10/09/2021 às 01h21min - Atualizada em 10/09/2021 às 00h51min

Modern Family: uma lição de amor

O seriado de sucesso na TV americana, é muito mais que uma fonte de risos, é um verdadeiro aprendizado sobre ser família

Letícia Aguiar - Editado por Andrieli Torres
Foto: Reprodução/Line-up
“Família, família, papai, mamãe, titia”, diz a letra da canção “Família”, da banda Titãs. Apesar de fazer referência a uma família tradicional formada por pai e mãe, a música já não condiz mais com a realidade plural de vários tipos de famílias, inclusive da carismática família fictícia de Modern Family (2009-2020), formada por núcleos familiares distintos.

Criada por Christopher Lloyd e Steven Levitan, a série, ao longo de suas 11 temporadas, retrata, em estilo mockumentary (documentário falso), o cotidiano de três núcleos familiares, o do patriarca Jay Pritchett e o de seus filhos, Claire e Mitchell.

Cada lar personifica a diversidade de famílias presentes no nosso tempo. A família de Claire é tradicional, formada por ela, o marido e três filhos; Mitchell é casado com Cameron e os dois tem uma filha adotiva; Jay, após o divórcio, casou-se com Gloria, uma imigrante vinda da Colômbia que é bem mais jovem e tem um filho do casamento anterior, além de outro com o próprio Jay.



Com toda essa dinâmica de personalidades opostas, o trunfo da série está em sua naturalidade e diversão, é como se os atores fossem realmente uma família, e não só isso, temas como a homofobia, preconceito, são rotineiramente tratados, embora haja sempre um tom de leveza.

Outro ponto que se destaca, é sem dúvida, o amor. Jay é um personagem idoso com crenças e pensamentos mais retrógrados, levando um tempo para aceitar o fato do filho ser gay. Contudo, é o próprio Jay quem organiza o casamento de Mitchell, num episódio em que tudo deu errado no evento, mas Jay fez a cerimônia acontecer, a origem disso? O mais puro amor pelo filho!

A série também trouxe mais que uma lição do “ser família”, ela foi um verdadeiro sucesso da TV americana, sendo indicada a 75 Emmys e tendo vencido 22. Além disso, o time de roteiristas colheu muitos bons frutos, ao fazer uma transição leve dos personagens crianças em adultos, mas sem esquecer das problematizações dessa fase, dando ao espectador mais que um papel de ficção e, sim, a paixão pela história de cada personagem misturada ao desejo de acompanhar sua trajetória movida a muitos risos, algumas lágrimas e bastante evolução pessoal.

A FAMÍLIA BRASILEIRA

Longe das telas e plataformas de streamings, o retrato da família brasileira contemporânea é muito diferente dos comerciais de margarina, com pai, mãe e filhos ao redor de uma mesa de café da manhã. Esse formato tradicional de família, que em 1995 representava cerca de 58% das famílias verde e amarelas, passou para 42% em 2015, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).



Mesmo com a mudança dos núcleos familiares, de acordo com uma pesquisa da Revista Crescer, 37% dos filhos de mães-solo já sofreram preconceito por caracterizarem uma família não tradicional, assim como 29% das crianças em família homoafetiva, 26% das adotivas e 18% daquelas que têm pais separados. 

Em entrevista à Revista, o psicanalista Paulo Roberto Ceccarelli explicou a raiz desse preconceito. Segundo ele, o novo causa medo e desestabiliza as certezas já formadas, porque admitir os novos modelos familiares, para alguns, é questionar a solidez da sua própria família. 

Entretanto, quebrando o ciclo do preconceito, podemos perceber pequenas revoluções, como o Dia da Família, que em algumas escolas, substitui datas como Dia dos Pais e Dia das Mães, já que nem sempre uma família se configura dessa maneira.

ULTRA MODERN FAMILY

É assim que se chama o grupo do Whatsapp da família da profissional do Marketing, Laila Ribeiro. Composta por ela, suas duas mães, Katia e Mara, e seu namorado, João Paulo, os ventos da modernidade estão a favor dessa família desde as suas raízes. Os pais de Mara, mãe sanguínea de Laila, são divorciados e possuem outros relacionamentos.

Mara foi casada com o pai da profissional do Marketing por 17 anos. Após o divórcio, as duas se mudaram de São Paulo para Alagoas e começaram a escrever uma nova história. Dentre os personagens dessa série, estava Katia, que despertou em Mara uma paixão duradoura, que já celebra 12 anos. Nessa mesma trama, há pouco mais de um ano, João Paulo entrou na vida de Laila. Hoje, os quatro moram juntos e são a representação do episódio final de Modern Family: felizes, cheios de amor e repletos de família!



De acordo com Mara, o preconceito não se fez tão presente na sua caminhada com Katia. Mesmo assim, ele sempre esteve ali, ainda que velado. Contudo, a Ultra Modern Family procurou estar cercada de pessoas livres de julgamentos, e Laila gosta de deixar claro o fato de ter duas mães para qualquer pessoa que queira conhecê-la. 

Portanto, nessa família, só existe um único roteiro a ser seguido: o amor. “Família é um grupo de pessoas que estão ligadas por afeto e amor. Apesar de ter a família consanguínea, nosso lar é formado por pessoas que escolheram estar juntas porque se amam, e não por obrigação nem por questões morais”, disse Mara.

Se tem uma coisa que essas duas famílias nos ensinam, tanto na ficção, quanto na vida real, é como a família vai muito além de um “padrão”. Na verdade, ela está localizada no amor, no carinho e no respeito, mesmo que seus membros sejam completamente diferentes!

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »