02/11/2021 às 13h03min - Atualizada em 02/11/2021 às 13h08min

O brilho eterno de um selo cheio de lembranças

A vertigo ainda vive, mesmo tendo seu fim decretado

Gustavo Mateus - Editado por Fernanda Simplicio
Após o cancelamento da serie Y O ultimo homem, que estava sendo produzida pela FX, ser anunciado no twitter da showrunner Eliza Clark, em 17 de outubro, assim como serie do Monstro do pântano, personagem famoso da DC, que também teve sua produção cancelada em 2019,  a origem desses títulos está relacionada nos quadrinhos, especialmente em um selo totalmente diferente do que já foi visto até então , esse selo se chama Vertigo.

Mesmo com o Comic Code Authority (CMMA), imposto nos anos 50, ainda exigindo que as histórias em quadrinhos não contenha elementos considerados “nocivos aos mais jovens”, por mais que existiam quadrinhos que abordava temáticas adultas, essas produções eram feitas de modo underground, feito as escondidas.

DC, mesmo com as histórias de seus personagens famosos como Batman e Superman fazendo sucesso, e ao mesmo tempo, com problemas nas cronologias dos arcos de seus personagens. Nos anos 80 conseguiu fazer uma revolução, assim como sua rival Marvel que nos anos 60 e 70  incluiu pautas consideradas polêmicas, como uso de drogas e a luta dos direitos civis em suas histórias. Entretanto, a DC apresentou ao mundo um britânico chamado Alan Moore, onde além de ter lançado V de Vingança em 1982 e 1989. e A Piada Mortal, uma das grandes HQs de grande sucesso do Batman em 1988.  Suas obras abordavam temas  “fora da caixa” para se adaptar ao mundo dos quadrinhos, entretanto, elas ganharam público e garantido mais liberdade para a produção de obras desse teor.
Assim que Watchmen foi publicado nos anos 1986 e 1987, acabou gerando muito sucesso , quando Alan Moore viu o sucesso de sua obra não ser designado a ele, além de não possuir os direitos de uso de seus personagens,  gerou um dos capítulos mais icônicos da história dos quadrinhos,





Entretanto, após a publicação de Watchmen, que mudaria os rumos da editora, os anos 90 chegaram, e uma crise quase deu fim as grandes editoras.  As gigantes estavam indo de mal a pior, as vendas dos quadrinhos estavam muito baixas, fazendo as mesmas tomar decisões “arriscadas” como matar seus personagens clássicos e colocar novos personagens no lugar , com esse cenário catastrófico , a DC tentou investir em selo mais alternativo, como o Piranha Press, fundado em 1989 por Mark Nevelow, o selo publicava materiais com temáticas mais adultas,  uma delas tinha o cantor Prince como protagonista, porém, ela teve seu fim decretado em 1994, assim como a Paradox press, selo que seguiu a mesma linha editorial da anterior, porem devido as baixas vendas , o selo foi cancelado, mas seus títulos, assim como da Piranha Press, foram integrados ao selo Vertigo.



No ano de 1993, nasce o selo Vertigo, comandado por Karen Berger, o selo foi a abertura para muitas produções e artistas que viriam se tornar referências no mundo dos quadrinhos como Sandman criada por Neil Gaiman,Transmetropolitan de Warren Ellis, Preacher de Garth Ennis, etc. Portanto, o sonho de criar histórias onde a censura não teria chance de se envolver e se torna realidade, fazendo a sua concorrente Marvel a investir em selo adulto, em 2001, o selo Marvel Max. Vale lembrar que no mesmo ano a Marvel havia largado o Comic Code Authority, a DC faria o mesmo, so que em 2011, sendo assim, decretando o fim definitivo da censura imposta pelo selo, sendo assim, tornando o mesmo extinto.



Em 2012, Karen Berger afirmou que deixaria o cargo de editora ,em 2019, a DC anunciou o seu fim em 2020 , sendo sucedida pelo selo DC black label, fundado em 2018, onde os personagens famosos da editora teriam histórias com temáticas mais adultas e os personagens e as HQs do selo Vertigo além de serem integrados no universo dos super herois da DC como foi com o personagem John Constantine de Hellblazer na fase dos novos 52, teriam suas histórias originais republicadas com o novo selo.



O legado da Vertigo , foi muito além da produção de quadrinhos com temática adulta , mas sim, um grande passo  criativo e empolgante de mostrar que a censura , mesmo impondo a sensação de medo e autoritarismo, ela não seria capaz de segurar a a força da criatividade dos quadrinhos mesmo com erros e acertos, a porta para a criatividade esta aberta e não será facilmente fechada, tornando o selo, um marco vivo na memoria dos leitores. 

REFERÊNCIAS:

BANKHURST, ADAM. Y o ultimo homem é cancelada. IGN BRASIL 18 de out. 2021.
Disponível em: <
https://br.ign.com/y-the-last-man-1/93866/news/y-o-ultimo-homem-e-cancelada> Acesso em: 29 de out de 2021.

LUIS DIAS CUSTODIO, ANDRÉ. Y: o ultimo homem tem cancelamento esclarecido; série procura nova casa. TECMUNDO 20 de out. 2021
Disponível em: < https://www.tecmundo.com.br/minha-serie/227240-y-ultimo-homem-tem-cancelamento-esclarecido-serie-procura-nova-casa.htm> Acesso em: 29/10/2021.
 
 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »