22/10/2021 às 22h38min - Atualizada em 26/09/2021 às 23h36min

Grupo de intervenção artística espalha sua arte nos muros de Bertioga-SP

Por meio da técnica lambe-lambes, que utiliza a colagem de cartazes em muros, os artistas do grupo LamBertioga inovaram em suas manifestações culturais.

Paulo Victor Alves dos Reis - Revisado por Isabelle Marinho
Logo do grupo artístico LamBertioga. (Imagem/Reprodução: LamBertioga)


Os muros da cidade de Bertioga ganharam um novo visual no Circuito Sesc de artes, ocorrido entre os dias 8 e 19 de setembro. O grupo Lambertioga expôs suas obras com a técnica lambe-lambes no circuito e Vicente de Carvalho II, Rio da praia e o centro da cidade foram os bairros  beneficiados pela intervenção artística.    


Uma das formas de compreender a arte é vê-la como uma operação humana conectada às manifestações de ordem estética ou comunicativa, produzida por intermédio de uma grande variedade de linguagens. Empenhado com o lema de usá-la como ferramenta de protesto e posicionamento para sociedade, o produtor cultural, artista multimídia, designer e programador Maurício Cardoso idealizou o Grupo Lambertioga. Um conjunto de intervenção urbana artística, com dez artistas de diferentes áreas, o grupo concentra-se na cidade Bertioga-SP.

O termo Lambertioga originou-se da palavra Lambe-lambes que é, basicamente, a colagem de cartazes com conteúdo, seja de propagandas, eventos e até política. A outra vertente do nome foi a cidade de Bertioga. O idealizador, Maurício, ressaltou que o conjunto se originou a partir da vontade de reunir e conectar os artistas visuais atuantes em Bertioga-SP em uma ação de ocupação artística com lambe-lambes nos muros e paredes da cidade.

O produtor cultural relatou que “o principal propósito é formar uma rede de artistas e um movimento de desenvolvimento artístico na cidade, e fomentar novas ações de mesma natureza”.
 


Projeto saindo do papel

A ação só ocorreu devido à parceria com Sesc Bertioga, que realizou o grande evento Circuito Sesc de Artes entre os dias 8 e 19 de setembro. A intervenção ocorreu em três bairros diferentes da cidade: Rio da Praia, Vicente de carvalho e Quiosque da cultura localizados no centro do município. 

O idealizador abordou que “todos sabemos da dificuldade de se desenvolver ações culturais no nosso país. Culturalmente, nosso setor sofre de uma grande depreciação em relação ao seu valor fundamental e poucos investimentos são destinados para o seu desenvolvimento. Assim, o sentimento que fica é de profunda gratidão ao Sesc por acolher nossa ideia e viabiliza-la”, salienta Maurício com esperança de maiores investimos na cultura do país.


Sentimento dos artistas

Guilherme Kikuti, membro do Lambertioga, enfatizou que participar da intervenção deu um sentimento de pertencimento, poder de contribuir com a arte e fazer parte da cena local. Está bastante alegre por a rua tornar-se uma galeria de arte aberta.

Quando questionado sobre os principais desafios de produzir com Lambe-Lambes realçou que “o mais complicado é arrumar tempo para produzir com qualidade, projetos artísticos envolvem pesquisas, muitos rascunhos, testes e muito trabalho mental. Antes disso o artista necessita de alimentação e descanso, o que envolve recursos e obter recursos leva tempo". O artista ainda destacou que as trocas foram valiosas e que a questão ambiental foi o ponto central na elaboração das obras, com diversas ilustrações de animais que vivem na região.

A atriz e integrante do conjunto de intervenção urbana, Maitê Dias, citou que nunca imaginou que suas obras tornariam frutos de uma manifestação artística. Abordou que não cogitava mostrar sua arte para pessoas não próximas, porém, esta bastante alegre com o resultado. Maitê é nascida e criada no bairro Vicente de carvalho II e foi um sentimento surreal e emocionante ver suas obras próximas à sua casa. Ela descreveu que: “a emoção que me tomou quando o muro foi finalizado me toma até hoje quando passo por ele, fico toda boba”.

Ela também ressaltou que, pelas colagens dos murros, a atriz carrega bastante gente com ela, visto que foram pessoas essências na sua trajetória como artista e pessoa.

O estudante de direito José Marcos é residente de Vicente de carvalho há cerca de 20 anos. Descreveu que a experiência em ter contato com as artes foi:

“Uma mistura de memórias, desde a visão atual, em relação aos avanços tecnológicos, bem como se denota na obra que constam vários QRcodes, até a representatividade não só negra, mas a indígena e da Mata Atlântica, que é onde Bertioga está inserida” destaca o estudante, mostrando-se bastante contente com as obras vistas e analisadas.


A arte tem papel fundamental no processo de evolução da sociedade. Conforme ela se transforma, o corpo social tem ganhos imensuráveis. Foi assim na descoberta da medicina, inicio do cinema e na tecnologia. Ela sempre foi ferramenta essencial para a construção de perspectivas diferentes.

Membros do Lambertioga:

Guilherme Kikuti- artista e educador, utiliza a arte híbrida: natureza e tecnologia juntas, suas inspirações vêm do amor pela natureza.

Lucila Alvarengamineira, psicóloga, terapeuta e espiritualista. Sua arte expressa sua visão de mundo fazendo infinitos processos de cura.

Douglas de Paula- artista formado em fotografia, publicidade e turismo. Utiliza-se da pintura digital.

Maitê dias- atriz, produtora e pintora. Ela se expressa usando como base o trânsito de suas emoções, atitudes e descobertas de suas vivências.

Marcelo Kanai- formado em tecnologia e mídias digitais com habilitação em Arte e Tecnologia, utiliza da produção digital com temas que vão das relações sociais ao meio ambiente.

Flávia Paiva- formada em comunicação das artes do corpo, performer e educadora. Envolvida em intercâmbios e residência artística.

Maurício Cardoso- produtor cultural, ele trafega no âmbito da arte conceitual e investiga as bases formadoras dos símbolos.

Fernanda Filipini- bióloga e tatuadora, transmite em sua arte a influência das vivências.

Renan Kian- ativista e produtor cultural. Utiliza-se das artes audiovisuais como ferramenta de comunicação, liberdade e luta.

Isadora Leite- artista muralista com experiência na área ambiental. Retrata a beleza da mata seja nos quadros, paredes ou artes digitais.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »