17/09/2021 às 11h51min - Atualizada em 17/09/2021 às 11h45min

Crônica: Música para os meus ouvidos... e para meu coração!

Fernando Azevêdo - Editado por Larissa Bispo
Foto: Alex Gruber/ Unsplash
 

    Eu sou o Luciano e este sou seu confessando que sou apaixonado por música. Cada fase da minha vida tem uma "canção tema”. Das coisas mais levinhas às mais sérias. A viagem quando eu precisei mudar de cidade para começar na faculdade, meu primeiro dia no primeiro trabalho... Música é tudo para mim e eu agradeço aos céus, aos antepassados e às musas por algo tão perfeito existir.

 

    Eu sei que a maioria das pessoas têm uma ligação imensa com a música. É claro. Está em todo lugar. Há ritmos musicais no mundo como há estrelas no céu, certo? Mas eu tenho isso muito especial. É como se cada melodia de cada música que eu amo me transportasse para algum lugar mágico.

 

    A música que eu ouvia pensando no primeiro amor? Eu a evito, mas só porque escutar ela enche de lágrimas meus olhos. Aquela canção significa a pureza do amor para mim. É como se aquele “uh uh uh” me tirasse de órbita por uns instantes. E o amor não faz isso, afinal?

 

    Gosto de ouvir música fazendo qualquer coisa. Estudar, escrever, ler… Tudo flui melhor junto a uma melodia gostosinha.

 

    Mas eu também adoro o fato de ela ser muito abrangente. Se fosse só um som, ou uma letra, seria justamente isso: um som ou uma letra. A música, além dos sons, acompanha o silêncio. Uau, né? Sobre alternar essas duas coisas e, assim, fazer-se única. Depois da música - junto dela -, a dança. Esta parte eu fico tímido de confessar, mas nada melhor que acompanhar melodiazinhas com meu corpo - risos. É um universo tão amplo... É arte, a arte das  musas. E também é Física, já que o som é uma onda. E continuo afirmando que tem um quê de mágica.

 

    O que isso diz para mim? Uma vez, estudei música na escola, e lembro que a "não definição" - chamo assim as coisas que não têm um sentido fechado, que são muito plurais - dela era de que, desde a pré-história, é um jeito de transmitir mensagens. Uma forma de comunicar. As pessoas aprimoraram, criaram novas formas, inseriram novos instrumentos, mas essa função continuou. Hoje, são infinitas as mensagens que se transformam em canções.

 

Também gosto muito de ler sobre isso. A ciência se preocupou com a música por diversas vezes, resultando em um número enorme de estudos. Há muitas conclusões sobre os efeitos provocados pela música. Dependendo do ritmo, dependendo até da idade da pessoa, eles são diferentes. A música produz prazer, relaxamento, estimula o cérebro de algumas formas bem interessantes, e pode até reduzir a ansiedade.  

 

    Que incrível! Pensar numa coisa e ver ela se tornando fantasticamente complexa é uma das coisas mais gostosas. Vou até pôr uma música aqui para acompanhar esses pensamentos - risos -, agradecendo mais ainda à arte das musas. Por todas as vezes que ela me fez companhia e que tocou meu coração, antes até mesmo de tocar todas aquelas notas.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »