28/07/2021 às 22h40min - Atualizada em 28/07/2021 às 22h04min

Museu da Língua Portuguesa: um novo começo

A reabertura será em 31 de Julho após um incêndio

Karina Santos - Edição por Brenda Freire
Reprodução: Veja SP
Um luminária no teto que estava em manutenção; no corredor, exposições com tecidos e papéis. Tudo começou ali. Já era tarde quando os bombeiros chegaram. O incêndio tinha consumido parte do museu e a única lembrança eram cinzas, destroços e chamas. Haviam gritos pedindo mais extensão de mangueiras, checagem de vítimas e uma enorme falta de ar, que inclusive foi a grande responsável pela morte de Ronaldo Pereira, brigadista que trabalhava no local e tentou ao máximo combater aquele momento. Era dia 21 de dezembro de 2015 em São Paulo e o que era para ser começo de véspera de Natal, se transformou em luto, lágrimas e perdas estimáveis, não somente materiais. Um lugar, onde a palavra era tão valorizada, naquele momento, ninguém sabia ler e nem falar nada.



Valorização, importância que se atribui á algo
Até o momento do incêndio, para alguns, era apenas um ponto turístico em São Paulo, que inclusive, muitas dessas pessoas não tiveram a oportunidade de conhecer. Mas, por outro lado, havia a conservação de línguas de diferentes países, além de todo o reconhecimento de culturas que hoje formam o Brasil em que vivemos. Havia e há valor nas palavras mais simples que já usamos. Já dizia Caetano Veloso em sua composição ‘Língua’, “a minha pátria, é a Língua”.
Sob o olhar de um novo começo, talvez a melhor sugestão seja encarar o país e  sua cultura como ele realmente é, e aprender que o verdadeiro sentido da palavras está ligado a ações, como o recomeço.
Depois de 5 anos da tragédia, o museu volta a ser reaberto, mas o coração brasileiro está pronto para esta reabertura? Será mais um museu sendo reaberto ou haverá finalmente o seu devido valor? Onde deveria estar o devido recomeço, se não, nos quesitos internos de importância e conhecimento?

É um museu da língua, mas qual a importância dela?
A língua é um dos pilares de qualquer construção de sociedade. Aonde você for, será necessário um meio de comunicação com outros indivíduos e é assim que gestos, símbolos, palavras se tornam o seu meio de viver. Adquirindo conhecimento, você se torna capaz de questionar tudo ao seu redor e através desses questionamentos, um outro mundo se abre. Um mundo cheio de ideias, convicções, pensamentos, religiões e culturas diferentes. Talvez esse mundo seja até mesmo pequeno para quem sabe se comunicar.
O secretário da ONU, António Guterres, no dia 5 de Maio, onde é comemorado o dia Nacional da Língua Portuguesa, se pronunciou em vídeo a respeito da importância do seu idioma materno e dos desafios a serem enfrentados:

“ As línguas têm um papel insubstituível enquanto traço da união entre povos, onde a diversidade e a multiculturalidade ganham raízes. Contudo, a sua maleabilidade presta-se também da propagação de desinformação. O papel da Língua Portuguesa e de todas a línguas na mobilização e disseminação do conhecimento e da informação credível será particularmente importante no presente e no futuro.”, afirma.

Embora ainda exista muitos desafios envolvendo inclusão de vozes variadas e diversidade, não há como negar a importância do quinto idioma mais falado do mundo. O que fica de expectativa no coração dos falantes de português e na esperança da reabertura do Museu da Língua Portuguesa, é que um dia a palavra recomeço tenha um significado verdadeiro quanto á sua relevância e poder.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »