21/11/2021 às 00h00min - Atualizada em 21/11/2021 às 00h01min

Vegan Society debate sobre o veganismo na Conferência sobre mudanças climáticas da ONU

A instituição tem objetivo de discutir sobre o tema com formuladores de políticas, com políticos e com líderes globais

Juliana Valillo - Editado por Júlio Sousa
Vegazeta; Vegan Business; Vista-se; StringFixer
CONFERÊNCIA | FONTE: PEXELS
VEGAN SOCIETY NA ONU
A organização Vegan Society participou da Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 31 de outubro sobre o tema das mudanças climáticas, onde a instituição abordou sobre o veganismo. A Conferência ocorreu em Glasgow, na Escócia.
 
A Vegan Society foi fundada em 1944, e ficou mais conhecida por originar os termos “vegan” e “veganism”. A instituição revela que a função deles deve fazer o possível para colocar o veganismo “no centro das discussões”, diante do evento que, simultaneamente, abordará o impacto da dieta na crise climática.
 
Segundo a Vegan Society:
“Temos o status de observador oficial e uma posição no Scottish Event Campus [onde será realizada a COP26], então falaremos com formuladores de políticas, políticos e, esperançosamente, líderes globais sobre a necessidade de considerar uma transição para a produção de alimentos à base de vegetais a fim de cumprirmos as metas climáticas.”
 
A organização lamenta que a agropecuária não seja um tema que está na agenda oficial da conferência da ONU.
“Também estaremos promovendo nossa campanha Plate Up for the Planet na COP26.”
 
Enquanto os governos deliberam, a Vegan Society diz que qualquer um poderá agir e mudar a sua alimentação, com um objetivo de causar um impacto positivo no meio ambiente.
“Estaremos compartilhando essa mensagem por meio de painéis, ônibus, bicicletas e metrô, bem como em eventos no centro da cidade, em espaço oficial do governo e em colaboração com a bluedot.”
 
A Vegan Society promoveu o veganismo como parte do Dia de Ação Global pela Justiça Climática, no dia 06 de novembro. A entidade também esteve apoiando duas petições, em que solicitam que a COP-26 possua um cardápio vegano e que promova a importância de uma dieta à base de vegetais. Além disso, é uma das apoiadoras da campanha Plant Based Treaty, com o apoio do músico vegano Moby, contando com a estudante brasileira Brunna Sachs (de 12 anos), como embaixadora.
 
O tratado lançado no final de agosto deste ano tem o objetivo de chamar a atenção para a importância de ter uma dieta à base de vegetais no combate às mudanças climáticas, considerando o impacto da pecuária.
 
MÊS DO VEGANISMO
O mês de novembro é considerado o “mês do veganismo”. No dia 1º desse mês, é comemorado também o dia mundial do veganismo, assim marcando o início de novembro como o mês mundial do veganismo.
 
O mês é celebrado no mundo como um período de reconhecimento do quão longe o movimento vegano chegou, sendo acessível a vida baseada em plantas e vegetais e como podem ser. É um movimento que encoraja as pessoas que estão curiosas a adotarem e explorarem mais o veganismo, experimentando novos locais (como restaurantes), receitas e novas ideias. Além disso, é um momento importante paara considerar o reconhecimento do benefício que é esse estilo de vida que pode ser para o meio ambiente, as comunidades e até para os animais.
 
MAIS SOBRE A VEGAN
A celebração iniciou em 1994 sobre o dia mundial do veganismo, comemorando o 50º aniversário da Vegan Society. Como dito, a Vegan Society foi fundada em novembro de 1944 por David Watson, Elsie Shrigley e outras quatro pessoas vegetarianas. O grupo debate sobre o assunto e sentiu a necessidade de criar uma palavra mais precisa para descrevê-los, depois de um determinado tempo, decidiram-se pelo termo “vegano”. Em 1949, teve uma redefinição de veganismo como a busca do “fim do uso de animais pelo homem para alimentação, mercadorias, trabalho, caça, vivissecção e por todos os outros usos que envolvem a exploração da vida animal pelo homem.”
 
A definição teve outra evolução em seu significado na década de 1980, tendo o seu significado como é connhecido nos dias atuais:
[...] uma filosofia e um modo de vida que busca excluir — na medida do possível e praticável — todas as formas de exploração e crueldade contra os animais para alimentação, vestimenta ou qualquer outro propósito; e, por extensão, promove o desenvolvimento e uso de alternativas livres de animais para o benefício de humanos, animais e meio ambiente. Em termos dietéticos, denota a prática de dispensar todos os produtos derivados total ou parcialmente de animais. — The Vegan Society
 
É importante ressaltar que, historicamente, os primeiros praticantes do vegetarianismo e veganismo viveram há mais de 2 mil anos. Nos dias atuais, o veganismo vive um momento de maior expansão, com adeptos presentes ao redor do mundo. Simultaneamente, o número de opções que são baseadas em plantas que estão presentes no mercado, também vivem um aumento drástico.
 
Para mais informações sobre o veganismo (eventos nesse mês e como comemorar o mês mundial do veganismo) acesse o site da Vegan Business: https://veganbusiness.com.br/novembro-e-o-mes-mundial-do-veganismo/. 
 
OS TERMOS “VEGETARIANO” E “VEGANO” SIGNIFICAM O QUÊ?  
O veganismo é uma prática da abstenção do uso de produtos de origem animal, especialmente na dieta. É uma filosofia associada a rejeição do status da mercadoria de animais. A pessoa que segue a dieta e essa filosofia é conhecido como vegano. Podem ser feitas distinções entre as categorias de veganismo:
  • Veganos dietéticos ou Veganos estritos – evitam o consumo de carne, ovos, laticínios e outras substâncias de origem animal
  • Vegano ético ou vegetariano moral – a pessoa que não apenas segue uma dieta vegana, mas compreende a filosofia e as outras áreas de suas vidas, se opondo ao uso de animais para qualquer propósito
  • Veganismo ambiental – refere-se evitar o uso de produtos que são de origem animal, com base na premissa de que a criação industrial de animais é prejudicial ao meio ambiente e insustentável
 
O termo vegetariano tem sido usado desde o não de 1839, referindo-se ao que anteriormente foi descrito como um regime ou dieta de vegetais. A sua origem é um composto irregular de vegetal e o sufixo -arian (com sentido de “apoiador, crente” como em humanitário). O primeiro uso de termo foi escrito e conhecido, atribui-se a atriz, escritora e abolicionista Fanny Kemble, em seu Journal of a Residence em uma plantação georgiana em 1838 – 1839.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »