19/09/2021 às 19h02min - Atualizada em 19/09/2021 às 21h49min

Sendero Luminoso - História de uma guerra suja - conheça a HQ que retrata uma das guerrilhas mais violentas do Peru

Nathalin Gorska - Editado por Fernanda Simplicio
FONTE: Sendero Luminoso - História de uma guerra suja

Lançada em primeiro de setembro de 2016, a história em quadrinho Sendero Luminoso – História de uma guerra suja retrata com grande fidelidade uma das maiores guerrilhas que aconteceu no Peru e que foi responsável pela morte de mais de 70 mil peruanos.

Escrita por Alfredo Villar, Luis Rossel e Jesús Cossio (sendo o mais célebre desenhista de histórias em quadrinhos do Peru) a obra foi traduzida para vários idiomas, entre eles o Francês, e classificada por vários jornais como uma das maiores obras da América Latina.

 

“A força desta novela gráfica se apoia no relato detalhado e preciso sobre as violências que mancharam o Peru na década de 1980. Além de uma dimensão histórica e documental inegável, estas páginas estão especialmente marcadas pela proximidade e compreensão que elas permitem” -  Anistia Internacional.


A construção da história é feita por meio de desenhos em preto em branco, tendo apenas o sangue e a bandeira do partido comunista do Peru como elementos coloridos, e também conta com comentários e explicações históricas, que trabalham junto para a base teórica da obra.



Apresentando histórias da Guerrilha do Peru combatidas entre o governo e os guerrilheiros do Partido comunista do Peru, também conhecido como Sendero Luminoso, o enredo da HQ começa com uma breve explicação sobre a revolta dos estudantes (que foi um Pontapé para o início dos movimentos revolucionários). Após o golpe de 1969, realizado por Juan Velasco Alvarado, que tomou o poder do país de forma ilegal, o ‘governo’ baixou um decreto que flexibilizava a obrigação dos Estado de garantir o ensino gratuito no Peru e pelo decreto, os estudantes que reprovassem em alguma matéria no ano anterior seriam obrigados a pagar pelos seus estudos.

As mudanças não foram bem aceitas pela população, que vivia na miséria e no descaso do governo, e as revoltas se alastraram pelo país, tendo maior impacto em uma região chamada Ayacucho (tida como uma das mais pobres do Peru). As revoltas por lá foram fortemente reprimidas, causando ainda mais um sentimento de insatisfação pelos moradores da região.

Mas a educação não era o único fator que causava revolta no povo Peruano, a corrupção, descaso com os mais pobres e privilégios para a classe burguesa também foi um dos pilares para a futura ascensão do Sendero Luminoso.

Em 5 de abril de 1992, o então presidente do país, Alberto Fujimori, em uma ‘tentativa de acelerar o processo de reconstrução nacional’ deu carta branca para o exército em sua guerra contra as drogas, corrupção e subversão ordenou o fechamento do congresso e invalidou a constituição. Na manhã seguinte, jornalistas e políticos da oposição já haviam sido presos pelo governo.

Com a crescente negligência do governo com os camponeses, nativos e pobres, o Sendero Luminoso começou sua expansão como um movimento armado em Ayacucho e que tinha como princípio a criação de uma república popular, guiada por Abimael Guzmán (apelidado de Presidente Gonzalo), líder do movimento. A ideologia do partido é Marxista-leonista-maoista e coloca a mulher e os camponeses como papeis fundamentais na revolução, fator que ajudou na disseminação dos ideais revolucionários do partido.

As batalhas entre o Sendero Luminoso e o governo (exército) foi umas das mais sangrentas da história do país, em que os camponeses eram os mais afetados pelas disputas. Estima-se que mais de 70 mil peruanos foram mortos entre os conflitos, seja pelas mãos do exército ou pela ideologia do Sendero Luminoso (uma de suas ações era combater todos que eram contra o partido, sejam eles do governo, ou não).

Tais ações causaram revoltas entre a população que não apoiava nem o governo, nem os revolucionários e em uma tentativa de parar o movimento, o governo anunciou que Partido Comunista do Peru estava diretamente ligado ao tráfico de cocaína, envolvendo também os Estados Unidos na batalha contra o partido.

Após anos de revoltas e manifestações, o Sendero Luminoso teve sua força enfraquecida após a prisão de seu líder, Abimael Guzmán, no dia 12 de setembro de 1992 sendo condenado à prisão perpétua.

Trabalhando com relatos das guerrilhas de forma lúdica, a HQ atraiu diversos leitores e pesquisadores, que a utilizaram como base para suas obras. No cenário político atual, a história em quadrinho se faz muito importante pois mostra que os perigos do extremismo político e o sofrimento da população pelo descaso dos governos.

Atual situação do Peru

Após 29 anos encarcerado em uma prisão de segurança máxima, Guzmán faleceu em 11 de setembro devido complicações em seu estado de saúde e em decorrência de diversos debates, o governo do Peru promulgou uma lei para cremar o corpo do guerrilheiro.

Já cenário político atual, Pedro Castillo assumiu a presidência do Peru em 2021 após ganhar da candidata Keijo Fujimori (filha do ex-ditador Alberto Fujimori, condenado por crimes conta a humanidade). Durante o processo de eleição dos candidatos, houve uma grande polarização de ideias, causando inclusive ataques de caráter terrorista com a matança de 16 pessoas como forma de recado para o povo peruano, e uma carta na cena do crime “Peruano, boicote as eleições burguesas, porque não é teu caminho. Não vá votar, vote em branco ou nulo. Quem vota em Keiko Fujimori é traidor, assassino do Vraem e do Peru“.

REFERÊNCIAS:

LIGERO, Bárbara. Sendero Luminoso: conheça o grupo que realizou massacre no Peru e polarizou ainda mais as eleições. Jovem Pan, 2021. Disponível em: < https://jovempan.com.br/noticias/mundo/sendero-luminoso-conheca-o-grupo-que-realizou-massacre-e-polarizou-ainda-mais-as-eleicoes-no-peru.html>. Acesso em: 18 de set. 2021.

CASARIN, Rodrigo. HQ conta como revolta estudantil descambou em guerra com milhares de mortos. Página Cinco, 2016. Disponível em: < https://paginacinco.blogosfera.uol.com.br/2016/10/28/hq-conta-como-revolta-estudantil-descambou-em-guerra-com-milhares-de-mortos/>. Acesso em: 18 de set. 2021.

BERTONHA, João Fábio. Sendero Luminoso: ascensão e queda de um grupo guerrilheiro. Revista Espaço Acadêmico, Ano 1 – Nº3 -  agosto de 2001. Disponível em: < file:///C:/Users/FERNANDO/Downloads/35105-Texto%20do%20artigo-176616-1-10-20171021.pdf>. Acesso em: 19 de set. 2021.

MORRE Abimael Guzmán, líder do grupo guerrilheiro Sendero Luminoso. G1, 2021. Disponível em:< https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/09/11/morre-abimael-guzman-lider-do-sendero-luminoso.ghtml>. Acesso em: 19 de set. 2021.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »