19/11/2021 às 09h47min - Atualizada em 19/11/2021 às 09h38min

Como anda a sua motivação?

Para ter motivação nosso cérebro precisa visualizar uma recompensa

Ianna Oliveira Ardisson - Editado por Andrieli Torres
Fonte: Andreimayer
Alguns dias acordamos um pouco sem energia para fazer nossas atividades diárias. Você sabe que precisa se exercitar, necessita estudar e tantas outras obrigações, entretanto sente preguiça e não consegue encontrar um motivo para fazer tudo que a agenda do dia exige de você. Encontrar um “motivo para” seria a chave da questão. Sim, um motivo, é disso que nosso cérebro precisa para funcionar bem e termos disposição.  Somente com a presença da motivação, que irá te impulsionar, você conseguirá realizar cada uma das suas demandas de curto e de longo prazo.
 
Muitas vezes nomeamos como preguiça o que na verdade é a falta de motivação pessoal. Quando se está com preguiça de fazer algo é porque falta motivação específica para realizar determinada atividade.
 
No oitavo episódio do podcast “Culpa do Cérebro” Andrei Mayer, Professor e Neurocientista da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), trabalha o tema motivação. A partir das análises desse episódio serão elucidadas algumas questões sobre a motivação neste texto.
 
“Motivação é uma força interna que nos compele a fazer uma coisa específica”, define Andrei Mayer. A partir de mudanças químicas que acontecem no nosso cérebro somos impulsionados a fazer algo. Não é uma força misteriosa que surge e enche você com energia para agir, motivação não é mágica, ela depende de atividades do nosso cérebro. Nessa atividade cerebral um elemento crucial para despertar nossa motivação é a dopamina. Erroneamente acostumou-se a dizer que a dopamina é a molécula do prazer. Na verdade, ela gera motivação para fazer algo que vai te causar prazer. Basicamente seria, então, a molécula da motivação e não a do prazer.
 
Existem alguns aspectos que influenciam para o aumento da nossa motivação para fazer algo. O tamanho da recompensa que será alcançada é um deles, quanto maior gratificação, maior será sua disposição em realizar a atividade. Outro ponto destacado é a distância da recompensa, nosso cérebro não gosta de esperar, se o retorno estiver perto, mais motivado você estará. Além desses aspectos existe ainda a questão da probabilidade de receber o "prêmio", quanto mais certo for que você ganhará algo mais motivado ficará.
 
Nosso cérebro precisa visualizar uma recompensa para que haja aumento da motivação. Uma dica dada pelo professor é o uso da imaginação para auxiliar esse processo. O ser humano tem uma capacidade incrível de imaginar o futuro e o simples fato de pensar já afeta seu cérebro e seu corpo. Para auxiliar nossa motivação podemos construir uma narrativa de como será o futuro. Por exemplo, na situação de quem está estudando para prestar vestibular, se a pessoa se imagina já, lá na frente, como um estudante universitário, ela consegue se auto motivar para prosseguir com os estudos e alcançar aquilo que ela visualizou sobre o futuro.  A imaginação é necessária, já que seu cérebro precisa entender a relação do que você está fazendo hoje com a recompensa que terá no futuro. É muito interessante perceber que com sua capacidade de criação e imaginação você pode criar motivação para seus objetivos.
 
Um alerta é para tomar cuidado para não motivar demais e isso tornar-se um vício. Observa-se essa motivação excessiva em pessoas viciadas em trabalho, percebe-se que o progresso é motivador e ao perceber que está progredindo a pessoa fica cada vez mais motivada e se vicia nesse mecanismo.  
 
Tem sido comum ouvir dizer que o mais importante é ter disciplina e que motivação não importa. Do ponto de vista da neurociência isso é falso. Primeiramente é necessário ter um motivo, um porquê, para então se engajar de forma disciplinada em um objetivo.  A disciplina anda lado a lado com a motivação, entretanto em primeiro lugar está a motivação.
 
Para superar a desmotivação podemos usar a alternativa de usar a imaginação, a qual “magicamente” altera nossa percepção da situação e eleva nossa motivação. Podemos parar, imaginar, visualizar benefícios no futuro do esforço que fazemos hoje.  É essencial lembrarmos dessa chave quando precisarmos nos motivar: visualizar uma recompensa faz toda diferença.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »