração da vacinação contra o coronavírus, e se reestabeleça, de alguma forma atraindo novamente diversos turistas do mundo todo não só para Cuzco, mas como também para os tantos outros atrativos. Como sugestão, Sandra diz que para ampliar o reconhecimento de seu país mundialmente, deve-se criar um protocolo para os setores de turismo. "Começar desde o zero para poder focar mais para frente em problemas maiores", ela finaliza.
 
Confira e conheça alguns dos pontos turísticos muito interessantes recomendados pelas entrevistadas:

Fortaleza de Keulap, Chacapoyas

​Conhecida como a "segunda Machu Picchu", por possuir a mesma temática e estilo de ruínas, porém sem deixar de ser encantadora e intrigante. É um importante sítio arqueológico pré-Inca localizado nos Andes (nordeste peruano), construída pela cultura Chachapoya (origem do nome da cidade). Se estende por cerca de 600 metros e tem como perímetro uma muralha que pode chegar a 20 metros de altura. Estima-se que a sua construção iniciou no século XI, coincidindo com o período de florescimento da Cultura Chachapoya e sua ocupação terminou em meados do século XVI.
 

Cataratas de Gocta

Considerada a terceira cachoeira mais alta do mundo segundo a National Geographic, com altitude de 1600m, duas quedas desaguando no rio Cocahuayco. Só foi descoberta em 2002 em uma expedição feita pelo alemão Stefan Ziemendorffsua e exploradores peruanos. A primeira queda das Cataratas de Gocta (131m) fica próximo ao povoado de San Pablo, e a segunda queda tem (540m) que está próxima à Cocachimba.

Laguna Titicaca, Puno

Situado na fronteira entre o Peru e a Bolívia, é considerado o maior lago da América do Sul e, por estar a 3811m acima do nível do mar, se torna o lago navegável mais alto do mundo. Alimenta Cinco grandes rios: Ramis, Coata, Llave, Huancanz, e Suchez, e mais de vinte outros córregos menores que terminam nesse local. O lago tem 41 ilhas, entre naturais e artificiais, algumas das quais são densamente povoadas.

Canyon de Colca                                               

Um cânion formado pelo rio Colca, no sul do Peru e localizado a cerca de 160 quilômetros a cidade de Arequipa. É o terceiro destino turístico mais visitado do país, com cerca de 120 mil visitantes por ano. Possui uma profundidade de 4 160 metros, o que é duas vezes mais profundo que o Grand Canyon (EUA). Uma das atrações mais conhecidas desses vales é a observação dos condores (condor-dos-andes), a maior ave voadora do mundo. A população local mantém suas tradições ancestrais e continuam a cultivar os terraços agrícolas construídos pelas civilizações antigas.


          


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »