08/09/2021 às 22h14min - Atualizada em 08/09/2021 às 21h39min

A princesa do R&B | 20 anos sem Aaliyah

Um acidente de avião fatal tirou a vida da cantora e sete integrantes de sua equipe em 2001.

Larissa Gomes - Revisado por Isabelle Marinho
Wikimedia Commons
 

Em 16 de janeiro de 1979 nasceu Aaliyah Dana Haughton no Brooklyn, Nova Iorque, local conhecido como berço de artistas consagrados do Hip-Hop, como The Notorious B.I.G., Jay-Z e Busta Rhymes

 

A novaiorquina se mudou ainda cedo com a família para Detroit, no estado do Michigan, porém, suas raízes familiares viriam a influenciar na carreira musical posteriormente. Além da mãe Diane ser cantora, ela era sobrinha de Gladys Knight da banda Gladys Knight & the Pips, um sucesso desde os anos 1970, que era conhecida como "A Imperatriz do Soul".

Foi neste berço familiar que Aaliyah desenvolveu o interesse e habilidades para a música R&B e Soul, tendo sua primeira aparição nas grandes mídias com 10 anos ao participar do programa de talentos Star Search, que também abraçou Justin Timberlake, Christina Aguilera e Beyoncé na infância.

(Aaliyah se apresentou no Star Search aos 10 anos. Reprodução: Capital Xtra.)

 

Aos 12, assinou com a gravadora de seu tio Barry Hankerson (ex-marido de Gladys) e trabalhou durante três anos ao lado do cantor R. Kelly em seu álbum de estreia. Em 1994, chegou às prateleiras o álbum “Age Ain’t Nothing But a Number”, que conseguiu o 24º lugar na Billboard 200 em poucas semanas e logo subiu para a 18ª posição. Até hoje somam-se mais de seis milhões de cópias vendidas.

 

Com seu debut, a artista ganhou disco de Platina nos Estados Unidos e embarcou em uma turnê mundial.

(Age Ain't Nothing But A Number foi o disco de estreia de Aaliyah. Reprodução: Amazon.)

 

Das 14 composições, destacam-se "Back & Forth", "Age Ain’t Nothing But a Number" (faixa-título) e "At Your Best (You Are Love)", que renderam inúmeros elogios aos vocais doces e quase sussurrados de Aaliyah em harmonia com os arranjos fortes do Hip-Hop de R. Kelly.

 

 

Dois anos após o primeiro álbum, Aaliyah assinou com a Atlantic Records (famosa por revelar Ray Charles, ícone do R&B, soul e blues) e começou a trabalhar com os produtores Timbaland e Missy Elliott, ainda no início de suas carreiras na época. “One in A Million” chegou às paradas musicais levando a clássica faixa-título e "If Your Girl Only Knew" ao topo dos charts. 

 

 

Enquanto se preparava para os próximos lançamentos, Aaliyah se graduou em drama pela Detroit High School for the Fine and Performing Arts e gravou para trilhas sonoras de filmes como “Are You That Somebody” de Dr. Dolittle (1998) e “Journey to the Past” de Anastasia (1997). Apresentou esta última no Oscar de 1998, tornando-se a cantora mais jovem a realizar tal feito.

 

Pouco tempo depois, os fãs também puderam vê-la em aparições no cinema, como atriz. A artista contracenou com Jet Li em Romeu Tem que Morrer (2000), obra em que colaborou também na trilha sonora, majoritariamente com músicas de Hip-Hop e R&B.

Assim, surge o maior sucesso da carreira de Aaliyah:


 

“Try Again” lhe rendeu uma indicação ao Grammy e dois prêmios da MTV por Melhor Clipe Feminino e Melhor Clipe de um Filme, vendendo mais de 2.5 milhões de cópias no mundo todo. 

 

Aaliyah, então, protagonizou a adaptação do terceiro livro das Crônicas Vampirescas de Anne Rice, A Rainha dos Condenados (2002). Ela também já estava escalada para outras produções futuras, incluindo a sequência de Matrix, cujas cenas estavam parcialmente filmadas.

(Aaliyah em A Rainha dos Condenados. Reprodução: Tenor.)

 

Entrando na vida adulta, no início dos anos 2000, as transformações pessoais da cantora influenciaram em sua música, fazendo com que o seu álbum auto-intitulado "Aaliyah" (2001) trouxesse características mais maduras sobre diferentes fases de um relacionamento. Estreou em 2º lugar na Billboard 200 e é atualmente o seu álbum com maior número de vendas, ultrapassando 13 milhões de cópias. Dentre as faixas, destacam-se "More Than A Woman", "We Need A Resolution" e "Rock The Boat"

 

Morte

 

Com o êxito dos últimos trabalhos de Aaliyah, ela e sua equipe partiram para as Bahamas, onde fizeram as gravações do videoclipe de "Rock The Boat". No dia 25 de agosto de 2001, por volta das 7 horas da manhã, o avião em que a cantora estava com os produtores do vídeo, seguranças, equipe de maquiagem e representantes da gravadora, caiu poucos segundos após decolar. O acidente foi fatal para os oito passageiros e o piloto.

 

Faleceu, então, aos 22 anos de idade um dos maiores nomes do R&B contemporâneo no auge da carreira. 

 

(Avião de Aaliyah caiu pouco tempo após decolar. Reprodução: The Sun.)

 

Algum tempo mais tarde, a National Transportation Safety Board (NTSB) apresentou um relatório em que constava a presença de álcool e cocaína no sangue do piloto, e comprovava que ele tinha uma licença falsa. Além disso, levantou-se que a própria aeronave estava com centenas de libras acima do peso permitido.

 

Na biografia de Kathy Iandoli, “Baby Girl: Better Known as Aaliyah”, a autora narra detalhes da vida e momentos antes da morte da artista, contando que ela teria morrido inconsciente sob o efeito de calmantes, pois ficou muito desconfortável e extremamente ansiosa ao saber que voariam na pequena aeronave.

 

 

A morte de Aaliyah causou uma grande comoção no mundo todo. O corpo da artista foi levado em uma carruagem até o velório em 31 de agosto, que contou com a presença de diversos fãs, além de artistas amigos da cantora como Diddy, Lil Kim, Timbaland e Missy Elliott.

 

(Corpo de Aaliyah foi levado em uma carruagem ao funeral. Reprodução: Rimas e Batidas.)

 

Com a recuperação dos materiais gravados nas Bahamas, o videoclipe de "Rock The Boat" foi lançado postumamente. De acordo com o CheatSheet, houve uma incerteza sobre o lançamento do trabalho, mas a gravadora e a família de Aaliyah fizeram sua pré-estreia na série Access Granted em outubro do mesmo ano. A canção teve uma indicação ao Grammy de 2001 na categoria de Melhor Perfomance Vocal Feminina de R&B, porém perdeu para "Fallin" de Alicia Keys.

 

(Aaliyah, sua equipe e piloto perderam a vida em avião após voltarem das gravações de Rock The Boat. Créditos: GIF Run.)

 

O relacionamento com R. Kelly

 

No início da carreira, enquanto trabalhava em "Age Ain’t Nothing But a Number", Aaliyah conheceu R. Kelly, apresentado como seu mentor e produtor do álbum de estreia. Eles se envolveram e, quando tinha somente 15 anos, a adolescente se casou ilegalmente com o artista de 27, na época, mas o casamento foi anulado posteriormente.

 

"Idade não é nada, apenas um número

esqueça isso não é nada, mas, uma coisa

esse amor que eu tenho por você

nunca irá mudar"

Age Ain't Nothing But a Number do primeiro ábum de Aaliyah, produzido por R. Kelly.

 
A história causou um escândalo enquanto Aaliyah promovia seu primeiro álbum. Ela e a família sempre negaram o caso, porém, em agosto deste ano, R. Kelly assumiu que teve relações sexuais com a jovem enquanto ela ainda era adolescente. Ao The Independent, seu advogado contou: "A defesa admite que Sr. Kelly teve contato sexual com Mullher nº 1 quando ela era menor de idade".
 

 


(Aaliyah e R. Kelly se casaram quando ela tinha apenas 15 anos. Reprodução: Plu7.)


Em 2019, o documentário “Surviving R. Kelly” chegou à Netflix, expondo os abusos e assédios que mulheres sofreram do cantor, inclusive, muitas enquanto ainda eram menores de idade. Lady Gaga, Chance The Rapper e outros artistas se desculparam publicamente por terem trabalhado com ele.

 

O julgamento do produtor teve início no dia 18 de agosto de 2021 e, se for considerado culpado, pode pegar prisão perpétua.

(R. Kelly é acusado de assédio, abuso sexual e por posse de pornografia infantil. Reprodução: Folha de S. Paulo.)

 

R. Kelly já era investigado por inúmeras denúncias recebidas nos últimos 20 anos, além de ter enfrentado ações judiciais por portar pornografia infantil. Isso fez ressurgir o caso com Aaliyah, ocorrido quase duas décadas atrás.

 

Duas décadas sem Aaliyah

 

Em 20 de agosto de 2021, cinco dias antes de completar os 20 anos desde a morte de Aaliyah, o álbum "One In a Million" foi oficialmente adicionado às plataformas de streaming. Apesar disso, o irmão da cantora, Rashad, fez questão de deixar claro que a divulgação da discografia da artista é de exclusiva responsabilidade da gravadora Blackground Records e que não faz parte da administração da herança da irmã. Alguns arquivos como o videoclipe de "Rock The Boat", publicados por fãs na internet, já foram retirados do ar com a expectativa de serem substituídos pelos materiais no canal oficial da empresa no YouTube.

 

Mesmo tendo falecido jovem, ela deixou sua marca mundialmente. A conta do Spotify de Aaliyah conta com mais de 3 milhões de ouvintes mensais, sinais de que seu legado perdura anos depois.

 

Diversas de suas músicas foram sampleadas por renomados nomes do Hip-Hop e R&B dos últimos tempos, como Drake, OutKast, Solange, The Weeknd, Kehlani, H.E.R., e, mais recentemente, por Normani na parceria com Cardi B, Wild Side.

 

Contemplando além do mundo musical, Aaliyah também influenciou a moda. Seu estilo street e tomboy com elementos sensuais foi um ícone fashion, tendo adeptas até os dias atuais, como as cantoras de R&B Ella Mai, SZA e H.E.R

(Estilo de Aaliyah marcou várias gerações do Hip-Hop e R&B. Reprodução: Pinterest.)

 

Ao que parece, a baby girl, como era chamada carinhosamente pela família, dificilmente será apagada da história da música. Com sua ousadia e autenticidade, ela soube ser revolucionária, vivendo eternamente na lembrança de todos que se depararam com o seu trabalho.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »