10/07/2021 às 01h36min - Atualizada em 10/07/2021 às 01h23min

Saiba o porquê cada vez mais os livros digitais vêm ganhando espaço entre a comunidade literária

Atualmente os ebooks e outros conteúdos digitais representam 6% do mercado editorial brasileiro, de acordo com a pesquisa anual Nielsen

Raphaela Vitor - Editado por Andrieli Torres
Foto: Perfecto_Capucine por Pixabay
O sonho de todo leitor é dispor de uma biblioteca à sua disposição, com todos os seus livros preferidos, versões em capa dura, edições especiais e por aí vai. Infelizmente nem todos possuem um espaço ou dinheiro para tornar esse sonho real, entretanto, nos últimos tempos, os livros digitais ou Ebooks como são conhecidos, parecem ter se tornado a solução ideal.

O fator monetário é um dos principais motivos para a mudança de formato de leitura, na pesquisa divulgada pela Câmara Brasileira do Livro em julho deste ano, mostrou que um livro digital é 40% mais barato que um físico, e só em 2020 a compra de Ebooks aumentou em 83% em relação ao ano retrasado.

Apesar de ser o principal, o dinheiro não é um fator exclusivo para essa mudança, a praticidade dos leitores digitais, ou Ereaders, também vem chamando a atenção  “Eu já gostava do Kindle pela facilidade na comodidade que era carregar ele na bolsa, mas não era motivo suficiente para eu comprar, lembro que o que fez eu trocar de ideia na hora foi quando eu vi que ele tinha dicionário embutido, eu tinha começado a ler livros em inglês na época e era muito trabalhoso, porque eu não sou fluente então tinha que ficar com o livro em uma mão e o dicionário aberto no celular na outra. Quando eu vi que no Kindle você simplesmente clicava e tinha a tradução na hora decidi comprar um na mesma semana que descobri essa funcionalidade, ele tem várias ne, mas essa foi a que me fez realmente comprar um”, relata a estudante universitária Mariana Lião.

Ela adquiriu um Kindle Paperwhite em 2019 e desde então optou por não comprar mais nenhum livro físico. “Eu comecei a acumular livros e por mais que eu doasse, não tinha motivo mais para eu ficar tendo esse bem material, se eu só estivesse lendo livros em português e pequenos eu estaria comprando os livros físicos por mais que o preço seja completamente diferente, mas a sensação do livro físico ninguém supera, porém, as minhas leituras são baseadas cem por cento em livros em inglês agora, não consigo ler eles impressos, tirando o fato que são muito caros também, não consigo mais voltar para o livro físico por conta disso.”

O Kindle é um dos leitores digitais mais famosos e queridos entre a comunidade literária, produzido e vendido pela Amazon,  e com a popularização do aparelho a empresa investiu em um upgrade para a sua versão mais básica, o Kindle da 10ª geração, que agora também conta com iluminação embutida com LEDs, e custa em torno de R$ 331,00, perfeito para quem deseja testar um leitor digital, mas não quer desembolsar muito dinheiro para isso (uma dica de ouro é esperar pelas promoções Black Friday ou o Prime Day onde o preço diminui bastante).

Suas versões mais caras o Paperwhite (R$ 499,00) e Osasis,( 1.149,00), fornecem mais atrativos, ambos são à prova d’agua e possuem opção de armazenamento de 32GB e uma maior quantidade de LEDs, 5 e 25 respectivamente, sendo ótimas opções para os fã de Ereaders que querem fazer um upgrade.

Mas existe uma diferença entre a leitura digital e a física?
A resposta é: SIM!

Apesar do intuito ser o mesmo, no caso ler, existe de fato algumas diferenças entre as duas práticas. A primeira é o fator sensorial, enquanto no livro físico você tem a sensação ao passar os dedos nas folhas e sentir a textura ao passar por entre as páginas, com o ebook isso se limita a um simples click no smartphone ou no leitor digital

O tempo também pode servir de juiz nesse embate, quem é leitor sabe que de vez em quando rola aquela preguiça de ler, especialmente quando livro é de uma espessura consideravelmente grande que parece levar horas. No digital o avanço é quase imperceptível, como citado anteriormente, o único esforço necessário é o toque na tela, sem contar que a leitura tende a fluir mais, pois você não percebe de fato o seu avanço.

A portabilidade é outro X da questão, os livros digitais não pesam absolutamente nada, já que são transportados dentro de aparelhos eletrônicos, os físicos por outro lado precisam de espaço no mundo real para serem levados á algum lugar, o que muitas vezes pode resultar no desgaste dele.

E por último e um fator muito importante, e já apontado nessa matéria: a acessibilidade. Que o preço dos livros físicos vem aumentando não é surpresa para nenhum leitor de primeira viagem, podendo ser considerado um artigo de luxo e encontrados por preços exorbitantes hoje em dia, já suas versões digitalizadas podem ser encontradas por um preço extremamente inferior, até de graça algumas vezes.

A  Amazon é um exemplo disso, a empresa disponibiliza diversos títulos gratuitos, e ainda oferece o serviço Kindle Unlimited que funciona como um streaming literário onde você tem acesso a milhares de Ebooks pagando uma taxa mensal de R$ 19,90.   

Então, isso significa que os ebooks são melhores que os livros tradicionais?

Neste caso a resposta é: depende, exatamente, não existe um veredito concreto que aponte que a existência dos livros digitais é superior aos livros tradicionais, tudo é uma questão única de gosto pessoal de cada um. Assim como as opiniões sobre as obras literária, o meio por qual você consome elas não são é um consenso, seja pelo virtual ou o antigo formato de páginas e capa de brochuras, no fim o que importa mesmo é ler.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »