10/10/2021 às 00h00min - Atualizada em 10/10/2021 às 00h01min

Outubro rosa animal: prevenção e cuidado

A importância do toque e castração dos animais são essenciais, saiba o porquê

Yasmin Mendes - Editado por Júlio Sousa
Imagem: edição e criação própria / Yasmin Mendes

Durante os meses do ano são feitas diversas campanhas de conscientização, e dentre eles estão o Outubro Rosa, referente à prevenção do câncer de mama em mulheres. Entretanto, há também a campanha para a conscientização e prevenção do câncer de mama nos animais. E assim como nas mulheres, os animais também precisam dessa atenção e cuidado, pois é algo preocupante e alarmante.
 

Algo que é muito comum e que muitos não conhecem por falta de informações, apesar dos números de casos serem bastante elevados.  Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de mama em animais atinge, aproximadamente, 45% das cadelas, e em animais felinos essa porcentagem cai para 30%. Vale ressaltar que cães e gatos machos também estão propensos a desenvolverem algum tipo de câncer mamário, apesar de os casos serem mais frequentes em fêmeas. 
 

De acordo com o veterinário Kenyon Vieira, as causas do câncer de mama e tumores em cães e gatos estão ligados à hereditariedade e questões genéticas, além da aplicação de injeções como método de castração, o que é fortemente não recomendado por vários veterinários, devido ao excesso hormonal que induz à predisposição de tumores, portanto, trazendo apenas malefícios a cadelas e gatas. Para que esse tipo de problema não seja recorrente, é recomendado a castração segura e efetiva destes animais, pois a castração feita de modo segura, não garante apenas a procriação do animal, mas também qualidade de vida, evitando diversas doenças e prolongando sua vida entre os tutores.
 

É importante salientar que o diagnóstico da doença, na maioria das vezes, é feito pelo próprio dono quando se está acariciando o animal. Assim como nas mulheres, o câncer de mama se manifesta em pequenos nódulos que podem ser identificados pelo toque. Portanto, é importante que o tutor esteja sempre atento ao seu animal para que seja examinado por algum veterinário, e que se confirmado a presença maligna, que seja iniciado quanto antes o tratamento. Além de serem na sua maioria malignos, ocorre também a possibilidade dos tumores se espalharem pelo corpo do animal. Na maioria das vezes, os tumores são retirados com cirurgia, entretanto, há casos em que o animal chega a óbito, devido ao estado avançado da doença.
 

A tutora Izabella Caroline Ferreira ao contar sobre seu animal que foi diagnosticado com a  doença, muito emocionada, revela todas as medidas tomadas após o diagnóstico.
 

As medidas que foram tomadas foram ter iniciado o tratamento, pois os tumores eram malignos. Então ela teve que fazer 3 cirurgias se eu não me engano, mas ela infelizmente não resistiu. Então ela utilizava medicações, a gente acompanhava tudo e fazia diversos exames, mas chegou um momento que ela não aguentava mais, até pelo fato da idade e por ela ser cardiopata, então ela acabou não resistindo.”



 

Mesmo Izabella tomando todas as providências para o tratamento de sua cadela, ela não resistiu. A tutora ainda afirma que sua cadela não havia sido castrada, o que poderia ter prolongado a sua vida e evitado a doença. Apenas após a ocorrência dos tumores foi realizada a castração, por falta de conhecimento, afirma Izabella. Ainda assim, ela se posiciona a favor da castração segura a todos os animais para que não ocorra nenhuma manifestação de doenças indesejáveis.
 

Desse modo, assim como defendido por diversos veterinários, a castração feita após o primeiro cio do animal reduz as possibilidades da incidência destes tumores, o que se torna muito benéfico a longo prazo. O mês de outubro é lembrado também para a proteção dos animais. A prevenção e cuidados são essenciais neste momento.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »